terça-feira, 31 de julho de 2012

Ator Caio Blat detona REDE GLOBO

William Shakespeare: "É uma infelicidade da época, que os doidos guiem os cegos."

"Ela (Andressa) me procurou, no meu gabinete, e disse ter em seu poder um dossiê, preparado por jornalista de uma publicação de repercussão nacional", disse o juiz à pessoas que trabalham em seu gabinete, na 11a. Vara Federal. "Ela disse, ainda, que se decidisse pela liberdade do Carlinhos Cachoeira, esse dossiê não seria publicado".



domingo, 29 de julho de 2012

“Em nome de todos brasileiros, quero parabenizar os dois atletas pela brilhante conquista. O Brasil comemora a vitória de seus atletas e o governo se orgulha de ter contribuído para essa conquista com o Programa Bolsa Atleta, que vem tendo importante papel na profissionalização de nossos esportistas”. Presidenta Dilma

Ouro em Londres:
Sarah Menezes e o Bolsa Atleta

A vitória da judoca Sarah Menezes é das mais significativas.

Sarah Menezes: o primeiro ouro na história do judô feminino (Foto: Agência AFP)


O Conversa Afiada reproduz texto de Altamiro Borges no Blog do Miro:

Sarah Menezes e o Bolsa Atleta



Por Altamiro Borges

A judoca Sarah Menezes conquistou neste sábado a primeira medalha de ouro do Brasil nas Olimpíadas de Londres. A vitória é das mais significativas. É o primeiro ouro na história do judô feminino, o terceiro no judô em geral e o segundo das mulheres brasileiras em esportes individuais. Ela também é muito significativa por ter sido conquistada por uma esportista que se projetou graças ao programa Bolsa-Atleta do Ministério dos Esportes. É um cala-boca nos neoliberais que criticam a “gastança pública” dos governos Lula e Dilma.

Natural de Teresina, capital do Piauí, a jovem atleta de apenas 22 anos teve muitas dificuldades na sua carreira. Teve que enfrentar os obstáculos financeiros de uma família pobre e até o preconceito contra um esporte considerado masculino pelo seu pai. O programa Bolsa-Atleta viabilizou sua persistência no esporte e nos estudos. Atualmente, ela cursa o quinto período do curso de Educação Física e continua a treinar na sua cidade natal. Hoje, inclusive, ela já conta com três patrocínios privados para os seus treinamentos.

Orgulho dos brasileiros

Feliz com o ouro olímpico, Sarah declarou que sempre acreditou no seu potencial e esforço. “Sei que sou um exemplo no judô porque não sou dos grandes centros. E serei ainda mais depois disso… Acho que as coisas vão melhorar tanto para mim quanto para a minha família. Financeiramente vai melhorar. E também para quem treina comigo”, declarou, emocionada, logo após a vitória.

A presidenta Dilma parabenizou Sarah Menezes e também Felipe Kitadai, que conquistou a medalha de bronze no judô. “Em nome de todos brasileiros, quero parabenizar os dois atletas pela brilhante conquista. O Brasil comemora a vitória de seus atletas e o governo se orgulha de ter contribuído para essa conquista com o Programa Bolsa Atleta, que vem tendo importante papel na profissionalização de nossos esportistas”.
No http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/07/29/ouro-em-londres-sarah-menezes-e-o-bolsa-atleta/

sábado, 28 de julho de 2012

"Dilma Rousseff vem conquistando atenção como primeira mulher a ocupar a Presidência do Brasil, e os brasileiros de Londres estão aproveitando as oportunidades que esse destaque oferece."

Dilma e a Rainha da Inglaterra (Foto: Agência AFP)
Dilma Rousseff conversa com a Rainha Elizabeth, da Inglaterra, em Londres (Foto: Agência AFP)

A visão estrangeira se choca com as manipulações da imprensa corruupta brasileira

Kenneth Maxwell
Dilma em Londres
Dilma Rousseff está em Londres para a abertura da Olimpíada. Ela visitou o primeiro-ministro David Cameron em sua residência oficial. Antes de participar da cerimônia de abertura dos jogos no Estádio Olímpico, amanhã, ela estará em uma recepção oferecida pela rainha Elizabeth 2ª no Palácio de Buckingham.
Os jogos deverão receber 110 chefes de Estado nos próximos 17 dias. Como o Rio de Janeiro será sede da Olimpíada de 2016, Cameron também acredita que o Brasil ofereça boas perspectivas aos negócios britânicos. Uma "conferência de cúpula brasileira" foi marcada pelo governo britânico para 10 de agosto.
Dilma Rousseff vem conquistando atenção como primeira mulher a ocupar a Presidência do Brasil, e os brasileiros de Londres estão aproveitando as oportunidades que esse destaque oferece.
A nova embaixada brasileira foi inaugurada recentemente na rua Cockspur, perto de Trafalgar Square. Dilma vai visitar o Museu de História Natural, onde se reunirá com o professor Stephen Hawking, da Universidade de Cambridge. O cientista sofre de uma doença degenerativa dos nervos e se comunica via sintetizador de voz.
Dilma está promovendo a iniciativa Ciência sem Fronteiras, programa que enviará, nos próximos quatro anos, 100 mil pesquisadores brasileiros para estudar no exterior. A presidente ainda assinará um acordo com o Reino Unido para a participação de universidades britânicas no programa.
A Somerset House, que recebe o Comitê Olímpico Brasileiro durante os jogos de Londres, montou uma exposição chamada Casa Brasil. Esta se estenderá até 12 de setembro e apresentará arte e design contemporâneos de mais de 30 participantes brasileiros. O curador é o brasileiro Rafael Cardoso e o projeto gráfico é de Daniela Thomas e Felipe Tassara. Também haverá uma mostra com filmes brasileiros.
A Somerset House fica entre o Strand e o rio Tâmisa, perto da ponte de Waterloo. Originalmente, era uma mansão Tudor construída pelo duque de Somerset. A edificação original, de 1775, foi demolida para a construção do primeiro edifício de escritórios projetado para essa finalidade em Londres.
A Somerset House é uma grande estrutura neoclássica em estilo Palladium, com um belo pátio central e amplos terraços com vista para o Tâmisa. Fica ao lado do King's College, parte da Universidade de Londres -que abriga o novo Brazil Institute, comandado pelo brasilianista Anthony Pereira, professor educado na Inglaterra e em Harvard e que, até recentemente, lecionava na Universidade de Tulane.
Um momento nada ruim para o Brasil no Reino Unido.
KENNETH MAXWELL
No http://aposentadoinvocado1.blogspot.com.br/

quarta-feira, 25 de julho de 2012

"Hereda destacou que o Construcard pode ser usado em mais de 65 mil estabelecimento no país. Os interessados, no entanto, devem ter conta-corrente na Caixa para acessar o financiamento. "

Caixa corta juros para material de construção Governo amplia estímulos ao consumo visando sustentar a retomada do crescimento


Caixa corta juros para material de construção Governo amplia estímulos ao consumo visando sustentar a retomada do crescimento

DECO BANCILLON

Prazo de pagamento de produtos destinados à reforma da casa ou do apartamento passa de 60 para 96 meses (Igo Estrela/Esp. CB/D.A Press - 10/6/08)
 

Prazo de pagamento de produtos destinados à reforma da casa ou do apartamento passa de 60 para 96 meses
O governo decidiu dar um estímulo a mais ao consumo, com o intuito de reativar a frágil economia do país. Por determinação do Palácio do Planalto, a Caixa Econômica Federal reduziu as taxas de juros cobrada nos financiamentos por meio do Construcard e ampliou os prazos de pagamento. Segundo o banco, a partir de hoje, quem tomar empréstimos para a construção ou a reforma da casa ou do apartamento pagará encargos entre 1,4% e 1,85% ao mês, dependendo do total de prestações. Até então, as taxas variavam entre 1,96% e 2,35% mensais.

Em vez de 60 meses, os financiamentos poderão chegar a 96 parcelas, diluindo o valor a ser desembolsado, uma forma de encaixar melhor as parcelas no orçamento das famílias já endividadas. O presidente do banco, Jorge Hereda, destacou que a redução dos custos ao tomador “tem como principais pilares oferecer as melhores taxas do mercado e facilitar o acesso ao crédito. Para os comerciantes, o estímulo vem em boa hora, uma vez que as vendas de materiais de construção andam em baixa.

Além de reforma e construção, o Construcard pode ser usado para a compra de móveis embutidos, como armários e cozinhas, e sistemas de aquecimento solar. A Caixa informou que dispõe de R$ 5 bilhões para essa linha de crédito até o fim do ano. O valor corresponde a um terço do montante contratado por 1,2 milhão de famílias nos últimos 14 anos, totalizando R$ 15 bilhões.

Hereda destacou que o Construcard pode ser usado em mais de 65 mil estabelecimento no país. Os interessados, no entanto, devem ter conta-corrente na Caixa para acessar o financiamento. Não há limite máximo para o valor liberado pelo banco. O montante dependerá da capacidade de pagamento mensal do cliente. Para os correntistas da Caixa, em muitos casos, o limite pode estar pré-aprovado, bastando fazer a opção pela contratação com o gerente.

A redução dos juros pelos bancos públicos tem sido uma
constante em 2012. Após a presidente Dilma Rousseff ter afirmado que, no Brasil, “os spreads (diferença entre o que pagam aos investidores e o que cobram dos devedores) são muito altos”, houve um movimento de barateamento dos empréstimos e financiamentos — ainda longe do ideal. O governo acredita que há muito espaço para mais cortes, inclusive entre as instituições controladas pelo Tesouro Nacional.

Ela de novo: a rainha do peroba e, também, da abobrinha.

Esposa de Cachoeira: 'Que mal ele fez à União, às pessoas?'

Cachoeira vai questionar escutas da PF ao depor na Justiça Federal

Esposa volta a chamá-lo de preso político: 'que mal esse homem fez ao Estado, às pessoas?'

Jailton de Carvalho
Vinicius Sassine

Andressa Mendonça, esposa do bicheiro Carlinhos Cachoeira, na sede da Polícia Federal, em Goiânia, onde o contraventor aguarda julgamento Foto: Agência O Globo / Extra
Andressa Mendonça, esposa do bicheiro Carlinhos Cachoeira, na sede da Polícia Federal, em Goiânia, onde o contraventor aguarda julgamento Agência O Globo / Extra
GOIÂNIA - O bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, deve questionar em depoimento à Justiça Federal de Goiás, na quarta-feira, a validade das escutas telefônicas das operações Monte Carlo e Vegas, da Polícia Federal. A série de depoimentos deve começar a partir das 11h desta terça feira na Justiça Federal em Goiânia, com o interrogatório de testemunhas de acusação. Cachoeira e outros réus deverão ser interrogados amanhã.
— As escutas foram longe demais — disse Dora Cavalcanti, uma das advogadas de Cachoeira.
Andressa Mendonça, esposa do contraventor, voltou a afirmar que considera o marido um "preso político":
— Que mal esse homem fez ao Estado, à União, às pessoas? Ele é uma pessoa maravilhosa que só ajuda as pessoas. — desabafou, após sair da sala de interrogatório para uma rápida entrevista.

Cachoeira foi examinado na noite de segunda-feira e o laudo aponta que o bicheiro tem condições de prestar de depoimento, e não tem problemas psicológicos que o impeçam de ser interrogado, conforme revelou o site do GLOBO.
O teste foi feito a pedido dos advogados de defesa. Apesar do resultado, eles alegam que Cachoeira "não está bem"
— Ele está extremamente debilitado, é uma pessoa abalada, está tomando medicamentos — informou Dora.
Advogados de outros réus vão tentar ainda adiar as audiências previstas para esta terça e quarta-feira. Eles pedem ao juiz Alderico Rocha Santos que inclua na lista de pessoas a serem interrogadas outros 73 réus também acusados de envolvimento com Cachoeira. São pessoas acusadas de envolvimento com o bicheiro, mas que tiveram o processo desmembrado do caso principal.
— Todos os réus deveriam estar aqui — disse Leonardo Gagno, advogado do araponga Idalberto Matias de Araújo, o Dadá

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/cachoeira-vai-questionar-escutas-da-pf-ao-depor-na-justica-federal-5565443#ixzz21YQlkWlk


Não, ministra, julgamento de acordo com as provas. Julgamento técnico, OK?!

Opinão pública julgará STF sobre mensalão, diz Calmon...


A ministra Eliana Calmon, corregedora nacional da Justiça, afirmou ontem que o Supremo Tribunal Federal (STF) será julgado pela opinião pública ao analisar o processo do mensalão a partir do dia 2 de agosto. "Há por parte da Nação uma expectativa muito grande e acho também que o Supremo está tendo o seu grande julgamento ao julgar o mensalão", disse ela pouco antes de fazer uma palestra no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.
(...)
"Não é que o Supremo vá se pautar pela opinião pública, mas todo e qualquer poder, no regime democrático, também se nutre da confiabilidade daqueles a quem ele serve", completou ela.
Indagada se a pressão pública pode influenciar o resultado, Eliana afirmou: "O Supremo não se deixa muito influenciar pela opinião popular, ele sempre se manteve meio afastado. Mas começamos a verificar que já não é com aquela frieza do passado."
"Hoje, eles (os ministros) têm sim uma preocupação porque o País mudou e a população está participando", afirmou a corregedora da Justiça. "A imprensa influencia, mas a opinião pública também está sendo formada pelas redes sociais. É uma participação mais efetiva. Não é ninguém que está fazendo a cabeça da população, ela se comunica entre si, isso tem causado a sensibilidade do Supremo", completou.
(...)
Reações
O advogado do empresário mineiro Marcos Valério Fernandes de Souza, apontado pela Procuradoria-Geral da República como o operador do mensalão, reagiu às declarações da corregedora. "Nas minhas alegações finais eu faço um comentário sobre a publicidade opressiva que cerca este processo e faço um pedido ao STF: que julgue de acordo com a prova dos autos, agrade ou não a opinião pública", disse Marcelo Leonardo. "Eu prefiro ficar com a frase de um ex-ministro do STF, quando o tribunal julgou e absolveu Fernando Collor. Ele disse que o Supremo não era um órgão de opinião pública", afirmou o advogado.

Já José Luís Oliveira Lima, que defende José Dirceu, minimizou as declarações. "Não entendo a frase da ministra como uma politização do julgamento, ela falou o óbvio", disse. "Os ministros são os mais experientes magistrados do País e saberão lidar com tranquilidade diante de qualquer tipo de manifestação." As informações são do jornalO Estado de S.Paulo.
Matéria completa:

"A pergunta que não quer calar: quem vai pagar pelo que essa senhora sofreu?"

Vítima de Veja e Folha...

Vítima de Veja e Folha, Erenice é inocentada

Em plena campanha eleitoral, ela foi derrubada por reportagem de Veja que dizia que funcionários do Planalto recebiam propina dentro da Casa Civil e por outra da Folha que apontava lobby bilionário no BNDES em favor de um estranho personagem chamado Rubnei Quícoli; era tudo mentira
Tida como braço direito e “irmã” da presidente Dilma Rousseff, a ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, foi alvo de um tiroteio pesado durante a campanha presidencial de 2010. Contra ela, havia canhões apontados pela revista Veja e pela Folha de S. Paulo.
Da Abril, partiu uma das mais estranhas reportagens da história recente. Chamava-se “Caraca, que dinheiro é esse?” e relatava entregas de pacotes de até R$ 200 mil, dentro da Casa Civil, que era comandada por Erenice Guerra. Tudo a partir de relatos em off. Eurípedes Alcântara, publicou até um editorial chamado “O dever de publicar”, em que afirmava que o papel da imprensa era ter coragem de noticiar – mesmo que pudesse vir a ser acusada de tentar influir em resultados eleitorais. Mais recentemente, soube-se que Veja engavetou uma entrevista com José Roberto Arruda, também no período eleitoral, porque o ex-governador do Distrito Federal acusava o ex-senador Demóstenes Torres de tentar obter vantagens no GDF.
Da Folha, as acusações também foram inacreditáveis. Um sujeito que se apresentava como consultor, chamado Rubnei Quícoli, mas tinha extensa ficha criminal, afirmava que o filho de Erenice lhe cobrava uma propina de 5% para liberar um empréstimo bilionário no BNDES para uma empresa de fundo de quintal.A propósito, Rubnei confessou, recentemente, que recebeu dinheiro da Veja para acusar o PT e Dilma.
Para evitar danos maiores à campanha presidencial, Erenice Guerra foi demitida, ainda que as acusações fossem totalmente inconsistentes.
Nesta quarta-feira, no entanto, a mesma Folha que ajudou a derrubá-la noticia que o inquérito foi arquivado pela Justiça Federal. O motivo: falta de provas.
Este caso chegou até a ser abordado pelo ex-presidente Lula, numa crítica recente ao comportamento eleitoral de parte da imprensa. “Erenice foi execrada, acusada de tudo quanto é coisa”, disse ele. “Quando terminou a campanha, o acusador em Campinas retirou a acusação na primeira audiência e a imprensa, que a massacrou, não teve coragem sequer de pedir desculpas à companheira Erenice”.
Na reportagem desta quarta-feira, a Folha reconhece que “o escândalo tirou votos de Dilma e acabou contribuindo para levar a eleição ao segundo turno”.
Resta, agora, à Erenice botar para foder na Veja, na TV Globo, no Estadão, na Folha para cobrar danos morais pelo mal que o PiG causou a ela, a seus familiares e parentes.É chegada a hora de o PT perder o medo e convidar Civita, Frias, Marinho, Mesquita para prestarem depoimentos na CPMI do Cachoeira.O PiG não pode viver eternamente impune.

O PiG esconde e o Terror mostra:Justiça Federal arquiva processo contra Erenice Guerra

O Portalão Uol colocou a matéria bem escondidinha, o Estadão e a Veja sequer tocaram no assunto, mas a blogosfera formiguinha foi atrás e encontrou a matéria. A pergunta que não quer calar:quem vai pagar pelo que essa senhora sofreu?

Um ano e sete meses depois de aberto, o inquérito que apurou tráfico de influência na Casa Civil durante a gestão da ex-ministra Erenice Guerra foi arquivado pela Justiça Federal.O advogado Mário de Oliveira Filho afirmou à Folha que a Justiça não encontrou provas de que sua cliente e familiares cometeram crime.
O juiz Vallisney de Souza Oliveira, que determinou o arquivamento, não foi encontrado pela reportagem para comentar o assunto. A Justiça Federal em Brasília também não informou o conteúdo da decisão.
O Ministério Público Federal no Distrito Federal e a Polícia Federal que, segundo o advogado, acompanharam a decisão do juiz, não se pronunciaram.
Erenice perdeu o cargo de ministra da Casa Civil em 2010, em meio à disputa presidencial. A queda ocorreu no dia em que a Folha revelou que ela recebeu no gabinete um empresário e o orientou a contratar a consultoria do seu filho para conseguir um empréstimo no BNDES.

"Dê no que der, certo é que daqui pra frente qualquer categoria que vier deflagrar alguma greve vai se lembrar do que aconteceu neste 2012, com esses valentes professores."


“Valentes e bem ousados” – José Medrado destaca garra dos professores em artigo do Jornal A Tarde

25 DE JULHO DE 2012 0

Enquanto alguns veículos de comunicação apostam e alardeiam sobre um racha interno no movimento grevista, o mestre em família pela Ucsal, líder espírita  e fundador da Cidade da Luz, José Medrado, prefere destacar a garra e ousadia dos professores que resistem  bravamente e que segundo ele, “estão fazendo história” servindo de exemplo e modelo para outras classes de trabalhadores em todo o país.

Leia o artigo “Greve e Valentia” publicado na edição impressa do Jornal A Tarde, desta quarta-feira, 25 de julho, na página A3 – Opinião.


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Jaques Wagner, O Tirano

BAHIA. 100 DIAS EM GREVE. CATEGORIA ENCERRA ASSEMBLEIA SOB A AMEAÇA DE OPERAÇÃO POLICIAL. PROFESSORES PERMANECEM NA AL-BA.


O governador Jaques Wagner, ex-sidicalista, iniciou sua atividade política a partir de 1968 no movimento estudantil, quando presidiu o diretório acadêmico da Faculdade de Engenharia da Pontifícia Universidade Católica (PUC). Entretanto, em 1973, Jaques Wagner passou a ser perseguido pela ditadura militar e teve que abandonar o curso de Engenharia, que nunca completou. Hoje Wagner demonstra ter aprendido bem a lição dos seus perseguidores, pois na greve dos professores cortou salários, plano de saúde, cesta do povo (supermercado do estado onde servidores compram pra descontar em folha no final do mês) e continua irredutível.


Professor: ainda o pior salário


Tabulações feitas pelo O Globo nos microdados do Censo do IBGE mostram que a renda média de um professor do ensino fundamental equivalia, em 2000, a 49% do que ganhavam os demais trabalhadores também com nível superior. Dez anos depois, esta relação aumentou para 59%. Entre professores do ensino médio, a variação foi de 60% para 72%.
Apesar do avanço, o censo revela que as carreiras que levam ao magistério seguem sendo as de pior desempenho. Entre as áreas do ensino superior com ao menos 50 mil formados na população, os menores rendimentos foram verificados entre brasileiros que vieram de cursos relacionados a ciências da Educação — principalmente Pedagogia e formação de professor para os anos iniciais da educação básica.
Em seguida, entre as piores remunerações, aparecem cursos da área de religião e, novamente, uma carreira de magistério: formação de professores com especialização em matérias específicas, onde estão agrupadas licenciaturas em áreas de disciplinas do ensino médio, como Língua Portuguesa, Matemática, História e Biologia.
Pagar melhor aos professores da educação básica, no entanto, é uma política que, além de cara, tende a trazer retorno apenas a longo prazo em termos de qualidade de ensino. A literatura acadêmica sobre o tema no Brasil e em outros países mostra que a remuneração docente não tem, ao contrário do que se pensou durante muitos anos, relação imediata com a melhoria do aprendizado dos alunos.
No entanto, o achatamento salarial do magistério traz sérios prejuízos a longo prazo. Esta tese é comprovada por um relatório feito pela consultoria McKinsey, em 2007, que teve grande repercussão internacional ao destacar que uma característica dos países de melhor desempenho educacional do mundo — Finlândia, Canadá, Coreia do Sul, Japão e Singapura — era o alto poder de atração dos melhores alunos para o magistério.
— Não dá para imaginar que, dobrando o salário do professor, ele vai dobrar o aprendizado dos alunos. O problema é que os bons alunos não querem ser professores no Brasil. Para atrair os melhores, é preciso ter salários mais atrativos — afirma Priscila Cruz, diretora-executiva do Todos Pela Educação.
O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin de Leão, concorda com o diagnóstico da baixa atratividade da profissão
Leia mais http://oglobo.globo.com/educacao/professor-ainda-pior-salario-4954397

Postado por Domingos Moeda
 
No http://domingosmoeda.blogspot.com.br/

quinta-feira, 12 de julho de 2012

DEM DEMóstenes, já vai tarde!


Charge postada no http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br

O ex-demo Demóstenes Torres teve seu mandato de senador cassado por 56 votos a favor, 19 contra e 5 abstenções.

terça-feira, 10 de julho de 2012

"ISSO É UM ESCÂNDALO!!! SOCIEDADE BAIANA, MEUS COLEGAS DA REDE ESTADUAL, TEMOS QUE TOMAR PROVIDÊNCIA CONTRA ESSA VAGABUNDAGEM. OS PROFESSORES E PROFESSORAS DA BAHIA SÃO DIGNOS. ESSE É O MAIOR DESRESPEITO QUE ESTAMOS SENDO ALVO EM TODA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BAIANA."

Meus amigos,

Muito importante...real!!! ( Manifesto da professora Rubina)

Na Bahia tem duas categorias de colégios: os classificados como Modelo e os que não são.
Surge agora uma grife... professor de ponta
"Pense num absurdo...na Bahia tem precedente"


Edinilza Azevedo

Por hora-aula os professores da rede Estadual da Bahia recebem apenas R$8,40. Numa ação oportunista, os professores de Jorge Portugal, contratados sem licitação pelo governo do Estado, receberão R$250,00 por hora de explanação. O argumento de Portugal é que eles são professores de ponta.
Tal situação merece um desabafo:

ISSO É UMA VAGABUNDAGEM, QUE MERECE UMA AÇÃO ( e não mais palavras) NO MESMO QUILATE.

Portugal é um oportunista agindo numa situação que é o maior escândalo da educação na Bahia. Eu sinto ânsia de vômito quando vejo que tiramos leite de pedra, em escolas sem biblioteca, sem nenhuma estrutura, às vezes até sem piloto, em escolas quentes e o governo investe mais de um milhão em professor da rede privada. E me indigna muito mais, quando aparece um desclassificado desse para dizer que os professores dele é que são os professores de ponta.


Isso é uma vagabundagem. Eu estou enojada, indignada!
Vocês sabem o que é trabalhar com alunos famintos?
Vocês sabem o que é trabalhar com alunos oriundos de famílias pobres, periféricas?
Vocês sabem o que é trabalhar sem rádio, sem televisão, sem episcopio, sem livro?
Vocês sabem o que é trabalhar cultura mundial com aluno que muita das vezes nunca saiu do seu bairro?
Vocês sabem o que é trabalhar sem apostila, módulo, porque a escola não lhe dá papel?
Vocês sabem o que é ser obrigado a fazer apenas uma avaliação escrita por unidade porque o Estado não lhe dá papel?
Vocês sabem o que é comprar piloto com o seu dinheiro porque o Estado só nos dá 2 pilotos por unidade?

Ainda abre a boca para dizer que lá é que existem professores de ponta??? Vocês, professores que Portugal chama de ponta, não passam de covardes oportunistas e demagogos, que nunca pisaram nas perifeiras para fazerem um decente trabalho com alunos carentes, que vivem pregando justiça social em salas com ar condicionado para uma plateia branca burguesa que paga altíssimas mensalidades para ouvi-los e que agora, vergonhosamente, vão encher o bolso de dinheiro às custas de colegas grevistas.

ISSO É UM ESCÂNDALO!!! SOCIEDADE BAIANA, MEUS COLEGAS DA REDE ESTADUAL, TEMOS QUE TOMAR PROVIDÊNCIA CONTRA ESSA VAGABUNDAGEM. OS PROFESSORES E PROFESSORAS DA BAHIA SÃO DIGNOS. ESSE É O MAIOR DESRESPEITO QUE ESTAMOS SENDO ALVO EM TODA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BAIANA.

Como se já não bastasse o desrespeito do governo, ainda temos que ser humilhados com palavras por esse vagabundo oportunista que não faz a mínima noção do que é a realidade de uma escola pública? Eu estou indignada!
Para o senhor, Jorge Portugal e para seus professores, nas latrinas que vocês se tornaram, deixamos o nosso escarro!



Professora Rubina .

Paródia Governo da Bahia - Ferrou o meu Enem


sexta-feira, 6 de julho de 2012

TV APLB: Ministério Público promete mediar conversa entre professores e ...


"Que o teu orgulho e objetivo consistam em pôr no teu trabalho algo que se assemelhe a um milagre." Leonardo da Vinci


  Olá Amigos! Encontrei uma belíssima história, que nos faz refletir sobre quantas vezes deixamos o orgulho calar o nosso amor!

Conta-se que, em algum lugar da China, havia um sábio ancião que decidia questões conjugais. Era ele quem abençoava os casais que queriam se unir e orientava os que estavam se desentendendo, dizendo-lhes se deveriam ou não se separar.

Certa vez, o ancião foi procurado por dois jovens a quem havia abençoado havia alguns anos e que agora falavam em separação. O sábio, percebendo que os dois se amavam, não viu motivo para que desfizessem a união, mas não conseguia convencê-los disso. Então, presenteou-os com uma planta e disse:

— Esta é uma planta muito sensível. Vocês devem deixá-la na sala e, quando ela morrer, poderão se separar.

Assim foi feito: o casal colocou a planta no centro da sala e ficou aguardando “ansiosamente” a sua morte.

Certa madrugada, ambos se flagraram com regadores em punho, cuidando da planta. Naquele dia, amaram-se como nunca.

A planta sensível era, na verdade, a relação dos dois. O amor era forte o suficiente a ponto de acordá-los em plena madrugada. Mas então o que estaria ameaçando aquela união? O orgulho.

O orgulho nos impede de pedir perdão. O orgulho não nos deixa perdoar. O orgulho não nos deixa dizer que ainda amamos…

No http://www.velhosabio.com.br/blog/22/Quando+o+orgulho+cala+o+amor.html


TV APLB: Ministério Público promete mediar conversa entre professores e governo
5 de julho de 2012 
Os professores da Rede Estadual de ensino fizeram na manhã desta quinta-feira, 5 de julho, uma manifestação em frente ao Ministério Público da Bahia, no Centro Administrativo.
A categoria pede que o órgão atue como mediador da greve.


Desde que a greve começou, há quase 90 dias, o governo não demonstrou nenhum interesse em negociar com os professores. Apenas na TV e em programas de rádio o governo diz que está aberto a negociações, porém não responde aos pedidos de audiência solicitados pelo sindicato nem envia algum representante seu para conversar.


No Ministério Público, dois documentos foram entregues ao promotores e procuradores de Justiça pelos representantes dos professores e dos pais de estudantes.
É mais uma tentativa – dentre as inúmeras já feitas – que a APLB-Sindicato faz no sentido de sensibilizar o governo a negociar.



Nohttp://www.aplbsindicato.org.br/estadualeinterior/destaques/tv-aplb-ministerio-publico-promete-mediar-conversa-entre-professores-e-governo/

quinta-feira, 5 de julho de 2012

"Acreditamos que, como as mulheres da Nova Classe Média representam a maioria das mulheres brasileiras, seus valores de brasilidade, presentes inclusive nas formas mais abundantes, prevaleceu nesta pesquisa. O ideal de magreza, nesse sentido, é oriundo das Classes A e B, que se espelham em padrões internacionais, presentes no mundo das passarelas."

Economia

Renato Meirelles

 Renato Meirelles

 

Datapopular

05.07.2012 17:06

Mulheres, carreira, beleza e comportamento

Elas estão em todos os lugares e hoje ocupam profissões que outrora eram predominantemente masculinas. Cuidam do orçamento familiar, da educação dos filhos, da casa e ainda sabe-se lá onde encontram tempo para investir na manutenção da aparência.

Foto: Galeria do Thuany Gabriela/Flickr
A valorização da carreira influenciou a mulher a cuidar mais de si mesma. 
A proporção de mulheres trabalhando com carteira assinada aumentou sensivelmente na última década. Se em 2002, do total da população feminina com idade entre 16 e 60 anos, duas em cada dez estavam trabalhando no mercado formal, neste ano são três em cada dez.
A valorização da carreira influenciou essa mulher a cuidar mais de si mesma. Ela percebeu que para ter destaque no mercado de trabalho precisa estar bem apresentável e isso inclui não apenas uma vestimenta adequada, mas também um cabelo bem cuidado e uma maquiagem bem feita. Cuidar de si mesma melhora a autoestima e consequentemente as deixa mais seguras para encarar uma reunião com o chefe, ambicionar uma promoção e até mesmo mudar de emprego.
Andando pelas grandes cidades não é difícil encontrar mulheres se maquiando em ônibus, metrôs e trens, aproveitando o tempo desperdiçado no trânsito entre suas casas e locais de trabalho. Isso é uma prova inquestionável do que estamos identificando nas pesquisas de comportamento realizadas pelo Data Popular.
Investimento em educação também não é descartado por elas. De um terço das mulheres que costumam guardar algum dinheiro, 40,7% objetivam realizar um sonho pessoal, seja a universidade, o curso profissionalizante ou mesmo a viagem dos sonhos e a realização da cirurgia plástica.
Isto, porque 44,8% das mulheres começam a ultrapassar a zona de peso ideal, segundo o IMC (Índice de Massa Corporal). Entre as hipóteses para esse aumento do sobrepeso e da obesidade está a de que as mulheres estão se alimentado mais fora de casa por conta do trabalho, e muitas vezes falta tempo para o arroz e feijão. Elas acabam optando pela cultura americanizada do fast food, que já chegou ao Brasil há um bom tempo.
Entretanto o seu ideal de beleza não é aquele exibido nas passarelas, através dos corpos esguios das modelos. A mulher brasileira ambiciona um corpo curvilíneo, mas próximo das suas origens; ela valoriza os seus contornos e até acha bonito um volume corporal no quadril, por exemplo.
Num estudo recente, apresentamos três perfis de corpos de mulheres: o da Juliana Paes, Gisele Bündchen e Geisy Arruda, todas sem mostrar seus rostos. O curioso foi identificar que sete entre dez mulheres brasileiras concordaram que o corpo da Geisy era o mais atraente, ou seja, um biótipo mais próximo ao corpo da mulher brasileira.
Juliana, apesar de curvilínea, apareceu mais magra em campanhas recentes, e o corpo da Gisele mal foi citado. Acreditamos que, como as mulheres da Nova Classe Média representam a maioria das mulheres brasileiras, seus valores de brasilidade, presentes inclusive nas formas mais abundantes, prevaleceu nesta pesquisa. O ideal de magreza, nesse sentido, é oriundo das Classes A e B, que se espelham em padrões internacionais, presentes no mundo das passarelas.
Contrastes de percepção de imagem também aparecem quando o assunto é cabelo. Embora o liso e comprido seja preferência nacional, quando separamos essas mulheres pela cor da pele, é nítida a preferência das negras pelos cabelos cacheados, que valorizam mais seu biótipo natural. E se levarmos em consideração que a maioria das mulheres da Nova Classe Média é negra, é possível sentir sua influência no estudo, que também mostra que a importância que estas mulheres dão a produtos de beleza cresceu nos últimos anos.
Embora não sejam as únicas responsáveis pelos gastos com produtos e serviços de beleza e cuidados pessoais, as mulheres determinam grande parte do dinheiro nessa categoria. Neste ano, os brasileiros gastaram 53,5 bilhões de reais com este segmento. Um mercado nada desprezível para as empresas.

No http://www.cartacapital.com.br/economia/mulheres-carreira-beleza-e-comportamento/

“Meu pai só conseguiu realizar isso porque o país está melhor, cada dia supera as expectativas. A crise lá fora não afetou a gente aqui. Isso é um grande avanço. É por isso que dizem que o Brasil é o país do momento.”

Esse é o Brasil que incomoda.

A MAIORIDADE DO REAL 18 ANOS 
"Eu me orgulho de viver num país assim"Alana Kimberly da Silva é a primeira pessoa de sua família a chegar à faculdade. Atribui isso à suada vitória contra a inflação

Marcelo Abreu
Especial para o Correio
 


Estudante, que completou 18 anos com o Real, em 1º de julho, sabe bem as agruras enfrentadas pelos pais com o descontrole de preços (Edilson Rodrigues/CB/D.A. Press - 24/6/12)
Estudante, que completou 18 anos com o Real, em 1º de julho, sabe bem as agruras enfrentadas pelos pais com o descontrole de preços

Ela é linda e encabulada. Linda de cara lavada. O sorriso quase escondido revela ainda mais a beleza da moça esguia de 18 anos. Em tempos de Gabriela Cravo e Canela, a morena brejeira de Jorge Amado, nada mais justo dizer que a moça de Sobradinho II é tão bela quanto. E lá tão lá estava ela, no local marcado, às 10h de uma terça-feira. Na lanchonete do Iesb Norte, na 609 Norte, uma história emocionante. Alana Kimberly da Silva é a prova de que sonhos, num país estável economicamente, podem virar, sim, realidade.
Naquela sexta-feira, daquele 1º de julho de 1994, ela nasceu, no Hospital Regional de Sobradinho. É a mais velha das três irmãs. Antenor José Alves Martins, o pai pizzaiolo, hoje com 40 anos, e Jucineide Gomes Martins, a mãe copeira, 38, acreditaram, mesmo diante de tantas incertezas e da vida difícil que levavam, que a menina teria um futuro diferente. O que era desejo torna-se cada vez mais palpável. Alana é a primeira de toda a família a chegar à faculdade. Cursa Relações Internacionais. Os pais, pelas dificuldades financeiras, não terminaram o ensino médio. “Minha conquista é deles também”, diz, emocionada.

Estudar era prioridade para os pais. Até a 3ª série do ensino fundamental, ela frequentou uma escola particular modesta da região onde mora, com a ajuda de um tio, que pagava a mensalidade. Mas as coisas pioram e o compromisso não pôde mais ser cumprido. Alana foi para uma escola pública, onde ficou até a conclusão do ensino médio. Sabendo das dificuldades que enfrentaria na concorrência com outros candidatos, em decorrência das carências do ensino governamental, não prestou vestibular para a Universidade de Brasília (UnB). “Seria muito difícil pra mim. Fiz vestibular no Iesb, e meu pai disse que a gente daria um jeito para pagar a faculdade”, conta.

Pacto selado. Alana foi aprovada. Festa na casa simples de dois quartos em Sobradinho II, comprada por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida. Como pagar a faculdade? A família recorreu ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), programa do Ministério da Educação, destinado a financiar estudantes de cursos de graduação em instituições particulares. Depois de formada, ela terá um tempo estipulado pelo governo para começar a pagar.

Terminando o primeiro semestre da faculdade, a filha do pizzaiolo também decidiu: quer trabalhar com comércio exterior e conhecer o mundo. “Sou a primeira pessoa lá de casa a chegar à faculdade. Tive uma oportunidade muito especial. Vou levar esse desafio até o fim, pela luta dos meus pais e pelos meus sonhos”, ela diz, com determinação impressionante.

Outro mundo
A moça de olhos amendoados que quer conhecer o mundo. Há seis meses, esse mesmo mundo se limitava às redondezas de Sobradinho I e II. O Plano Piloto, distante dali 26km, era uma outra realidade. Outro mundo. Continua sendo ainda um mundo estranho. “Não sei andar bem por aqui. Estou aprendendo. Uma hora você está nas 200. De repente, está nas 300. Ainda é confuso pra mim”, ela conta, espantada com a imensidão de Brasília.

E o primeiro desafio foi pegar, pela primeira vez, o ônibus que a deixaria perto da faculdade. “Meu pai disse que, quando eu visse um prédio vermelho, era aqui que tinha que descer. E me ligava o tempo todo pra saber se eu tinha chegado bem.” Hoje, menos perdida, mas ainda num mundo diferente do seu, ela continua descobrindo as novidades. “Algumas colegas aqui falam da viagem que fizeram de férias para outros países. Eu fico tentando imaginar como é viajar pra fora do país”, pensa a menina de Sobradinho II.

 Sobre viver num país com inflação sob controle, ela apenas ouviu falar. “Meu pai dizia que as coisas subiam de preço toda hora. E o dinheiro perdia o valor rapidamente”, conta. Houve uma época difícil na vida da família. De muitas restrições e quase nenhuma certeza. “Minha mãe conta que, quando era jovem, teve que parar de estudar porque precisava ajudar a família. Foi trabalhar como balconista.”

 Na escola pública onde estudou a vida toda, Alana descobriu, numa pesquisa, que havia nascido no mesmo dia, mês e ano de uma data muito importante para a história recente do país. “A professora disse que o Plano Real tinha a mesma idade que eu. Foi quando eu comecei a saber um pouco mais e comecei a perguntar para o meu pai como era viver naquela época da inflação”, afirma

E a menina foi compreendendo por que a vida dela e das irmãs havia mudado — e melhorado muito. Tem computador ligado à internet, aparelhos eletrônicos, celular, compra suas roupas e tem experimentado luxos antes impensáveis à família.

Sonho realizado
O pizzaiolo e a copeira, com a estabilidade da moeda e uma vida mais programada, com menos sustos, conseguiram juntar as economias. Há quatro anos, a família inteira conheceu o mar. Viajaram para a Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Foram de carro. Exceto Alana, que viajou depois, porque as aulas não haviam terminado. “Andei de avião pela primeira vez na vida. A sensação de estar fora do chão é muito diferente. Lá dentro faz muito frio”, diz, ainda extasiada com a experiência de voar.

A família viveu as duas semanas mais marcantes de suas vidas. “Minha mãe ficou emocionada. Vi isso no brilho dos olhos dela. A gente sentiu e viu coisa que nunca tinha sentido antes. Meu pai filmou toda a viagem. Ficamos apaixonados pelo Rio”, emociona-se a moça de longos cabelos negros.

Quando fala dessa viagem, mesmo ocorrida há quatro anos, Alana parece voar daquela lanchonete da faculdade. “Comemos peixe, camarão, passeamos de barco. Parecia tudo um sonho. E nós estávamos realizados de verdade”, diz. E conta o esforço que o pai fez para proporcionar tamanha alegria à família: “Ele quis isso a vida toda. Trabalhou, poupou e buscou”.

E reconhece, do alto dos seus 18 anos: “Meu pai só conseguiu realizar isso porque o país está melhor, cada dia supera as expectativas. A crise lá fora não afetou a gente aqui. Isso é um grande avanço. É por isso que dizem que o Brasil é o país do momento”. Envaidecida do lugar onde vive, a estudante de relações exteriores admite: “Eu me orgulho de viver num país assim”.

Com a possibilidade de sonhar e poder realizar, Alana tem metas bem definidas. Depois de formada, uma delas será colocada em prática. “Vou fazer concurso para o Itamaraty. Mas, antes, vou tentar um estágio lá. Quero viajar o mundo, colocar a cara fora e dizer: ‘Eu sou brasileira e sou capaz’. Quero ir longe”. Ela sonha também em desenvolver projetos numa organização não governamental. “A gente precisa ter motivo para defender uma causa”, reflete.

Enquanto esse dia não chega, Alana acorda cedo. Às 6h50 enfrenta um ônibus lotado, que a leva de Sobradinho II à faculdade, no meio da Asa Norte. Uma hora depois, chega à 609, ao prédio vermelho que frequentará por quatro anos.

E precisa administrar a mesada semanal de R$ 50 que recebe do pai. “Eu sonhei com esse mundo da universidade. É parte dos sonhos dos meus pais também. Todo dia ainda acho que estou sonhando”, ela admite, como se confessasse um segredo. Talvez o melhor que tem para confessar hoje. Ouvir Alana falar é como assistir a um filme bom. Um filme de final feliz.


» Assentamentos

A Região Administrativa de Sobradinho II foi criada em 27 de janeiro de 2004, por meio do Decreto Lei nº3.314. Recebeu esse nome devido à proximidade com Sobradinho, de onde migrou a maioria dos moradores — hoje estimada em cerca de 110 mil moradores. Com o passar dos anos, houve o inchaço populacional de Sobradinho, dentro de uma área que não possuía ainda projeto de expansão territorial. Em 1990, o Governo do Distrito Federal criou um programa habitacional para a população de baixa renda, onde foram implantados assentamentos em diversas cidades. As primeiras ocupações de Sobradinho II começaram nessa década.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Jovem apela para a Globo

FORA programa da FÁTIMA BERNARDES!!! EU QUERO a TV GLOBINHO de VOLTA!!!

Greve dos professores da Bahia mostra descaso do governo para com a educação


No http://www.aplbsindicato.org.br/estadualeinterior/destaques/dois-artigos-e-o-governador-tapando-o-sol-com-a-peneira-na-pagina-a3-de-a-tarde/

Wagner chama professores de covardes

Governador Jaques Wagner em Campo Formoso - Ba (27/06/2012)

Sim, ainda estou na greve. Agora não somente pelo cumprimento de leis e acordos, mas, principalmente, porque sou PROFESSORA.

Viver é uma escolha!

                                                               Marcello Schetti

 
Tira de dentro: resista!
Caiu muitas vezes: levanta!
Sente muita dor: não desista!
Ainda podemos: suporta e acredita!
A dor passa; mas não se tu desistir!
Excluídos, esquecidos e destroçados...
Às vezes nos sentimos ante o mundo!
Mas se mantivermos uma esperança teimosa
Chegaremos lá; persista e respira fundo!
Ocuparemos nosso lugar...
Queiram ou não; gostem ou não...
Se te amolarem, manda andar...
Não aceita discriminação!
A vida é feita de escolhas...
Diga sim ou não, mas diga!
Apenas seja você...
Sente e ouve teu interior e siga!
É agora! Ninguém nos para...
É hora de escolher o que seremos;
Vem trazer tua força; mostra tua cara...
Juntos, um novo mundo veremos!
Minha infância, como a de meus amigos...
Foi muito pobre; roubei revistas e livros...
Corria de restaurantes aos domingos...
Em que comia: estava sempre duro!
Esse era o dia que escolhi para interpretar...
Com uma senhora, que punha sua melhor roupa...
O papel de sobrinho, que com sua titia alemã foi se hospedar...
Num hotel, com seu menino e uma mala vazia!
Ela falava bem alemão e eu ficava quietinho...
Um dia ela foi presa e eu escapei...
Senti-me um lixo, mas ela com jeitinho...
Reanimou-me e de novo aprontei!
Vivia na rua jogando futebol com bola de meia;
Quebrando vidraças com meu estilingue;
Nunca acertei um passarinho...
Mas jogava azeitonas num corretor gordão!
Me chamavam de astronauta no colégio...
Pois vivia no mundo da lua!
Fui expulso duas vezes de escola pública
Era popular demais, mas não com os professores!
Gostava de provar todos os sabores...
Mas não tinha disciplina, nem era constante;
Ironicamente fui professor no nosso nordeste...
E senti o que é o magistério num instante!
Encantar um aluno e lhe preparar...
É tão maravilhoso como ser pai!
Hoje pediria perdão aos meus professores...
Que tão pouco ganhavam, mas lutavam por nós!
Mas me perdi e falo demais de mim...
É que lembrei que na infância, li um poema;
Não sei quem o escreveu, mas o adoro e enfim...
Melhor que minhas palavras, termina este poema.
Nunca esqueci essa estrofe ou deixei de sentir...
Ninguém pode apagar teu fogo; sente teu calor!
Sinta tua importância neste mundo e no que vai vir...
Mistura-se à humanidade e dá Amor!
Sente comigo agora essa estrofe e te sente despertar:
´´Eu não vou me enterrar, só porque...
Alguém disse que a morte está chegando;
E não vou me levar para a morte;
Quando eu for para a minha cova...
Minha cabeça estará erguida!``

No http://saraiva13.blogspot.com.br/