quinta-feira, 28 de julho de 2011

"Que a Ordem dos Advogados do Brasil já rasgou a Carta Magna de cima abaixo, não resta dúvida, mas querer afirmar que apenas uma prova dá a qualificação técnica a alguém que passou cinco anos num curso superior, chega a ser cômica, para não dizer ridícula." Francisco Batista Lima, Bacharel em Direito, Fortaleza-Ce - dalcin.lima@gmail.com

O desespero de Ophir Cacalcante da OAB

AS DESESPERADAS PALAVRAS DE OPHIR CAVALCANTE, PRESIDENTE NACIONAL DA OAB
Matéria escrita por Francisco Batista Lima, Bacharel em Direito, Fortaleza-Ce - dalcin.lima@gmail.com
Que o Exame de Ordem está eivado de vícios, especialmente de inconstitucionalidades, disto ninguém duvida. Que por trás de um exame como este estão interesse, por demais escusos, também não se duvida. Porém, beira ao ridículo as palavras do todo poderoso Ophir Cavalcante retrucando os argumentos de Rodrigo Janot, subprocurador-geral da República. Eis como se manifestou o Sr. Ophir:
“os argumentos do subprocurador partem de uma visão preconceituosa que considera o cidadão menos importante do que o Estado, na medida em que tolera que o cidadão possa ser defendido por profissional sem a comprovada qualificação técnica capaz de bem defender os seus direitos”.
Crê-se que não é preciso ser um gênio em hermenêutica para interpretar o ridículo de tais colocações, porém faça-se, à guisa de se esclarecer tal fanfarrice, uma pequena exegese das bufônicas palavras do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil. Na primeira linha, quando ele diz que há uma visão preconceituosa nos argumentos de Rodrigo Janot, nota-se bem que preconceituosa é a visão dele, do Sr. Ophir, uma vez que não quis o subprocurador colocar o cidadão como menos importante, muito pelo contrário, quis o subprocurador colocar o cidadão como personagem imprescindível no cenário do
Estado, dando-lhe liberdade de escolher quem possa representá-lo perante o judiciário. Na segunda e última parte das desastrosas palavras do Sr. Ophir vê-se o desespero de um homem para defender aquilo que não se pode defender: o exame de ordem, essa reserva de mercado eivada de inconstitucionalidade. Diz, portanto, o presidente que “o cidadão possa ser defendido por profissional sem a comprovada qualificação técnica capaz de bem defender os seus direitos”. Perguntinha que não quer calar: qual a qualificação técnica de qualquer profissional de nível superior? Resposta lógica e irrefutável: um curso superior, ou em outras palavras, uma faculdade. Seguindo o burlesco raciocínio do Sr. Ophir, depreende-se que as faculdades de Direito existentes pelo Brasil afora não estão capacitadas para formar tecnicamente seus alunos. Então, só resta uma saída: fechar as faculdades de Direito e abrir a faculdade “OAB”, haja vista que nas histriônicas palavras de Ophir Cavalcante apenas a entidade a qual ele representa, no caso a Ordem dos Advogados do Brasil, mediante sua prova, é capaz de dizer quem está ou não capacitado para advogar. Ciente disso faz-se, então, um singelo convite àqueles que se formaram antes da instituição de tão incongruente prova: que todos eles se submetam ao Exame, uma vez que estes mesmos advogados não têm capacitação técnica para representar o cidadão perante a justiça. Logo, nos ditames da Ordem, estão agindo ilegalmente. Nesse diapasão, estão convocados a se submeter ao Exame de Ordem o Sr. Ophir Cavalcante e todos os demais presidentes das seccionais da OAB, uma vez que a grande maioria destes senhores “não têm capacitação técnica”, uma vez que apenas alguns poucos passaram pela “peneira” de tão obtusa avaliação.
É, portanto, lamentável a posição do Sr. Ophir Cavalcante e, claro, suas desastrosas colocações. Cavalcante afirma ainda que ao fazer vestibular o aluno já sabe que será apenas bacharel em Direito e não advogado. Em face de tal pérola, deve-se cassar o direito de médicos, enfermeiros, engenheiros, dentistas exercerem suas profissões, haja vista que são bacharéis e não médicos, enfermeiros etc., uma vez que não se submeteram a um exame de ordem. Declara ainda Cavalcante “que o exame de ordem é feito para proteger o cidadão, que será destinatário dos serviços de quem exerce a advocacia”. Então, repete-se, que sejam fechados os curso de Direito por todo o país e que futuros advogados façam um curso que deverá ser criado pela Ordem dos Advogados do Brasil, o qual, após um Exame, capacitará tecnicamente seus “advogados”.
O fim do exame de ordem seria um desastre, uma vez que a penúltima edição do inconstitucional certame contou com 106 mil inscritos. Ora 106 mil inscritos vezes R$ 200,00 dá algo em torno de vinte e um milhões de reais. Logo o fim do exame seria um desastre aos cofres da Ordem dos Advogados do Brasil. Mas este será tema de um próximo artigo, pois o que se quis aqui foi mostrar quão desesperadora é a posição do Sr. Ophir Cavalcante, que teima em defender uma prova que é um acinte a Constituição Cidadã de 1988. Que a Ordem dos Advogados do Brasil já rasgou a Carta Magna de cima abaixo, não resta dúvida, mas querer afirmar que apenas uma prova dá a qualificação técnica a alguém que passou cinco anos num curso superior, chega a ser cômica, para não dizer ridícula.
 
No http://dilma13.blogspot.com/2011/07/o-desespero-de-ophir-cacalcante-da-oab.html#more

Vê se pode: "Árabe é terrorista, europeu é louco"!

Árabe é terrorista, europeu é louco

Eles venceram 

Há algum tempo muitos analistas vêm falando do crescimento da extrema-direita na Europa e no mundo. Eu mesmo já escrevi aqui neste espaço algumas vezes sobre o tema.

Como em todo discurso de ódio, que a caracteriza, a nova extrema-direita precisa encontrar seu inimigo. Se antes este era encarnado nos judeus apátridas, que “vagavam” pela Europa prontos a “pilhar” os recursos dos cristãos, hoje o inimigo atende pelo nome de muçulmano. São seres esquisitos, que às vezes usam uma espécie de turbante, que não acreditam no verdadeiro filho de deus, e que, algumas vezes, interpretam literalmente o que seu deus teria dito através do profeta Maomé.

Este crescimento não é nem tão novidade assim, e tem sua origem no fim do Bloco Soviético. Por um lado, os europeus “ocidentais” se viram ameaçados com aquela massa de pessoas procurando empregos, ansiosos em entrar no modo de vida capitalista. Isso levou a uma depreciação do valor do trabalho. Os novos bárbaros vinham do leste para destruir o sonho da Europa Cristã capitalista.

Por outro lado, os que viviam dentro da cortina de ferro se viram órfãos, jogados num mundo que desconheciam, e por isso temiam. Muito do movimento de completar o círculo e se voltar à extrema-direita foi feita por estes europeus do leste, numa curiosa contradição. Os ocidentais se sentiam invadidos e queriam proteção contra os invasores. Os orientais, novatos no mundo da competição, queriam o mesmo.

Em comum apenas o ódio contra aquele passageiro que chega no ônibus já cheio, cuja presença vai encher ainda mais o veículo, e que, por isso, é visto com desconfiança pelos “nativos”. Estes, os mais recentes, são aqueles que não conseguem ser abarcados pela definição de Europa, os muçulmanos. Os ódios se juntam contra o terceiro.

Mas isso não interessa tanto. Interessa como a mídia repercutiu os atentados na Noruega na semana passada. Todos os veículos “ocidentais”, sem nenhuma exceção, correram para dizer que seriam obras de…. muçulmanos. As razões beiravam a esquizofrenia coletiva: desde a Líbia (com Kadafi relembrando os tempos da PanAm), até mesmo o Acordo de Paz de Oslo, que deveria por fim ao conflito Israel-Palestina, assinado por Yitzhak Rabin (Israel) e Yasser Arafat (OLP), mediado pelo então presidente dos EUA, Bill Clinton.

Os “especialistas”, atônitos com o ocorrido, tentaram, de toda e qualquer maneira, encaixar uma explicação qualquer que remetesse aos muçulmanos. Qualquer coisa, naquele momento, servia a eles, nos seus delírios, nas suas elucubrações. Diria eu que estavam estado de êxtase hipnótico, apontando o dedo rua afora e vendo fantasmas em todos os lugares.

Desde os primeiros momentos já estava claro, pra qualquer pessoa que tentasse entender o que se passava, que o alvo dos atentados não era a Noruega, ou mesmo o governo, mas sim um partido, uma posição política. Era claro, logo, que o atentado fora levado a cabo por razões internas.

O alvo, o modus operandi, tudo indicava solidamente pra nacionalistas noruegueses, para extrema-direita. Mas a mídia olhou, e não viu. Não quis ver.

Quando finalmente enxergou, as características “religiosas” do assassino, do terrorista norueguês, foram esquecidas. Ele tornou-se uma radical louco, um homem perturbado aos olhos dos jornais. Afinal era um de nós.

A mídia, seus intérpretes, seus analistas com doutorado em grandes universidades, especialistas em Relações Internacionais, em terrorismo, compraram acriticamente o discursos da extrema-direita do inimigo da Europa.

Neste quesito, tristemente posso falar: ela venceu. Pautou a mídia, espalhou o medo do outro e, como demonstrou, conquistou mentes.

Share/Bookmark

Leia mais em: O Esquerdopata
Under Creative Commons License: Attribution
No http://esquerdopata.blogspot.com/

PresidentA Dilma e Pelé, juntos para garantir o sucesso do Brasil na organização da Copa de 2014.

Após falar em vergonha, Pelé vira embaixador da Copa e pede voto de confiança

MÁRCIO FALCÃO
ANA FLOR
DE BRASÍLIA
Depois de dizer que "o Brasil corre um grande risco de se envergonhar se não fizer uma boa Copa", Pelé recebeu nesta terça-feira da presidente Dilma Rousseff o título de embaixador honorário da Copa de 2014.

Segundo o ministro Orlando Silva (Esporte), a presidente assinou um decreto criando a figura do embaixador da Copa. O ministro disse que Pelé terá poderá dar orientações ao governo sobre a Copa, representar o país em eventos e participar das interlocuções com os demais países participantes da Copa e também com a Fifa.
"Eu não poderia deixar de aceitar esse convite da nossa presidenta. Eu já faço isso desde quando nasci, desde a primeira Copa eu defendo e faço a promoção do Brasil. É uma responsabilidade muito grande", disse.


Fernando Bizerra Jr/Efe
A presidente Dilma Roussef posa para foto ao lado do ex-jogador Pelé, em Brasília
A presidente Dilma Roussef posa para foto ao lado do ex-jogador Pelé, em Brasília

Pelé citou indiretamente as críticas que o país tem recebido por problemas e atrasos nas obras da Copa, mas pediu confiança aos brasileiros. Em fevereiro, o ex-jogador criticou o andamento das obras para o Mundial de 2014. "O Brasil corre um grande risco de se envergonhar se não fizer uma boa Copa. Os principais problemas são a comunicação e os aeroportos. O Brasil tem a obrigação de fazer uma boa Copa", afirmou, na ocasião. "[O atraso nas obras] não é só assunto de brasileiros. Conversei com o pessoal do Platini [presidente da Uefa] e eles também estão preocupados."
Nesta terça, o ex-atleta pediu um voto de confiança. "Eu gostaria de pedir para todo o povo brasileiro que acreditasse porque estava meio confuso, meio em dúvida alguns problemas que nós tivemos aqui e que a gente sabe ainda das condições, mas que podemos acreditar porque a presidente disse que vai fazer todo o esforço e espero que a gente entregue bem essa copa do mundo".
E completou: "Depois de todo o trabalho que fizemos para conseguir essa Copa acho que a gente também tem obrigação de fazer uma boa administração. Agora essa administração será feita com todos os brasileiros, com 190 milhões de brasileiros e todos ficaremos orgulhosos de entregar bem essa Copa." 
 
No http://aposentadoinvocado1.blogspot.com/

Não é hora de brincar, moçada, preparem-se para entrar no programa "Ciência Sem Fronteiras"!

ENQUANTO ISSO , NO PAÍS "DISFUNCIONAL" : GOVERNO FEDERAL ANUNCIA 100 MIL BOLSAS DE INTERCÂMBIO A CIENTISTAS ESCOLHIDOS POR MÉRITO

Programa de bolsas de estudos no exterior selecionará quem tem mérito, segundo Dilma

Yara Aquino, Daniel Lima e Pedro Peduzzi
Da Agência Brasil
Em Brasília


Ao apresentar, hoje (26), as diretrizes do programa Ciência sem Fronteiras, que pretende conceder 100 mil bolsas de intercâmbio para brasileiros, a presidenta Dilma Rousseff disse que a seleção dos estudantes não será baseada no critério do “quem indica”, mas sim no de quem tem mérito. Segundo ela, a distribuição das bolsas levará em conta a representação étnica, social e regional.
“Não estamos fazendo um programa baseado em quem indica. Estamos criando ações orientadas pelo mérito”, assinalou a presidenta. “Todos [os contemplados] vão ter de ter nota acima de 600 no Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] e daremos especial atenção aos alunos ganhadores de olimpíadas, notadamente a da matemática”, acrescentou Dilma, no encerramento da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

Dilma Rousseff lança programa "Ciência Sem Fronteiras" "

"Brasil precisa dar um salto na área da inovação"A presidente Dilma Rousseff lançou nesta terça-feira (26), em Brasília, o programa "Ciência Sem Fronteiras"
De acordo com a presidente, o governo quer que os estudantes brasileiros estudem nas melhores universidades e em cursos de ciências exatas, onde há maior deficiência de profissionais, como as áreas de engenharia e de tecnologia da informação.
Ao falar sobre o programa, o ex-reitor da Universidade Federal da Bahia, Naomar Monteiro, alertou para o risco de que o critério de seleção por mérito favoreça os estudantes que têm acesso à educação privada e que, por isso, ingressam nas melhores universidades. “Assim, o Estado brasileiro vai custear um programa justamente para a parcela representativa da camada que tem recursos e acesso e os estudantes das classes pobres ficarão fora”.
No discurso, a presidenta Dilma abordou o assunto. De acordo com ela, o critério por mérito é crucial e o Programa Universidade para Todos (Prouni) comprova que os estudantes de baixa renda têm bom desempenho. “Não há demérito em ter política por mérito. Está provado que política por mérito pode contemplar as classes menos privilegiadas. O Prouni mostrou que o desempenho no Enem para os selecionados para o programa era adequado para os parâmetros existentes.”
Dilma adiantou que a pré-seleção dos alunos que poderão ser beneficiados pelo programa será feita pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e pelo Prouni.
O secretário-geral da Nova Central Sindical de Trabalhadores, Moacyr Auerswald, pediu a criação de cursos de línguas para que a necessidade de dominar um idioma estrangeiro não prejudique os estudantes de baixa renda a ter acesso às bolsas no exterior.
O Ciência sem Fronteiras dará bolsas para diferentes níveis de estudo, do ensino médio ao doutorado. As bolsas serão custeadas com parceria público-privada. Do total, 75 mil bolsas serão custeadas pelo governo federal e 25 mil com a colaboração de empresas privadas. 
No http://aposentadoinvocado1.blogspot.com/

Minha cidade - Paulo Afonso/BA - é linda! Pena que o prefeito - Anilton/DEM - está acabando com o social!

Feliz Aniversário P.A! 28 de Julho, 53 anos. Declare seu amor por Paulo Afonso

Paulo Afonso, cidade de infinita beleza, criada pela própria natureza. Paulo Afonso, lugar de encantos mil. És a capital da energia, riqueza do nosso Brasil.
Redação
redacao@ozildoalves.com.br


Crédito: Divulgação
Vista aérea da Ilha de Paulo Afonso
Vista aérea da Ilha de Paulo Afonso
 
Especial 53 anos. Veja o Hino e as belezas de Paulo Afonso:
Guerreiros que enfrentam a batalha
Firmando os pés na terra da magia
No rosto o suor, são homens combatentes
Que tem nas mãos a força da energia.
E erguem a bandeira da coragem
Com armas empunhadas noite e dia
Valentes em ação, é um só coração
Simbolizando a nossa harmonia.
Nem mesmo a luz do sol e o pulso deste rio
Conseguiram impedir este grande desafio.
Paulo Afonso, Paulo Afonso,
Cidade de infinita beleza
Paulo Afonso, Paulo Afonso,
Criada pela própria natureza
Paulo Afonso, Paulo Afonso,
Lugar de encantos mil
És a capital da energia,
Riqueza do nosso Brasil
O rio São Francisco é tua origem
Nascendo lá na Serra da Canastra
E sob o solo vem, formando cachoeiras
Iluminando o céu da nossa pátria.
Tu és o braço forte que sustenta
A fonte inesgotável que não pára
O brilho da manhã, rasgando ao meio o véu
O mundo já conhece a tua glória.
Nem mesmo a luz do sol e o pulso deste rio
Conseguiram impedir esse grande desafio.
(Oscar Silva)

Mais imagens de Paulo Afonso
Paulo Afonso - 53 anos de Emancipação Política

Dia 28/07/11 é o aniversário da cidade de Paulo Afonso, então vamos falar um pouco sobre a cidade:
Paulo Afonso é um município brasileiro do estado da Bahia. Foi emancipado em 28 de julho de 1958 do município de Glória. Sua área é de 1.574 km² e sua população é de 101.952 (2007). Sua densidade demográfica é de 64,77 h/km².
Vista aérea de Paulo Afonso:
foto
Faz limite, ao norte com o município de Glória, ao sul com o município de Santa Brígida, a leste com o estado de Alagoas, a oeste com o município de Rodelas e a sudoeste com o município de Jeremoabo.

Praça das Mangueiras:

A cidade é conhecida pelo seu potencial hidrelétrico, que teve como pioneiro Delmiro Gouveia, um cearense que fez fortuna no sertão alagoano, e que apenas com meios próprios construiu a primeira usina do Nordeste: a Usina de Angiquinho, com maquinário trazido da Europa. O Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso é um conjunto de usinas, localizado na cidade de Paulo Afonso.

Balneário Prainha:

Ponte Metálica (Divisa da BA com AL):
foto
A usina tinha como propósito abastecer uma futura indústria têxtil que Delmiro planejava trazer para a Cidade de Pedra, e que hoje se chama Delmiro Gouveia em homenagem a ele. Angiquinho é hoje uma usina que encanta quem a visita, seja pela antiguidade do que ainda resta dela, seja pela beleza do local.

O teleférico (Bondinho):


Monumento O Touro e a Sucuri:

Paulo Afonso é uma cidade ainda jovem com um grande futuro pela frente uma cidade conduzida por mãos fortes de um povo trabalhador e alegre. Hoje considerada uma das melhores cidades do nordeste dinâmica e com um grande potencial de crescimento o verdadeiro Oásis do Sertão. A população de Paulo Afonso foi formada por uma mescla de pessoas que vieram de vários estados do País para trabalhar nas construções da CHESF desses pioneiros surgiu a nova geração que hoje povoa a cidade.

Avenida Getúlio Vargas, no final a Catedral de Fátima e o "Paredão da PA IV":
foto

Igreja de São Francisco (Chesf)

E VOCÊ, O QUE ACHA DE PAULO AFONSO? DEIXE SUA MENSAGEM:

foto

No http://www.ozildoalves.com.br/index.asp

terça-feira, 26 de julho de 2011

"Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final." Elisa Lucinda


Só de Sacanagem
Ana Carolina
Composição: Elisa Lucinda

Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais.
Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.
Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?
Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração tá no escuro.
A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam:
" - Não roubarás!"
" - Devolva o lápis do coleguinha!"
" - Esse apontador não é seu, minha filha!"
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar. Até habeas-corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar, e sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará.
Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda eu vou ficar. Só de sacanagem!
Dirão:
" - Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba."
E eu vou dizer:
"- Não importa! Será esse o meu carnaval. Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos. Vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau."
Dirão:
" - É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal".
E eu direi:
" - Não admito! Minha esperança é imortal!"
E eu repito, ouviram?
IMORTAL!!!
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final.

"Mais honesta ainda eu vou ficar! Só de sacanagem!" Elisa Lucinda



“Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta a prova?
Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar:
malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro.
Do meu dinheiro, do nosso dinheiro
que reservamos duramente
pra educar os meninos mais pobres que nós,
pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais.
Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.

Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz,
minha confiança vai ser posta a prova?
Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz,
mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros
venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração tá no escuro.
A luz é simples,
regada ao conselho simples
de meu pai, minha mãe, minha avó e todos os justos que os precederam.
‘Não roubarás!’,
‘Devolva o lápis do coleguinha’,
‘Esse apontador não é seu, minha filha’.
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar!
Até habeas corpus preventiva,
coisa da qual nunca tinha visto falar,
sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste:
esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará!

Pois bem, se mexeram comigo,
com a velha e fiel fé do meu povo sofrido,
então agora eu vou sacanear!
Mais honesta ainda eu vou ficar!
Só de sacanagem!

Dirão: ‘Deixe de ser boba!
Desde Cabral que aqui todo mundo rouba!
E eu vou dizer:
‘Não importa! Será esse o meu carnaval!
Vou confiar mais e outra vez.
Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos.’
Vamos pagar limpo a quem a gente deve
e receber limpo do nosso freguês.
Com o tempo, a gente consegue ser livre, ético e o escambal.

Dirão: ‘É inútil!
Todo mundo aqui é corrupto
desde o primeiro homem que veio de Portugal!’
E eu direi: ‘Não admito!
Minha esperança é imortal,
ouviram? Imortal!’
Sei que não dá pra mudar o começo,
mas, se a gente quizer,
vai dar pra mudar o final! “

"não descansaremos enquanto houver miséria no Nordeste" PresidentA Dilma

Brasil sem Miséria - Nordeste






Repassando...
Olá Lili,
A presidenta Dilma Rousseff lançou, em Arapiraca (AL), o plano Brasil sem Miséria – Nordeste, com diversas medidas que visam a retirar 9,6 milhões de nordestinos da extrema pobreza. Os nove governadores da região firmaram um pacto com o governo federal para erradicar a miséria em seus estados.

Também foi lançado o programa Água para Todos, para atender as famílias extremamente pobres que vivem em áreas rurais no semiárido. Com investimentos de R$ 756 milhões, o governo federal inicia neste ano a construção de 367 mil cisternas, das quais 140 mil já estão contratadas.
Leia mais:
Dilma: não descansaremos enquanto houver miséria no Nordeste
Tamanho e diversidade do país são desafios para segurança nas fronteiras
http://www.dilma.com.br/site/archives/2815

No http://dilma13.blogspot.com/

domingo, 24 de julho de 2011

Se todos os formandos se recusarem a fazer os exames da ordem, será o fim desse mal desnecessário.

OAB PERDE A POSTURA E ACUSA PROCURADOR

Por: Emerson Rodrigues - Presidente Nacional do MNBD
Em desespero a OAB tenta denegrir a imagem do Ministério Público Federal após relatório em que a PGR declara o exame de ordem inconstitucional! Alguns meses passados tentaram denegrir a imagem do Desembargador VLADIMIR SOUZA CARVALHO quando este declarou o exame de ordem inconstitucional! Em 2009 a OAB atacou severamente a juíza federal MARIA AMELIA ALMEIDA SENOS DE CARVALHO da 23ª Vara Federal do Rio de Janeiro quando concedeu liminar a 6 bacharéis frente a inconstitucionalidade do exame de ordem!
Pasmem os senhores! O presidente da OAB Dr. Ophir, em debate na Rádio Estadão ESPN, atacou veementemente o MNBD, tentando jogar os bacharéis contra a sociedade, e pior, insinuando que todos os reprovados no exame são analfabetos jurídicos. Dr. Emerson Rodrigues que também participou do debate em defesa dos bacharéis, contestou-o, exigindo respeito ao tripé constitucional: MEC: fiscaliza e autoriza cursos de graduacão, FACULDADE: qualifica e CONSELHO DE CLASSES: fiscalizam seus inscritos.
Há mais de dez anos que os bacharéis estavam amordaçados pela OAB, mas o MNBD enfrentando o lobi da OAB, teve a coragem de denunciar a inconstitucionalidade do exame de ordem, sendo que hoje, essa construção é sólida. Estudamos para defender nossos direitos, se não tivermos coragem para defendê-los, como iremos defender os interesses de outrem?! Esperamos que o parecer do MPF possa despertar aqueles que estavam descrentes da nossa vitória!
 
No http://dilma13.blogspot.com/

Não, não e não para os exames da OAB!

domingo, 24 de julho de 2011


O exame da OAB no banco dos réus

José Carlos Scribel
Se o MEC reconhece um curso de Direito de uma instituição pública ou privada e esse curso é ruim, o problema deve ser resolvido pelo MEC que tem por dever cuidar da qualidade do ensino superior e fiscalizar as faculdades e universidades que foram por ele reconhecidas para formar operadores do Direito, capazes de promover a justiça que o nosso país muito carece.
Por outro lado, a OAB, cujo compromisso institucional é a administração da justiça e a defesa da sociedade em seus direitos e garantias fundamentais, consagrados pela Constituição Federal; deveria cobrar mais do MEC o exercício de suas funções legais para garantir essa desejada qualidade de ensino. Mas ao invés disso, prefere, ao contrário senso de todas as demais profissões (até a Medicina!), instituir um Exame de Ordem que:

1 – Cria uma reserva de mercado para os advogados. Afinal, nenhum deles quer mais concorrentes e todos nós sabemos que no curso de Direito tem muita gente se formando. Assim, o exame deixa de aferir conhecimentos para funcionar como um vestibular ou concurso público que estabelece limite de vagas a respeitar.
2 – Cria uma verdadeira indústria milionária de concursos que enriquece os cofres da OAB, dos cursinhos, dos professores, das universidades, das instituições que aplicam as provas…
3 – Cria mais um campo de trabalho promissor para juízes e desembargadores (que pela Constituição somente podem exercer outras funções no magistério – art. 93, inc. III parágrafo único CF), além de beneficiar também promotores (idem aos juízes -ver art. Art. 128, II, § 5º, II, d CF), defensores e advogados que têm ou podem ter ganhos extraordinários dando aulas. É lógico que nenhum deles tem interesse em mudar isso, que os beneficia; o que coloca a estrutura do Judiciário brasileiro sob suspeição para julgar a inconstitucionalidade do Exame de Ordem (ver arts. 135, incs. IV e V e 138, inc. I do CPC), já que a suspeição decorre da natureza da causa e não do caráter de quem julga.
4 – Cria também, oportunidades para as universidades privadas faturarem mais, pois elas também já oferecem cursinhos para tal exame. É lógico que elas não irão se opor ou muito menos lutar contra isso; mesmo diante dos baixos índices de aprovação de seus alunos, que muitas vezes não condizem com a qualidade de seu ensino. Além do mais, seus cursos de Direito têm um corpo docente formado por renomados juízes, promotores, advogados… Todos estão ganhando!
Desta forma, só quem perde são aqueles bacharéis que deveriam ter seu direito constitucional reconhecido, como ocorre em qualquer outra profissão, pelo art. 5º inc. XIII da Carta Magna, que é claro ao dizer: “é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer”. Essas pessoas são formadas, possuem um diploma de nível superior reconhecido pelo MEC, mas que nada vale sem a aprovação em concurso público ou no Exame de Ordem, ficando às margens do mercado de trabalho para exercer sua profissão na área do Direito, para a qual dedicou, no mínimo, 5 anos de muito estudo e, provavelmente, muitos mais anos de sonhos.
Além disso, é a educação continuada que difere um bom profissional do mau. Isso é fundamental no Direito, já que as leis estão mudando rapidamente, evoluindo com a sociedade e o seu estudo contínuo é a forma correta de atualização. E o que vemos são poucos os advogados que se atualizam e se especializam, o que coloca a categoria desacreditada, ante as aberrações, erros e fatos jurídicos que assistimos, tomamos conhecimento ou sofremos.
Na dinâmica do Direito os profissionais se obsoletam rapidamente e a OAB não está preocupada com isso, mas sim em restringir o trabalho daqueles que acabaram de se formar e que estão teoricamente mais atualizados que muitos advogados que estudaram em velhas constituições, códigos e leis já superadas, parando por aí, depois de aprovados no Exame de Ordem e abrirem seus escritórios, que, em geral, se propõem a atuar em quaisquer áreas do Direito. Afinal, são os bacharéis recém-formados o elo mais fraco dessa corrente.
Se a OAB quer melhorar a qualidade do advogado, por que não institui um processo de acreditação, com avaliação profissional periódica, a exemplo do que prega a norma internacional ISO 17024, de aplicação ampla para qualquer profissão? Ou mesmo institua, de forma estruturada, cursos obrigatórios de atualização, reciclagem e desenvolvimento? Ou estabeleça carteiras diferenciadas para os advogados trabalhistas, civilistas, criminalistas…? Ou que adote os registros ou anotações de responsabilidade técnica em carteira, como é prática no CREA, para que a sociedade saiba com que tipo de profissional está lidando, sua área de atuação e experiência profissional?
Todos sabemos que não se pode atuar em todas as áreas do Direito sem perda de qualidade. Mas a carteira da OAB permite isso! Por que a OAB não exige, então, a especialização nos cursos de Direito, para melhor formar os profissionais? Por que ela deixa a critério do examinado a escolha de uma área para exame na segunda fase e não coloca tal qualificação na carteira, restringindo assim sua atuação? Será que o aprovado numa prova de Direito Administrativo está apto para defender um acusado de um crime, sujeito à legislação penal?
Por que a Ordem não auxilia mais o MEC em sua árdua missão, denunciando, processando e expondo as más instituições; principalmente as que ferem o Código de Defesa do Consumidor-aluno que está pagando por um mau serviço? Interessante saber que nem o Ministério Público já tomou tal iniciativa. Alega-se que a natureza dos serviços educacionais está em prover a educação e não garantir resultados, já que estes dependem da pessoa e não da instituição. Mas, diante das reprovações, será que os serviços estão sendo prestados satisfatoriamente? Se não estão, não está caracterizado um crime nas relações consumeristas?
Quantos advogados “experientes” e com a carteirinha vermelha seriam hoje aprovados nesses Exames de Ordem? Será que os dirigentes da OAB se sairiam bem? Pode ser que não ou que sim. Na verdade, tal exame não irá provar a competência que possuem.
Quem sinceramente acredita que um único exame pode garantir a qualidade vitalícia de um advogado para atuar em todas ou quaisquer áreas do Direito? A verdade é que esse único exame não pode ser um divisor de águas definitivo entre a competência ou incompetência, entre o bom e o mau caráter (caráter esse que não pode ser avaliado no exame).
A OAB tem o dever de se preocupar em promover e aprimorar a classe dos advogados e a própria justiça com ações mais consistentes junto aos que advogam, que afastem do mercado os maus profissionais que aí estão. Isso inclui, também, considerar na reforma do Judiciário a formação profissional e a educação continuada dos operadores do Direito, e não impedir o livre exercício profissional daqueles que se formaram legalmente, pois a intenção pode ser boa, mas é constitucionalmente contestável.
Exigir apenas um único exame para reconhecer a qualidade de um profissional não é o caminho mais correto; talvez seja o mais simples, mas com certeza é o mais rentável e de melhor aceitação política por parte dos operadores do Direito.
Afinal, qual a verdadeira intenção que está por trás dos Exames de Ordem? Será o propósito de melhorar a qualidade da advocacia no Brasil está sendo alcançado?
A sociedade deve julgar essa questão com isenção, pois a nova geração de bacharéis tem demonstrado mais ideal, mais ética e sede de justiça do que a atual estrutura de poder do nosso país e não pode carregar a culpa das mazelas da justiça e da educação aqui existentes.
No http://dilma13.blogspot.com/2011/07/o-exame-da-ordem-no-banco-dos-reus.html#more

Brasil é o grande vencedor, nos Jogos Mundiais Militares!

Confira o quadro de medalhas dos Jogos Mundiais Militares Rio/2011

Veja quais são os dez primeiros países do ranking na competição

Por GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro
quadro de meldalhas jogos militares 23/07 - 2 (Foto: arte esporte)

Atualizado após o fim das competições deste sábado.

Exame da OAB, pra que fazer?

Se a OAB está tão preocupada com a qualidade do curso de Direito, que vá pegar no pé das entidades que o promove.

Ora me deixe, OAB!

Morre Amy Winehouse

A cantora inglesa Amy Winehouse foi encontrada morta, hoje, dia 23, em seu apartamento em Londres. Tinha 27 anos, conquistou cinco Grammy pelo seu consagrado álbum "Back to Black" (2006), e foi alvo muitas vezes de manchetes escandalosas nas TVs, jornais e revistas.
Esteve no Brasil, em janeiro 2011, onde fez cinco apresentações.
Desconhece-se a causa mortis, provavelmente perdeu a batalha pelo excesso de consumo de drogas e de bebidas.
Lamentavelmente, mais uma derrota contra as drogas, com toda a certeza. 
 
 
No http://dilma13.blogspot.com/

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Pasta do novo ministério será da dona do Magazine Luiza

ENQUANTO ISSO , NO PAÍS DA PRESIDENTA DILMA

Dona do Magazine Luiza é cotada por Dilma para novo ministério Luiza Trajano iria para Secretaria da Micro e Pequena Empresa


Carlos Cecconello - 13.ago.10/Folhapress

Luiza Trajano, do Magazine Luiza, é considerada por Dilma
"um bom nome" para pasta


VALDO CRUZ
DE BRASÍLIA

O nome da empresária Luiza Trajano, proprietária da rede de lojas Magazine Luiza, é cogitado pela presidente Dilma Rousseff para assumir a futura Secretaria da Micro e Pequena Empresa.
Ligada diretamente à Presidência da República, a secretaria tem status de ministério e sua criação ainda depende de aprovação de projeto de lei encaminhado ao Congresso em março.
O nome de Trajano foi citado pela própria presidente após solenidade recente no Planalto, na qual a empresária esteve presente.
Em conversa com assessores, Dilma comentou que ela seria "um bom nome" para a pasta, que, além de micro e pequena empresas, deve cuidar de economia solidária.
Segundo a Folha apurou, ainda não houve um convite à empresária, só uma avaliação de Dilma em reunião com sua equipe indicando que ela vai analisar o nome para a secretaria, criada inicialmente para atender uma conveniência política.
Dilma queria nomear para o posto o senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), abrindo vaga para que seu suplente, o então presidente do PT, José Eduardo Dutra, assumisse a vaga no Senado.
Só que o senador não aceitou a pasta, e Dutra acabou ficando, na época, na presidência do PT. A manobra era uma forma de recompensar o petista, que foi um dos coordenadores da campanha de Dilma à Presidência.
A estrutura do ministério não agradou aos setores que cuidam de economia solidária, atualmente vinculada ao Ministério do Trabalho.
A alegação é que há diferenças entre os setores da micro e pequena empresa e o da economia solidária. O primeiro lida com trabalho assalariado e visa ao lucro, o segundo usa o trabalho associativo e cooperativo, em que todos dividem os lucros. 
No http://aposentadoinvocado1.blogspot.com/

terça-feira, 19 de julho de 2011

Cansada de esperar ação da ANP, a PresidentA teve de agir

Se a ANP não age, Dilma enquadra o setor de etanol

Agora à noite, na Agência Reuters.
“A presidente Dilma Rousseff decidiu reduzir a quantidade de etanol que é adicionada à gasolina no Brasil, como parte dos esforços para controlar a inflação, disse uma fonte do governo à Reuters na segunda-feira.
O aumento nos preços do álcool, em sintonia com a alta do açúcar no mercado internacional, tem sido um dos principais fatores responsáveis pela elevação da inflação acima da meta oficial.
O álcool continuou caro apesar da entrada da nova safra, e essa tendência deve se manter porque a previsão do setor é de que a safra de cana de 2011/12 no centro-sul do Brasil apresente um declínio pela primeira vez em uma década.
Atualmente, a gasolina vendida nos postos brasileiros recebe 25 por cento de álcool anidro. Dilma cogita reduzir esse percentual para 18 ou 20 por cento, segundo essa fonte. A decisão deve ser oficializada ainda neste mês, com a implementação em agosto.
“O efeito dos preços do etanol tem sido muito negativo para a inflação e para as expectativas inflacionárias (…), e a presidente decidiu agir”, disse essa fonte, que pediu anonimato.”
Como se vê, depois de esperar ação da ANP, a Presidenta teve de agir. Porque lá na ANP, pressa, mesmo, só para licitar mais áreas para as multis explorarem petróleo.

No http://www.tijolaco.com/

"Antes do Nunca Dantes, nordestino vivia correndo atrás de calango para comer um pedaço de carne, depois do Nunca Dantes o Brasil mudou para melhor, principalmente, para a classe menos favorecida."

A camareira que vai ser soldadora em Suape.
Que horror, Míriam !

    Publicado em 19/07/2011

O Conversa Afiada reproduz comentário do amigo navegante Adilson:

Adilson

PHA,

Acabei de chegar com a mulher e meu filho em Porto de Galinhas (PE) – tiramos uns merecidos dias de férias. Quero reproduzir a minha conversa com uma camareira do hotel no qual fiquei hospedado – à beira mar é claro, culpa do “Nunca Dantes”.


Eu: A Srª gostou do governo Lula e está gostando do governo Dilma?

Ela: É, tá bom, agora temos emprego, né…

Eu: Também há a possibilidade de estudar.

Ela: Verdade.

Eu: E como é que a Srª sabe que se pode estudar mais.

Ela: Porque acabei de fazer um curso profissionalizante pelo Senai.

Eu: Puxa vida! Que legal, a Srª fez curso de camareira?

Ela: Não Sr., meu sonho é trabalhar em Suape, fiz um curso de soldadora.

Eu: E o porquê desse sonho?

Ela: Porque quero dar uma vida melhor para minha família, em Suape trabalhando como soldadora ganharei 4 vezes mais o que ganho, além de outros benefícios que não tenho.


Antes do Nunca Dantes, nordestino vivia correndo atrás de calango para comer um pedaço de carne, depois do Nunca Dantes o Brasil mudou para melhor, principalmente, para a classe menos favorecida.



Clique aqui para ler “Não falta mão de obra. O salário é que aumentou”.

Clique aqui para ler “Suape faz uma revolução em Pernambuco – Eduardo campos dá de 10 a 0  em Cerra”.

Em tempo: o governador Eduardo Campos informou a este ansioso blogueiro que o porto de Suape já transporta 25% da carga que movimenta o porto de Santos. E Suape não tem dez anos de vida. E que ao norte de Suape será, breve, construido outro porto. Assim o Cerra não aguenta e vai ter um troço …

No http://www.conversaafiada.com.br/sem-categoria/2011/07/19/a-camareira-que-vai-ser-soldadora-em-suape-que-horror-miriam/

E por que não advertir os donos de bares para que não vendam bebidas alcoólicas aos menores, senhores conselheiros? E na Copa de Velas, o que pretendem fazer para proteger nossos jovens da prostituição, do alcoolismo e de outras drogas?

Conselheiros tutelares entregam placas de advertência em bares de Paulo Afonso

Redação
redacao@ozildoalves.com.br


Crédito: PMPA
Conselheiros Tutelares de Paulo Afonso
Conselheiros Tutelares de Paulo Afonso


O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completou 21 anos  na última quarta-feira, 13. Em Paulo Afonso conselheiros tutelares entregaram placas em bares nas proximidades do Colégio Luiz Eduardo Magalhães e na Rodoviária. As placas contêm o artigo 244 do Estatuto, o qual alerta que quem submeter crianças ou adolescentes à prostituição ou à exploração sexual pode se submeter à pena, chegando à reclusão de quatro a dez anos e multa.
Ainda em alusão às comemorações sobre os 21 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) será realizada no dia 26 deste mês, a partir das 19h, no Memorial Chesf, uma palestra com o Dr. João Batista, promotor da Vara da Infância de Alagoas. "Avanços e desafios dos 21 anos do ECA" será o tema da palestra.




Com informações da PMPA
No http://www.ozildoalves.com.br/internas/read/?id=9420

Quadro de medalha dos Jogos Mundiais Militares 2011

Anexo:Quadro de medalhas dos Jogos Mundiais Militares de 2011

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Evento (d)esportivo atual
Este artigo ou seção é sobre um evento (d)esportivo atual.
A informação apresentada poderá mudar rapidamente. Editado pela última vez em 18 de julho de 2011.

Este é o quadro de medalhas dos Jogos Mundiais Militares de 2011, que estão sendo realizados no Rio de Janeiro, Brasil. O ordenamento é feito pelo número de medalhas de ouro, estando as medalhas de prata e bronze como critérios de desempate em caso de países com o mesmo número de ouros. Se, após esse critério, os países continuarem empatados, posicionamento igual é dado e eles são listados alfabeticamente. Este é o sistema utilizado tanto pelo Conselho Internacional do Esporte Militar, entidade organizadora dos Jogos Militares, como pelo Comitê Olímpico Internacional.
As primeiras medalhas foram distribuídas na prova da maratona feminina, onde a norte-coreana Kum Ok Kim conquistou a medalha de ouro[1]. A primeira medalha do Brasil, país-sede dos Jogos, foi a prata para a nadadora Joanna Maranhão na prova dos 800 m livre, enquanto que o primeiro ouro saiu para o também nadador Fernando Silva, nos 50 m livre[2].

O quadro

     País sede destacado.
 Ordem  País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  China 5 3 5 12
2 Brasil 4 2 1 7
3  Itália 1 4 2 7
4  Alemanha 1 3 1 5
5  França 1 1   2
6 Coreia do Norte 1     1

Equador 1     1
8  Turquia   1   1
9 Namíbia     1 1

 Finlândia     1 1

 Quênia     1 1

Suíça     1 1
TOTAL 14 15 14 43

Referências

  1. Dobradinha francesa na maratona dos Jogos Mundiais Militares (em português). Jornal do Brasil (17 de julho de 2011). Página visitada em 17 de julho de 2011.
  2. Primeiro ouro do Brasil é de Fernando Silva (em português). Lancenet (17 de julho de 2011). Página visitada em 17 de julho de 2011.
No http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Quadro_de_medalhas_dos_Jogos_Mundiais_Militares_de_2011

Aberta a 5ª edição dos jogos Mundiais Militares

Dilma declara abertos os Jogos Mundiais Militares no Rio

Presidente Dilma Rouseff acompanhou a cerimônia de abertura dos Jogos Militares (Foto: Roberto Stuckert Filho / PR)Do G1 RJ 
O público lotou o Estádio Olímpico João Havelange, o “Engenhão”, no subúrbio do Rio de Janeiro, no início da noite deste sábado (16) para a cerimônia abertura da 5ª edição dos Jogos Mundiais Militares. Por volta das 19h40, a presidente Dilma Rousseff declarou abertos os Jogos.
Presidente Dilma Rousseff acompanhou a abertura dos Jogos Militares (Foto: Roberto Stuckert Filho / PR)
Antes, aviões da Esquadrilha da Fumaça formaram desenhos sobre o estádio, arrancando aplausos do plateia. Diferente das outras cerimônias de abertura, a entrada dos 4 mil atletas, de mais de cem países, foi logo no início do espetáculo. Os brasileiros foram os últimos a entrar. O Brasil será representado em 20 modalidades esportivas.

A presidente Dilma Rousseff se encontrou com Pelé durante a cerimônia (Foto: Roberto Stuckert Filho / PR)Cerca de 1,2 mil crianças de escolas públicas ensaiaram por mais de dois meses para a cerimônia de abertura. A participação das crianças na abertura dos jogos teve um motivo especial: elas simbolizaram os “sonhos de paz”, um dos temas do evento. O espetáculo exaltou as riquezas do Brasil, como a água, os animais e a floresta amazônica.
A presidente Dilma Rousseff se encontrou com Pelé durante a cerimônia (Foto: Roberto Stuckert Filho / PR)
Além da presidente Dilma Rousseff, o ministro da Defesa Nelson Jobim e o ministro dos Esportes Orlando Silva também estiveram presentes na abertura. A pira olímpica foi acessa por Pelé, que foi escolhido por ser o atleta do século 20 e por ter jogado na seleção militar no início da sua carreira representando as Forças Armadas.
 
No http://dilma13.blogspot.com/2011/07/dilma-declara-abertos-os-jogos-mundiais.html#more

Dilma, a caçadora de marajás

O COMBATE À CORRUPÇÃO COMEÇA DE CIMA


RETIRADO DO BLOG DO NASSIF
Por Adamastor - Do Correio do Brasil
Estilo Dilma mostra aversão da presidenta à corrupção endêmica no Brasil.
A presidenta Dilma procurou conhecer detalhes da história sobre o tráfego de propina no Ministério dos Transportes
Passado meio ano de sua posse, a presidenta Dilma Rousseff tem procurado mostrar o seu estilo de lidar com a corrupção, fenômeno criminal endêmico capaz de colocar o país entre os mais subdesenvolvidos do mundo quando o assunto é o desvio de recursos públicos para fins escusos. Os episódios que levaram à queda de Antonio Palocci, então ministro-chefe da Casa Civil, um dos mais altos cargos do governo, em seguida à renúncia do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, após denúncias de envolvimento com licitações fraudadas e formação de quadrilha.

Embora no primeiro caso o Palácio do Planalto tenha procurado oferecer uma espécie de blindagem ao ministro Palocci, até que a situação dele ficou insustentável, no episódio que envolve o Ministério dos Transportes a atitude foi outra. Dilma determinou uma investigação rasa e veloz o suficiente para mostrar a forma como pretende lidar com futuras ocorrências ligadas à corrupção em seu governo.
Especialistas ouvidos por jornalistas confirmam o retrato da mulher dura e tenaz, construído ao longo dos anos em que exerceu o posto de ministra-chefe da Casa Civil, no governo Lula. Agora, eleita para governar o Brasil até 2014, a presidenta mostra sua intolerância à corrupção e à falta de ética de seus comandados.
Para o catedrático de Ética e Filosofia Política da Universidade de São Paulo (USP), Renato Janine Ribeiro, consolidar sua identidade será essencial para que a presidenta mostre que tem nas mãos um governo com marca própria.
– O que está em jogo é: ela vai ter uma personalidade própria ou não? Ela tem mesmo que descartar rapidamente as pessoas que estiverem ruins. Ou ela consegue fazer uma consolidação significativa, no sentido de se mostrar como um nome poderoso, capaz de encontrar os caminhos dela, ou então vai ficar muito apagada.
Já o pesquisador Celso Roma, doutor em Ciência Política pela USP, destaca que o afastamento do diretor-executivo do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte), José Henrique Sadok de Sá, ocorrido nesta sexta-feira, foi mais uma pronta resposta do governo a denúncias de corrupção envolvendo a cúpula do Ministério dos Transportes.
– Até este momento, a presidente Dilma deu sinais claros de que será pouco tolerante com escândalos de corrupção em seu governo. Discrição no estilo de governar e firmeza contra a corrupção se revelaram as principais marcas dos primeiros seis meses do governo.
Fontes do Palácio do Planalto revelaram que a ordem para a saída de Sadok de Sá foi da própria presidente. O funcionário vinha respondendo pela direção do órgão na ausência de Luiz Antonio Pagot, que também já havia sido afastado por determinação de Dilma. Para Roma, a rapidez para tirar servidores citados em investigações e conter polêmicas que atrapalhem o andamento do governo pode garantir à presidente a manutenção de seus bons níveis de popularidade e aprovação popular.
– O resultado das pesquisas de opinião realizadas após o afastamento de Palocci comprova esse ponto – afirmou.
Pesquisa realizada em junho pelo Instituto Datafolha, logo após o desfecho do caso Palocci, revelou a avaliação positiva do governo apesar da turbulência. De acordo com o instituto, 49% dos entrevistados consideravam a gestão Dilma como ótima ou boa. Em março, esse índice era de 47%.
Identidade
Para Janine Ribeiro, outro fator essencial que deve ser levado em conta pela presidente para construir sua identidade é a capacidade de comunicação. Neste ponto, diz ele, Dilma se diferencia muito de seus dois antecessores: Lula e o tucano Fernando Henrique Cardoso, ambos mais falantes do que ela.
– Acho que ela ficou calada um pouco demais. Agora está falando mais, e isso é um grande ganho. Ela vai ter que conquistar as pessoas pela fala. O regime democrático exige que a pessoa fale muito, e isso é uma coisa que ela vai ter que fazer cada vez mais, até para as pessoas sentirem que a presidente chega a elas.
Já Roberto Romano, professor do Departamento de Filosofia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), não vê prejuízos na discrição de Dilma. Trata-se, segundo ele, de uma característica natural da presidente.
– Ela tem um estilo próprio, moldado durante muito tempo pela militância que ela teve na esquerda. Na esquerda, ela era obrigada ao sigilo, à discrição e ao anonimato devido à repressão do regime militar. Então, ela aprendeu a não falar em demasia.
Para o especialista, em períodos mais conturbados, como os ocorridos neste primeiro semestre, o estilo de Dilma acaba sendo benéfico, porque evita exposições desnecessárias e minimiza o risco de declarações precipitadas e gafes.
– Ela tende a primeiro analisar e imediatamente traçar metas para a solução. Acho que essa atitude de mais recato a resguarda mais que se ela começasse a utilizar o verbo para cima e para baixo do Brasil, à maneira de seus antecessores – concluiu. Fonte: Correio do Brasil
No http://dilma13.blogspot.com/2011/07/o-combate-corrupcao-comeca-de-cima.html#more

Ideli Salvatti, ministra de Relações Institucionais, prioriza reforma tributária

Ideli coloca reforma tributária fatiada como prioridade do segundo semestre

São Paulo - A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, deixou claro que a reforma tributária, ainda que fatiada, deve ser uma das prioridades do governo da presidenta Dilma Rousseff no segundo semestre deste ano. A jornalistas em Florianópolis (SC), ela fez um balanço dos primeiros seis meses de governo e enumerou os pontos contemplados na proposta de mudanças no sistema de cobrança de impostos no país.
A expectativa do Executivo é formular as mudanças nos próximos meses. Entre as medidas em estudo estão o fim da possibilidade de redução e de isenção do Imposto sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) com o intuito de atrair empresas. A medida visa a impedir a guerra fiscal entre estados em disputa por grandes empresas. O objetivo final seria criar uma alíquota única, chamada de ICMS interestadual, o que simplificaria a estrutura tributária do país.

"Também iremos criar dois fundos de compensação para quem for prejudicado com a reforma. O fundo de compensação do ICMS e o fundo de desenvolvimento regional", disse. Os "prejudicados" seria estados e municípios que tivessem arrecadação reduzida pelas mudanças.
Em relação à desoneração da folha de pagamento, Ideli não entrou em detalhes. A medida discutida entre os ministérios da Fazenda e da Previdência Social envolve retirar ou reduzir a contribuição patronal do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A perda de receita seria compensada por outro tributo, mas o modelo não tem ainda consenso entre as pastas.
Discute-se a possibilidade de tributação sobre o lucro das empresas, ou a criação de uma nova forma de imposto sobre o cheque – a exemplo de como funcionava a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), extinta em 2007. Por ainda haver temores de perdas por parte do INSS, a medida deve ser adiada.
Permeável
Na mesma entrevista, Ideli falou ainda sobre os riscos de a crise econômica pela qual passam países a Grécia e os Estados Unidos. Ela sustenta que o Brasil está forte e protegida em boa situação, mas não é "impermeável". Por isso, o governo acompanha com atenção as negociações entre o presidente norte-americano e o Congresso do país para elevar o teto da dívida pública. "Há uma permanente vigília da equipe econômica para tomar as medidas necessárias", afirmou a ministra.
A Casa Branca busca acordo com a oposição republicana até dia 2 de agosto. Atualmente o limite de endividamento é de US$ 14,3 trilhões, equivalente a mais de 90% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todas as riquezas produzidas pelo país em um ano. Caso a expansão do limite não seja garantida, os EUA não teriam condições de rolar a dívida com vencimento no início do próximo mês.
Com informações da Reuters
 
No http://dilma13.blogspot.com/2011/07/ideli-coloca-reforma-tributaria-fatiada.html#more

domingo, 17 de julho de 2011

Continue Bela, Fortaleza!

Perversa combinação

Luiz Edgard Cartaxo de Arruda Jr - Memorialista
Camarada Clóvis. Não atrevas macular vitórias libertárias da Fortaleza Bela. Estás a faltar com a verdade. Que intimidade com os concessionários do transporte público tem Luizianne Lins? Seria essa intimidade que mantém, durante sete anos, a passagem de ônibus em Fortaleza uma das mais baratas do Brasil? A que criou a Tarifa Social, a Hora Social e a gratuidade para pessoas com deficiência?
Que aproximação é essa com empreiteiros e empresários que a sua leitura vê? A prefeita Luizianne não permitiu o estaleiro onde eles queriam construir, maculando a nossa orla e o povo do Mucuripe. Pelo contrário. Sua gestão garantiu a área de preservação ambiental na Sabiaguaba e o plano diretor de Fortaleza foi feito por maioria popular.

As obras que estão espalhadas por toda Fortaleza garantirão um futuro melhor e mais humano para nossa cidade, como é o caso dos Cucas e do Hospital da Mulher. E, muitas destas obras são decididas pela população, nas assembleias do Orçamento Participativo, pois esta é uma gestão que escuta o povo.
Podia até concordar, em parte, com tua visão sobre as festas, mas fazes leitura torpe. É graças a este calendário cultural que Fortaleza é hoje o maior destino turístico do Nordeste e o quarto do País.
Antes de Luizianne, Fortaleza não tinha Réveillon. Agora, temos o segundo maior do Brasil. O aniversário da cidade está incluído no calendário como data magna e é também resgate, auto–estima, consciência, cidadania, história e cultura.
Aliás, a bem da verdade, em respeito ao Réveillon da Fortaleza Bela: o maior lucro que a cidade recebe é a paz. Ano a ano este fica maior e mais pacífico, contrariando a combinação perversa de que multidão rima com violência. Hoje, o Réveillon de Fortaleza caminha para virar ícone da paz mundial. Fonte: Jornal O Povo.
No http://dilma13.blogspot.com/2011/07/perversa-combinacao.html#more

Lula X FHC: "Uma questão de competência..."

Anos de governo de Fernando Henrique Cardoso:

Na época em que era presidente, FHC encomendou uma pesquisa para saber a quantas andava a opinião do povo sobre seu governo. Quando chegou o resultado, o pesquisador foi logo dizendo:
- Presidente, tenho duas notícias. Uma boa e outra ruim.
O presidente então lhe diz:
- Quero primeiro as boas notícias.
O pesquisador então diz:
- Presidente, o povo esta dividido. 50% de otimistas e 50% de pessimistas.
O presidente vira para o pesquisador e diz:
- Vamos primeiro às boas noticias. O que estão dizendo os otimistas?
- Bem, os otimistas estão dizendo que se as coisas continuarem assim, o povo brasileiro logo vai ter que comer merda.
- Os otimistas??? - grita logo o presidente. - Então, o que dizem os pessimistas??
- Bom - responde o pesquisador - Os pessimistas dizem que se as coisas continuarem assim, a merda não vai dar para todos!!
Enviado pelo internauta anônimo para o Blog da Dilma.
 
No http://dilma13.blogspot.com/

Primeira PresidentA do Brasil manda construir primeiro submarino brasileiro

sexta-feira, 15 de julho de 2011