segunda-feira, 28 de março de 2011

Charge de Zope para A Charge Online


No http://www.vermelho.org.br/charges.php?id_param_charge=484

"Vivemos num mundo onde nos escondemos para fazer amor! Enquanto a violência é praticada em plena luz do dia." John Lennon

Movimentos

26 de Março de 2011 - 7h29

Petição pública alerta para alto índice de feminicídio no Brasil

A Campanha Ponto Final na Violência contra as Mulheres e Meninas, por meio de uma petição pública, busca sensibilizar autoridades e a sociedade brasileira para os altos índices de assassinatos de mulheres no Brasil e suas semelhanças com o feminicídio verificado em toda a América Latina e Caribe.

A campanha, coordenada pela Rede Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, Rede de Homens pela Equidade de Gênero e Coletivo Feminino Plural, divulgou, de acordo com dados do Instituto Zangari, que entre os anos de 1997 e 2007, 41.532 mulheres morreram vítimas de homicídio – índice de 4,2 assassinatos por 100 mil habitantes. O que coloca o país em 12º lugar no ranking mundial de assassinato de mulheres.

As cidades brasileiras registraram altos índices de violência de gênero. Segundo dados das organizações, mais de 50 municípios no país têm índices de homicídio maiores que 10 por 100 mil habitantes. Em primeiro lugar está o Espírito Santo, com índices de 10,3 assassinatos de mulheres por 100 mil habitantes.

Fonte: Adital
No http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=8&id_noticia=150404

sábado, 26 de março de 2011

Garota(?) tailandesa impressiona com duas vozes



Ambiente contaminado contamina leite materno

Denúncias
26 de março de 2011 às 7:22

Exclusivo: A pesquisadora que descobriu veneno no leite materno

A repórter Manuela Azenha esteve em Cuiabá, Mato Grosso, onde assistiu à defesa de tese da pesquisadora Danielly Palma. A ela coube pesquisar o impacto dos agrotóxicos em mães que estavam amamentando na cidade de Lucas do Rio Verde. A seguir, o relato:
Lucas do Rio Verde é um dos maiores produtores de grãos do Mato Grosso, estado vitrine do agronegócio no Brasil. Apesar de apresentar alto IDH (índice de desenvolvimento humano), a exposição de um morador a agrotóxicos no município durante um ano é de aproximadamente 136 litros por habitante, quase 45 vezes maior que a média nacional — de 3,66 litros.
Desde 2006, ano em que ocorreu um acidente por pulverização aérea que contaminou toda a cidade, Lucas do Rio Verde passou a fazer parte de um projeto de pesquisa coordenado pelo médico e doutor em toxicologia, Wanderlei Pignatti, em parceria com a Fiocruz. A pesquisa avaliou os resíduos de agrotóxicos em amostras de água de chuva, de poços artesianos, de sangue e urina humanos, de anfíbios, e do leite materno de 62 mães. A pesquisa referente às mães coube à mestranda da Universidade Federal do Mato Grosso, Danielly Palma.
A pesquisa revelou que 100% das amostras indicam a contaminação do leite por pelo menos um agrotóxico. Em todas as mães foram encontrados resíduos de DDE, um metabólico do DDT, agrotóxico proibido no Brasil há mais de dez anos. Dos resíduos encontrados, a maioria são organoclorados, substâncias de alta toxicidade, capacidade de dispersão e resistência tanto no ambiente quanto no corpo humano.
No dia seguinte à defesa de sua tese, Danielly concedeu uma entrevista ao Viomundo.
Viomundo – A sua pesquisa faz parte de um projeto maior?
Danielly Palma – Minha pesquisa foi um subprojeto de uma avaliação que foi realizada em Lucas do Rio Verde e eu fiquei responsável pelo indicador leite materno. Mas a pesquisa maior analisou o ar, água de chuva, sedimentos, água de poço artesiano, água superficial, sangue e urina humanos, alguns dados epidemológicos, má formação em anfíbios.
Viomundo – E essas pesquisas começaram quando e por que?
Danielly Palma – Começamos em 2007. A minha parte foi no ano passado, de fevereiro a junho. Lucas do Rio Verde foi escolhido porque é um dos grandes municípios produtores matogrossenses, tanto de soja quanto de milho e, consequentemente, também é um dos maiores consumidores de agrotóxicos. Em 2006, quando houve um acidente com um desses aviões que fazem pulverização aérea em Lucas, o professor Pignati, que foi o coordenador regional do projeto, foi chamado para fazer uma perícia no local junto com outros professores aqui da Universidade Federal do Mato Grosso. Então, começaram a entrar em contato com o pessoal e viram a necessidade de desenvolver projetos para ver a que nível estava a contaminação do ambiente e da população de Lucas.
Viomundo – E qual é o nível de contaminação que a população de Lucas se encontra hoje? O que sua pesquisa aponta?
Danielly Palma – Quanto ao leite materno, 100% das amostras indicaram contaminação por pelo menos um tipo de substância. O DDE, que é um metabólico do DDT, esteve presente em 100%, mas isso indica uma exposição passada porque o DDT não é utilizada desde 1998, quando teve seu uso proibido. Mas 44% das amostras indicaram o beta-endossulfam, que é um isômero do agrotóxico endossulfam, ainda hoje utilizado. Ele teve seu uso cassado, mas até 2013 tem que ir diminuindo, que é quando a proibição será definitiva. É preocupante, porque é um organoclorado que ainda está sendo utilizado e está sendo excretado no leite materno.
Viomundo – Foram essas duas substâncias as registradas?
Danielly Palma – Não, tem mais. Foi o DDE em 100% das mães [que estão amamentando]; beta-endossulfam  em 44%; deltametrina, que é um piretróide, em 37%; o aldrin em 32%; o alpha-endossulfam, que é outro isômero do endossulfam, em 32%; alpha-HCH, em 18% das mães,  o DDT em 13%; trifularina, que é um herbicida, em 11%; o lindano, em 6%.

Viomundo – E o que essas susbstâncias podem causar no corpo humano?
Danielly Palma – Todas essas substâncias tem o potencial de causar má formação fetal, indução ao aborto, desregulamento do sistema endócrino — que é o sistema que controla todos os hormônios do corpo — então pode induzir a vários distúrbios. Podem causar câncer, também. Esses são os piores problemas.
Viomundo – Você disse que as mães foram expostas há mais de dez anos. As substâncias permanecem no corpo por muito tempo?
Danielly Palma – Permanecem. No caso dos organoclorados, de todas as substâncias analisadas, o endossulfam é o único que ainda está sendo utilizado. Desde 1998 os organoclorados foram proibidos, a pesquisa foi realizada em 2010, e a gente encontrou níveis que podem ser considerados altos. Mesmo tendo sido uma exposição passada, como as substâncias ficam muito tempo no corpo, esses sintomas podem vir a longo prazo.
Viomundo – Durante a sua defesa de mestrado, em que essa pesquisa foi apresentada, os membros da banca ressaltaram o quanto você sofreu para realizar a pesquisa. Quais foram as maiores dificuldades?
Danielly Palma – A minha maior dificuldade foi em relação à validação do método. Porque, quando você vai pesquisar agrotóxicos, tem de ter uma precisão muito grande. Como são dez substâncias com características diferentes, quando acertava a validação para uma, não dava certo para outra. Então, para ter um método com precisão suficiente para a gente confiar nos resultados, para todas as substâncias, foi um trabalho que exigiu muita força de vontade e tempo. Foi praticamente um ano só para validar o método.
Viomundo – Essas mães que foram contaminadas exercem ou exerceram que tipo de atividade? Como elas foram expostas ao agrotóxico?
Danielly Palma – Das 62 mulheres que eu entrevistei, apenas uma declarou ter contato direto com o agrotóxico. Ela é engenheira agrônoma e é responsável por um armazém de grãos. Três mães residem na zona rural, trabalhando como domésticas nas casas dos donos das fazendas. É difícil dizer que quem está longe da lavoura não está exposto em Lucas do Rio Verde, pela localização da cidade, com as lavouras ao redor. Mas a maioria das entrevistadas trabalham com comércio, são professoras do município, algumas donas de casa, mas não são expostas ocupacionalmente. A questão é o ambiente do município.

Viomundo – Mas a contaminação se dá pelo ar, pela alimentação?
Danielly Palma -  A alimentação é uma das principais vias de exposição. Mas, por se tratar de clorados, que já tiveram seu uso proibido, então eu posso dizer que o ambiente é o que está expondo, porque também se acumulam no ambiente. No caso da deltametrina e do endossulfam, que ainda são utilizados, o uso atual deles é que está causando a contaminação. Mas, nos usos passados [dos agrotóxicos agora proibidos], a causa provavelmente foi a exposição à alimentação — na época em que eram utilizados — e o próprio meio ambiente contaminado.

Viomundo – Quais são as principais propriedades dessas substâncias encontradas?
Danielly Palma – Os organoclorados têm em comum entre si os átomos de cloro na sua estrutura, o que dá uma grande toxicidade a eles. Eles têm alta capacidade de se armazenar na gordura, alta pressão no vapor e o tempo de meia-vida deles é muito longo, por isso que para se degradar demora muito tempo. São altamente persistentes no ambiente, tanto nos sedimentos, solo, corpo humano, e têm a capacidade de se dispersar. Tanto que no Ártico, onde eles nunca foram aplicados, são encontrados resíduos de organoclorados.
Viomundo – O professor Pignati comentou que a Secretaria da Saúde dificultou um pouco a pesquisa de vocês, mas que vocês fizeram questão da participação do governo. Por que?
Danielly Palma – Nós vimos a importância da participação deles porque, quando a exposição da população está num nível elevado e está tendo uma incidência maior de certas doenças, é lá na ponta que isso vai estourar, é no PSF (Programa Saúde da Família). Então, a gente queria que a Secretaria da Saúde acompanhasse para ver em que nível de exposição essa população está e para que  tome medidas. Para que recebam essas pessoas com algum problema de saúde e saibam diagnosticar, saibam de onde está vindo e o porquê de tantas incidências de doenças no município.
Viomundo – Se a maioria dessas substâncias não está mais sendo utilizada, o que pode ser feito daqui para frente para diminuir o impacto delas sobre o ambiente e a saúde?
Danielly Palma – Em relação a essas substâncias que não estão sendo mais utilizadas, infelizmente, não temos mais nada a fazer. Já foram lançadas no ambiente e nos organismos das pessoas. A gente pode parar e pensar no modelo de desenvolvimento que está sendo posto, com esse alto consumo de agrotóxico e devemos tomar cuidado com as substâncias que ainda estão sendo utilizadas para tentar evitar um mal maior.
Viomundo – Como que o agrotóxico pode afetar o bebê?
Danielly Palma – Esses agrotóxicos são lipofílicos e se acumulam no tecido gorduroso, então ficam no organismo e passam para o sangue da mãe. Através da placenta, como há troca de sangue entre mãe e feto, acaba atingindo o feto. E alguns tem a capacidade de passar a barreira da placenta e atingir o feto. Durante a lactação, o agrotóxico acaba sendo excretado pelo leite humano.
Viomundo – Então, mesmo que não amamente o filho, ele pode nascer com resíduo de agrotóxico?
Danielly Palma – Sim, isso se a contaminação da mãe for muito elevada.
Viomundo – Foi o caso nas mães [pesquisadas] de Lucas do Rio Verde?
Danielly Palma – Alguns níveis [encontrados] consideramos altos, até porque o leite humano deveria ser isento de todas essas substâncias. Deveria ser o alimento mais puro do mundo. E a gente vê que isso não ocorre, tanto nos meus resultados quanto em trabalhos realizados no mundo inteiro que evidenciaram essa contaminação. A criança acaba sendo afetada desde a vida uterina e depois na amamentação é mais uma quantidade de agrotóxicos que ela vai receber. Mas é sempre bom lembrar do risco-benefício do aleitamento materno. Nunca se deve incentivar a mãe a parar de amamentar porque seu leite está contaminado. As vantagens do aleitamento materno são muito maiores do que os riscos da carga contaminante que o leite pode vir a ter.
Viomundo – Quais os riscos dessa contaminação?

Danielly Palma
– Os riscos saberemos somente com um acompanhamento a longo prazo dessas crianças. O que pode acontecer são problemas no desenvolvimento cognitivo e, dependendo da carga que o bebê receba desde a gestação, pode causar má formação, que pode só ser percebida mais tarde.
Viomundo – Essa acompanhamento dos efeitos dos agrotóxicos no corpo humano já foi feito ou ainda é uma coisa a fazer?
Danielly Palma – Quanto ao sistema endócrino, existem evidências. Estudos comprovaram a interferência dos agrotóxicos. Quanto a câncer, má formação e ações teratogênicas (anomalias e malformações ligadas a uma perturbação do desenvolvimento embrionário ou fetal),  estudos realizados em animais apontam para uma possivel ação dos agrotóxicos nesse sentido. Mas no ser humano não tem como você testar uma única substância. Quando fazem pesquisas, sempre são encontradas mais de uma substância no organismo e, portanto, não se sabe se é uma ação conjunta dessas substâncias que elevou aquele efeito ou se foi a ação de uma substância apenas.

Viomundo – Os resultados da pesquisa são alarmentes?
Danielly Palma – Foram alarmantes, mas ao mesmo tempo já esperávamos por esse resultado, até porque já tínhamos em mãos resutados da parte ambiental. Vimos que a exposição da população estava muito alta. Com o ambiente contaminado daquela forma, já era esperado encontrar a contaminação do leite, uma vez que o ambiente influencia na contaminação humana também.

Viomundo  – O que será feito com esses resultados?


Danielly Palma
– Os resultados já foram encaminhados para as mães e, no início do projeto, assumimos o compromisso de, no final, nos reunirmos com elas e explicarmos os resultados. Esperamos que as autoridades do município e de todas as regiões produtoras acordem para o modelo de desenvolvimento que eles estão adotando, porque não adianta ter um IDH alto, ter boa educação e sistema de saúde, se a qualidade de vida em termos de exposição ambiental é péssima.
No http://www.viomundo.com.br/denuncias/exclusivo-a-pesquisadora-que-descobriu-veneno-no-leite-materno.html

A sua saúde, mãe, está diretamente ligada a saúde do bebê. Cuide-se, mãe!

Dar de mamar


Ah, que momento de ternura
Quando o meu bebê
Com ânsia e candura
Agarra-se ao meu seio

Ele sente o meu cheiro, o meu gosto
O contato da minha pele
E o calor do meu corpo


Sente o carinho do aconchego
O afeto, o amor
E mama sem medo

Ah, que carícia imaculada
Quando sua mãozinha
Pequenina e delicada
Encosta no meu peito

E, erguendo-se à toa,
Tateia desastrada
E toca no meu queixo

Ah, quanta ternura!

E quando ele acaba de mamar
Lança-me um olhar de contemplação
E se debruça sobre o meu peito, e dorme
Ouvindo as batidas do meu coração

(André Augusto Passari) 
No http://grupomama.blogspot.com/2010/02/poema-dar-de-mamar.html

MERCOSUL DE PARABÉNS


Criação 
O Mercado Comum do Sul ( Mercosul ) foi criado em 26/03/1991 com a assinatura do Tratado de Assunção no Paraguai.

Os membros deste importante bloco econômico do América do Sul  são os seguintes países : Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

A aprovação da entrada da Venezuela está na dependência de aprovação do Congresso Nacional do Paraguai, pois os congressos nacionais do Brasil, Argentina e Uruguai já aprovaram a entrada da Venezuela no Mercosul.


Embora tenha sido criado apenas em 1991, os esboços deste acordo datam da década de 1980, quando Brasil e Argentina assinaram vários acordos comerciais com o objetivo de integração. Chile, Equador, Colômbia, Peru e Bolívia poderão entrar neste bloco econômico, pois assinaram tratados comerciais e já estão organizando suas economias para tanto. Participam até o momento como países associados ao Mercosul.

Etapas e avanços 
No ano de 1995, foi instalada a zona de livre comércio entre os países membros. A partir deste ano, cerca de 90% das mercadorias produzidas nos países membros podem ser comercializadas sem tarifas comerciais. Alguns produtos não entraram neste acordo e possuem tarifação especial por serem considerados estratégicos ou por aguardarem legislação comercial específica.
Em julho de 1999, um importante passo foi dado no sentido de integração econômica entre os países membros. Estabelece-se um plano de uniformização de taxas de juros, índice de déficit e taxas de inflação. Futuramente, há planos para a adoção de uma moeda única, a exemplo do fez o Mercado Comum Europeu.
Atualmente, os países do Mercosul juntos concentram uma população estimada em 311 milhões de habitantes e um PIB (Produto Interno Bruto) de aproximadamente 2 trilhões de dólares. 
No http://www.suapesquisa.com/mercosul/

Lula
Lula, em visita ao Uruguai, disse que valeu a pena lutar pelo Mercosul, e contra a ALCA (Acordo de Livre Comércio das Américas), uma tentativa dos EUA anexar o Brasil e todo o continente americano, lançada por Bill Clinton, e que FHC, Alckmin e Serra caminhavam bovinamente para o matadouro. No http://www.osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Brasil social-democracia marca Era Lula

 "Brasil caminha para modelo próximo ao da social-democracia, em que o trabalho e o capital são ouvidos na gestão do Estado. 'Qualquer futuro governo não fará política sem isso.' ”

 

Cientista político afirma que Lula selou fim da Era Vargas

Para Wanderley dos Santos, não há mais “cidadania regulada”
DO RIO
Recém-indicado para a presidência da Fundação Casa de Rui Barbosa, o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos lançou uma “nova hipótese” para a interpretação do governo Lula.
Longe de retomar a Era Vargas, Lula selou seu fim, com políticas sociais que não vinculam a cidadania à posição no mercado de trabalho.
“Quando surgem políticas universalistas, reguladas apenas pela renda, os direitos pertencem ao indivíduo, e não ao profissional”, disse Santos, 75, em aula magna no Iesp (Instituto de Estudos Sociais e Políticos) da Uerj.
Seria o encerramento do ciclo do que ele conceituou como “cidadania regulada”.
A hipótese de Santos está ligada à contestação do que considera uma interpretação liberal e paulista da Era Vargas, que vê como “malignas” a criação dos sindicatos únicos por categoria e a instituição do imposto sindical.
Para ele, Vargas resolveu um “problema de ação coletiva” evidenciado nas derrotas de forças de esquerda que tentaram organizar os trabalhadores antes de 1930.
Ele visava ter “um ator associado, de maneira subordinada, na coalizão contra o setor derrotado da oligarquia”. Mas o sindicalismo ganhou dinâmica própria e nos anos 60 já não era só correia de transmissão governista.
Santos contesta a tese de que Lula teria agido contra a “modernização democrática” ao “cooptar” sindicatos e movimentos sociais.
Para ele, o Brasil caminha para modelo próximo ao da social-democracia, em que o trabalho e o capital são ouvidos na gestão do Estado. “Qualquer futuro governo não fará política sem isso.”
(CLAUDIA ANTUNES)

O BRASIL DE LULA

Destaque da capa do novo “London Review of Books”, o historiador Perry Anderson publica em dez páginas o ensaio “Lula’s Brazil”. Abre dizendo que, “contra o ditado inglês, nem todas as vidas políticas terminam em fracasso”, mas é fato “raro”:”Hoje, há um só governante no mundo que pode reivindicar a realização, o ex-operário que em janeiro deixou de ser presidente do Brasil, com popularidade de 80%. Por qualquer critério, Luiz Inácio da Silva é o político mais bem-sucedido de seu tempo.”Atribui ao “conjunto excepcional de dons pessoais, uma mistura de calorosa sensibilidade social e frio cálculo político”. Mas “nunca foi só triunfo pessoal” -citando “a extraordinária insurgência sindical que criou o primeiro -e único- partido político moderno do Brasil”, uma “organização de massa”.O historiador marxista afirma que, no Brasil, “se a melhoria passiva virasse intervenção ativa, a história teria outro fim”.Coluna Nelson de Sá
No http://blogdadilma.blog.br/

quarta-feira, 23 de março de 2011

"Deitado eternamente em berço esplêndido, Ao som do mar e à luz do céu profundo, Fulguras, ó Brasil, florão da América, Iluminado ao sol do Novo Mundo!" Joaquim Osório Duque Estrada

A água é o petróleo do século 21

 
Pouca gente deu maior importância a um trecho da entrevista da Presidenta Dilma, semana passada, ao jornal Valor Econômico em que ela define a água como  uma “diferença substantiva entre nós e os outros países”
Vou transcrevê-lo:
- Não tenho ideia de qual vai ser a política de substituição de energia. Não sei como a Alemanha, por exemplo, vai fazer. Os Estados Unidos já declararam que não vão interromper o programa nuclear. Nós não temos a mesma dependência. Temos um elenco de alternativas que os outros países não têm. A Europa já usou todo o seu potencial hídrico. Energia é algo que define o ritmo de crescimento dos países e o Brasil tem na energia uma diferença estratégica e competitiva.
Ontem, Dia Mundial da Água, deveria ser ter sido um dia marcado por este debate. A preservação e o aproveitamento econômico desta riqueza precisa entrar na ordem do dia e deixar de ser um tema tratado de forma estanque em cada um de seus aspectos: energia, ambiente, abastecimento, agricultura e via de transporte.
Temos quase 15% das reservas mundiais. Se água fosse petróleo, estaríamos apenas abaixo da Arábia Saudita em matéria de reservas, e bem acima do Irã.
E é absurdo comparar, em matéria de relevância, água a petróleo?
Temos de cuidar bem, muito bem, da exploração de um e de outro.
Dilma está certíssima em dizer que, mesmo com a abundância que o pré-sal trará, nossa matriz energética, essencialmente hídrica, não se torne baseada em combustíveis fósseis.
Mas estamos diante de um desafio e de uma oportunidade. A partir de  2015, vencem os prazos de concessão das usinas hidrelétricas. Claro que, com os investimentos amortizados por décadas de funcionamento, é esperado que o preço da energia que produzem caia.
Mas não se pode deixar que isso seja regulado pelo “mercado”, até porque isso produziria um enorme desequilíbrio econômico entre os produtores de energia “velha” que desestimularia investimentos em energia “nova”.
Este excedente, além de controlar o preço do mercado de energia elétrica, tem de ser, por ação governamental, um indutor do bom aproveitamento desta riqueza.
Tem de financiar, em condições especiais, os investimentos pesados e de longa maturação – aqueles que só o bom e velho Estado faz, não é? – e tem, ainda, de ser aplicado na recuperação e preservação destes patrimônios hídricos (e econômicos) que são nossas bacias hídricas,  inclusive não apenas no aspecto ambiental, mas no humano, através do fornecimento de água aos aglomerados de população, inclusive com ações que, pela redução do custo do fornecimento evitem os níveis absurdos de perdas  em projetos de irrigação que não visem apenas os grandes produtores e ao agronegócio.
A redução das disponibilidades de água leva, também, à necessidade – de exploração – e conservação – de nossos grandes aquíferos – além do já conhecido Guarani, no sul do país, o Alter do Chão, na região Amazônica – que são os maiores do mundo e não podem ser explorados sem controle.
Dilma tem o conhecimento e a experiência, por sua trajetória na área de energia – o que, no Brasil, coloca a água em primeiro plano – para entender e comandar este processo de valorização desta imensa riqueza.
Ela não pode ser encarada de forma mercantil e predatória, nem de uma maneira idílica, desligada da realidade econômico-social. Água é um mineral, nem tão finito como os outros, mas ainda assim um valor cada vez mais tangível.
A riqueza mineral, a história ensina e prova, desperta cobiça e desejo de dominação. Com a água não é e será cada vez menos diferente.
Usá-la e cuidá-la e defende-la como propriedade do povo brasileiro é um desafio que, cada dia com mais intensidade, teremos de enfrentar.
Postado por Brizola Neto
No http://www.tijolaco.com/

Senadora entra em campo para defender transmissão democrática do Brasileirão

Lídice da Mata quer convocar CBF, TVs e Clube dos 13 ao Senado

Na véspera da próxima licitação dos direitos de exibição dos Campeonatos Brasileiros de 2012 a 2014, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado vota, na terça-feira (22), o requerimento da senadora Lídice da Mata (PSB-BA) para que os envolvidos na polêmica concorrência participem de uma audiência pública sobre o assunto. Ela quer convocar o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, o líder do Clube dos 13, Fábio Koff, e representantes das emissoras de TVs.

"A intenção é discutir sobre a disputa dos direitos de transmissão dos jogos", afirma a senadora, que quer explicações sobre as negociações que avançam nos bastidores e carecem de transparência. "É a tentativa de entender e ajudar a esclarecer, para a opinião pública e a população, o que está acontecendo; de que maneira o Congresso, como Parlamento, pode contribuir para que essas coisas se resolvam", afirma.

Com a experiência de ter presidido a Comissão de Turismo e Desporto da Câmara, com amplos debates sobre esportes, Lídice diz que “a ideia não é nem tumultuar” os trabalhos. “Sei que tem aí uma CPI de (Anthony) Garotinho (deputado do PR-RJ) sobre Ricardo Teixeira. Não é isso, não vai nessa direção”, detalhou.

Ela justificou que, embora se trate de uma disputa comercial entre empresas, há "interesse público, sim, da sociedade em acompanhar". E completou: "O governo, por exemplo, fez leis para estimular a reorganização dos clubes brasileiros, num momento em que o financiamento dos clubes vira debate no Congresso Nacional".

Uma das referências para a definição das cotas de cada time é a audiência gerada por eles — o que corresponde diretamente às massas de torcedores. “É o povão inclusive. É a paixão de um povo por um esporte, que se transforma em milhões de reais”, diz a senadora.

“É o esporte nacional, a preferência nacional, a paixão nacional. O Campeonato Nacional mobiliza milhões de pessoas e milhões de reais”, agrega. “Tem clubes saindo do Clube dos 13, o Flamengo e o Corinthians estão reivindicando que ganhem mais. O público merece uma explicação deste episódio, que envolve o principal campeonato do país.”

Mundial

A batalha pelo Brasileirão desemboca na Copa do Mundo de 2014. "A respeito da discussão da retransmissão daqueles três minutos a que as outras emissoras têm direito e que a Globo não concorda, a própria Fifa acha que não deve ter", conta Lídice. Ela defende que o assunto não se distancie da sociedade. "Com o passar do tempo e na medida em que se profissionalizam cada vez mais o futebol e os grandes eventos futebolísticos internacionais, isso passa a ser uma coisa cada vez mais de interesse público.”

A consolidação dos formatos do Brasileirão e sua melhora em termos de organização são apontados pela senadora como avanços ameaçados pelo impasse da negociação: “Depois de tantos anos, agora que se conseguiu ter uma tabela permanente, um campeonato mais ou menos estabilizado, acontecem mecanismos de desestabilização. É a preparação dos clubes, é a preparação dos atletas — quem sabe de alguém que vai estar na Copa do Mundo amanhã?”.

Da Redação, com informações do Terra Magazine

Lula fez bem em recusar almoço com Obama

Recusei “apenas um almoço” com Obama, diz Lula

Em entrevista a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva justificou a recusa ao convite para o almoço que sua sucessora, Dilma Rousseff, ofereceu ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Lula também criticou a segurança americana, que, durante a visita de Obama, obrigou até ministros do governo federal a serem revistados.

O breve depoimento à Folha foi dado na segunda-feira, durante a festa em que a comunidade árabe homenageou Lula como "o líder da união entre os povos". Confira abaixo a entrevista.

Folha: Por que o senhor recusou o convite da presidente Dilma Rousseff?
Lula: Veja, eu saí do governo há dois meses só.

Folha: Mas era apenas um almoço. Todos os outros ex-presidentes brasileiros foram.
Lula: Todos os outros ex-presidentes foram porque eles saíram do governo faz tempo. É diferente. Acho que a visita do Obama ao Brasil — não pelo que ele anunciou, mas pelo simbolismo da visita dele ao Brasil, à Dilma — era um momento muito importante para ela. Eu não deveria, eu poderia atrapalhar.

Folha: Não foi então uma tomada de posição?
Lula: Não. Veja, eu fui presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo. E depois que eu saí, os presidentes que me sucederam podem testemunhar - nem todos estão aqui, mas o Vicentinho [o deputado Vicente Paulo da Silva, que estava na homenagem a Lula] está aí, você pode falar com ele: eu participava do movimento, mas não aparecia em assembleias. Achava que tinha que me retirar.

Folha: O senhor sempre disse que ministro seu que tirasse os sapatos em aeroporto dos EUA para ser revistado, como fez um chanceler do governo FHC, deixaria de ser ministro. E agora nós vimos ministros do governo Dilma sendo revistados pela segurança em território brasileiro.
Lula: A segurança americana exagerou.

Folha: Mas o senhor os demitiria?
Lula: Eu acho que foi um exagero, um exagero.

Da Redação, com informações da Folha de S.Paulo

Luz na passarela que lá vem...

Debate no MS: “Mais Mulheres na política, o Brasil precisa desta reforma”

A secretária nacional de mulheres do PT, Laisy Moriére, irá participar, na próxima sexta-feira, dia 25, de um debate da Secretaria de Mulheres do PT/MS, em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul.

Segundo a secretária de mulheres do PT/MS, Kátia Guimarães, a atividade irá reunir militantes do estado todo na sede do Diretório Regional do PT/MS, com o intuito de debater sobre o tema “Mais Mulheres na política, o Brasil precisa desta reforma”. “Este tema foi debatido e retirado da última reunião da coordenação da Secretaria Nacional de Mulheres, que aconteceu no início de fevereiro, deste ano. Nós tivemos o entendimento de que é extremamente importante e necessário debater com as mulheres do PT e com sociedade em geral assuntos como a reforma política, para garantir a maior participação das mulheres nos espaços de poder”, afirma.

Kátia Guimarães, que também participa do coletivo nacional de mulheres do PT, ressalta ainda a importância da participação da secretária Laisy no debate. “A Laisy é a nossa representante na direção nacional do PT, sua participação no debate vai permitir que as mulheres sul-mato-grossenses saibam o que pensa a nossa secretária, e o que tem sido debatido pela direção nacional nesta pauta, e por outro lado, ela leva daqui as nossas contribuições”, disse.

Como continuação das atividades do mês da mulher, no dia 31, o PT de MS irá promover um debate sobre o documentário “Muito prazer, Mulheres do PT”, produzido pela Secretaria Nacional de Mulheres do PT em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. O debate irá acontecer em diversos municípios de MS, iniciativa das Secretarias de Mulheres dos Diretórios do PT/MS.
(Fonte Assessoria de Comunicação PT/MS)
No http://www.pt.org.br/portalpt/noticias/institucional-3/debate-no-ms:-%E2%80%9Cmais-mulheres-na-politica-o-brasil-precisa-desta-reforma%E2%80%9D-49481.html
 

Morre Liz Taylor

Atriz Elizabeth Taylor morre aos 79 anos

Quarta-Feira, 23/03/2011, 10:14:12
Tamanho da fonte: A- A+
Atriz Elizabeth Taylor morre aos 79 anos (Foto: Mario Anzuoni/Reuters)
(Foto: Mario Anzuoni/Reuters)
Morreu hoje (23) a atriz Elizabeth Taylor. A morte foi anunciada pela rede ABC e confirmada pelo filho da atriz, Michael Wilding. A causa da morte não foi revelada. A informação também foi confirmada pelo agente da atriz.
O filho da atriz divulgou à imprensa o seguinte comunicado: “Nós sempre seremos inspirados pela sua contribuição ao nosso mundo”.
Elizabeth Taylor tinha 79 anos e enfrentava problemas cardíacos. Ela estava internada no centro médico Cedars-Sinai, em Los Angeles, desde o início de fevereiro, com problemas no coração.
Em 2009, Taylor foi submetida a uma cirurgia para substituir uma válvula defeituosa no coração. Ela usa uma cadeira de rodas há mais de cinco anos para lidar com sua dor crônica.
Reconhecida internacionalmente pelo papel de Cleópatra, a bela atriz se tornou uma estrela de Hollywood depois de aparecer no filme “A mocidade é assim mesmo”, aos 12 anos. Ela recebeu dois Oscars por sua atuação nos filmes em “Quem tem medo de Virgina Woolf” e “Disque Butterfield 8”.
(DOL, com informações da Folha Online e G1)
No http://www.diarioonline.com.br/noticia-140668-imprensa-internacional-noticia-morte-de-liz-taylor.html

Dona da verdade


Rosário tenta reconhecer vítimas dos militares. Alô, alô, Johnbim !

    Publicado em 22/03/2011
Acompanhada de familiares das vítimas, ministra visita cemitério em SP onde ocorrem buscas
Saiu no Vermelho:


Rosário: Estado foi incapaz de esclarecer crimes da ditadura


A ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, acompanhou nesta terça-feira (22), em São Paulo, os trabalhos de buscas por desaparecidos políticos e admitiu que o Estado brasileiro foi “incapaz de dar respostas” aos familiares das vítimas da ditadura militar (1964-1985).


Maria do Rosário


“O Brasil tem hoje uma democracia madura, mas o grande desafio da nossa época é responder às páginas que ainda não foram respondidas. Vivemos esse período democrático também como resultado da resistência dos que lutaram, e essas pessoas não estão conosco”, disse Rosário.


Hoje, as equipes de peritos retomaram as tentativas de localizar os restos mortais de Virgilio Gomes da Silva e Sérgio Correia, ambos ex-integrantes da ALN (Ação Libertadora Nacional) e desaparecidos desde 1969. O trabalho, realizado no cemitério de Vila Formosa, zona leste da capital paulista, foi acompanhado também por familiares das vítimas e representantes do MPF (Ministério Público Federal).


Maria do Rosário lembrou que o Estado brasileiro ainda tem pendente a tarefa de encontrar os corpos dos ex-militantes que lutaram contra a ditadura e caíram em combate. Embora tenha dito que o Estado não respeita uma lei de 1995 que ordena a localização e a identificação desses restos mortais, ela ressaltou que o atual governo está fazendo todo o esforço possível, em prol do direito à memória e à verdade. “É uma dívida do Estado brasileiro com essas famílias. Nós não cumprimos a lei, mas quero dizer que todo o esforço está sendo feito”.


Governo reinicia busca por desaparecidos


A lei nº 9140, de 4 de dezembro de 1995, reconhece como mortas as pessoas desaparecidas em razão de participação, ou acusação de participação, em atividades políticas entre 2 de setembro de 1961 e 15 de agosto de 1979. O Estado brasileiro admite responsabilidade pelo desaparecimento forçado de 136 pessoas.


A ministra disse que “dar uma resposta às famílias [das vítimas] fortalece a própria democracia brasileira” e prometeu esforços para erguer um memorial em lembrança de Virgilio, também conhecido como Jonas, e demais desaparecidos políticos.


“Queremos assumir esse compromisso. Que neste memorial se registre os desaparecidos e os mortos pela ditadura. Que se registre que o Estado torturou e matou, que se registre que as famílias nunca abandonaram seus entes queridos. Eles seguiram lutando, e nós precisamos responder a isso”, afirmou a ministra.


Ao falar sobre a Comissão da Verdade, Maria do Rosário voltou a negar qualquer atrito com as Forças Armadas ou com o ministro da Defesa, Nelson Jobim. A criação do órgão depende da aprovação de um projeto de lei que está parado na Câmara dos Deputados desde maio de 2010. “Esse governo atua unido”, afirmou.


Buscas


Nos trabalhos realizados essa semana no cemitério de Vila Formosa, o maior da América Latina, foram retiradas 15 ossadas que poderiam ser de Sérgio Correia. Todas, porém, foram descartadas de cara pelos peritos por não se adequarem às características fornecidas para as buscas.


No caso de Virgilio, a sexta e última sepultura será aberta. Mais de 30 ossadas já foram exumadas e encaminhadas para exames antropológicos. Destas, apenas três ou quatro não foram descartadas e devem ser usadas em um teste de DNA para que se saiba se são ou não os restos do ex-militante, que liderou o sequestro do embaixador americano Charles Elbrick durante a ditadura.


Isabel Maria Gomes da Silva, filha de Virgilio, afirmou que a presença da ministra no cemitério demonstra a “boa vontade” do governo ante a questão dos desaparecidos políticos. A presidente Dilma Rousseff também lutou contra a ditadura na juventude, foi presa e torturada.


“É um movimento muito importante, de resgate da memória. Não só quanto ao meu pai, mas para todos os demais desaparecidos. A sociedade não conhece essa história, e já é um começo”, disse Isabel.


Isabel, hoje com 42 anos, tinha quatro meses de vida quando o pai foi preso por agentes da repressão.Fonte: R7

Paulo Henrique Amorim
No http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/03/22/rosario-tenta-reconhecer-vitimas-dos-militares-alo-johnbim/

Ela sabe que Ele é O Cara e Nós também.

Globo “entrega” estratégia de intrigar Lula e Dilma

Não se pode deixar de reconhecer que a estratégia foi esperta. Atenta ao efeito que produziria a saída de Lula do poder, um sentimento de vazio que poderia produzir sentimentos confusos, a mídia apostou nesses sentimentos, talvez exageradamente fortes em alguns, para promover cizânia entre os que apoiaram a eleição de Dilma Rousseff pintando como “traidora” aquela a quem o ex-presidente confiaria a missão de continuar a própria obra.
A forma mais fácil de explorar aquele sentimento de vazio foi contrapor os que a grande imprensa optou por chamar de “criador” e “criatura”, atribuindo um caráter bizarro ao lançamento político por Lula daquela que outrora era chamada de “poste”, mas que, agora, passou a ser chamada de “sensata”, “madura”, “discreta” e “firme”, mas sempre tendo o cuidado de atribuir ao seu “criador” a pecha de “espalhafatoso”, “inculto”, “irresponsável” etc.
Não se pode negar que a estratégia contou com a ajuda, possivelmente involuntária, da própria Dilma. Ao comparecer à cerimônia comemorativa dos 90 anos da Folha de São Paulo e fazer discurso cortês ao anfitrião, Dilma tentou uma paz que lhe foi concedida.  Muito provavelmente, a presidenta teve a intenção de distender o virulento quadro político que se formou ao longo dos oito anos anteriores.  E foi atendida pelos beligerantes, mas só parcialmente.
A estratégia, que beira o diabólico, contou com sentimentos decentes e humanos daqueles que se entregaram demais à afeição por um homem bom e corajoso que, contra tudo e contra todos, chegou ao poder para mudar a face do Brasil. Sentimentos dos que, por outro lado, sabiam que não haveria como confiar em impérios empresariais de comunicação impiedosos que não hesitaram em jogar o Brasil em uma ditadura insana para verem materializados seus desígnios imorais.
Durante a terça-feira, porém, uma notícia contribuiria para começar a abrir os olhos daqueles que se dispuseram a impedir que este país se desvie da rota pela qual enveredou no início da década passada ao apoiarem a continuidade que Lula propôs. Durante jantar com a comunidade árabe no clube Monte Líbano, em São Paulo, o ex-presidente deu declarações reproduzidas pelo portal Vermelho, do PC do B, que já alertavam para incongruência na teoria da “traição” de Dilma.
Dizia a nota do Vermelho:
Segundo Lula, foi “hilariante” saber que os opositores dizem agora que sua sucessora, a presidente Dilma Rousseff, é diferente dele — e que os que passaram oito anos criticando seu governo agora passem a falar bem”.
Lula repetiu declaração que dera no mês passado. Com sua inteligência política, captou os reclamos por uma palavra sua sobre as intrigas. E deu. No evento coordenado pela Federação das Associações Muçulmanas do Brasil, que deu ao ex-presidente uma placa de agradecimento da comunidade, o ilustre convidado mandou mais recados:
Alguns adversários sabem como pegamos e como deixamos o país, mas tentaram vender que nós éramos a continuidade. Agora que elegemos alguém para fazer a continuidade, dizem que agora ela é diferente. É no mínimo hilariante”.
A matéria do Vermelho prossegue informando que “Ao responder ao discurso do professor Mohamed Abdib, do Insituto Cultural Árabe, da Unicamp, que disse que Lula deixava saudades, o ex-presidente pregou a alternância no poder”.  Uma pregação edificante porque mostra desprendimento do poder que a imprensa vive dizendo ser o contrário, um apego exacerbado, inexplicável quando se lembra que Lula abriu mão de terceiro mandato que poderia ter conseguido facilmente do alto de sua popularidade estratosférica, assim como fizeram vários de seus colegas latino-americanos.
Lula declara:
A rotatividade e alternância do poder é uma coisa sagrada e vocês não sabem o orgulho que tenho por ter entregue a presidência da República a uma mulher que foi perseguida e torturada.Conheço bem a presidente Dilma. Tenho certeza de que ela vai continuar e fazer mais coisas.
Essa declaração muda tudo. Nos últimos dias, foi dito, aqui, que se fazia necessária.
Todavia, apesar de Lula ter demonstrado que não há, de sua parte, desaprovação ao curso do governo Dilma que se temia, nada garantia que não estivesse sendo apenas generoso. Mas o exagero no uso do “remédio” manipulador pela mídia terminou por entregar o seu joguinho sujo.
Durante a terça-feira, o site de O Globo e um de seus blogueiros publicaram uma saraivada de matérias tentando pôr mais lenha na fogueira.

 
São matérias para lá de inverossímeis. Então Dilma critica Lula por constatar carências que persistem no sistema de saúde brasileiro? Então ferrou. Não vai parar de criticar Lula nunca. E FHC, Itamar, Collor, Sarney, Figueiredo, Geisel… E por aí vai. Todos os que não resolveram, ao longo de seus mandatos, a miríade de problemas do país na Saúde, na Educação, na Segurança etc.
E Dilma não gostou da ausência de Lula e, como diz o blogueiro da Globo, agora vai passar a criticá-lo “indiretamente” e “marcar diferença” dele? Teria Dilma enlouquecido? Quem aceitaria tal coisa? Haveria traição mais hedionda? Quem passa a acusar e a desfazer daquele que lhe conferiu a própria existência política? Existe ataque mais ferino que se poderia fazer a Dilma que o de acusá-la de ser tão ingrata e tão traiçoeira?
Dilma quereria ser vista assim? Só se tivesse perdido o juízo.
Apesar de que aqueles que caíram na conversa mole do PIG, como eu mesmo, precisam ficar mais espertos, a própria presidenta precisa prestar atenção no Beijo da Morte do PIG, estratégia diabólica que até poderia ter funcionado se O Globo não tivesse ido com tanta sede ao pote de cizânia que estava derramando na militância e que, a partir de agora, tratarei de combater de todas as formas, custe o que custar.
No http://www.blogcidadania.com.br/2011/03/globo-%E2%80%9Centrega%E2%80%9D-estrategia-de-intrigar-lula-e-dilma/

domingo, 20 de março de 2011

Parabéns, trabalhadoras domésticas argentinas!

"A lei nos permite sair de um regime semi-feudal implementado pela ditadura em 1956 e entrar em um sistema de igualdade e inclusão social" Héctor Recalde.



Argentina: lei reconhece direitos de trabalhadoras domésticas

Na última quarta-feira (16), os deputados federais da Argentina aprovaram, por unanimidade, o projeto de um novo regime direcionado às empregadas domésticas do país, que tem por objetivo igualar os benefícios das domésticas com outras classes de trabalhadores argentinos assalariados. O texto define como trabalho doméstico "toda prestação de serviço ou execução de tarefas de limpeza, de manutenção e outras atividades típicas do lar”.
A proposta prevê a redução da jornada trabalhista para 8 horas diárias, além de incluir a licença maternidade, aposentadoria e férias remuneradas. Com a aprovação da nova lei, as empregadas domésticas de casas particulares ganharão ainda o direito à licença maternidade, bônus e indenização por demissão.
"A lei nos permite sair de um regime semi-feudal implementado pela ditadura em 1956 e entrar em um sistema de igualdade e inclusão social", disse o titular da Comissão de Legislação Trabalhista, Héctor Recalde.

Descanso semanal

A norma estabelece também o benefício de um descanso semanal mínimo de 35 horas, a partir do sábado entre às 13h e 16h. Em casos de licença enfermidade, outro direito previsto na norma, os empregadores deverão contratar um seguro de riscos de trabalho.

O projeto de lei proíbe ainda o exercício de trabalho doméstico por menores de 16 anos de idade, incluindo a mesma determinação para babás e cuidadores de idosos ou portadores de deficiências, sem conhecimentos profissionais específicos. Hoje, as menores podem trabalhar cerca de 4 horas por dia, 4 dias por semana.
Caso o projeto seja aprovado e transformado em lei, a Argentina estará avançando nos reconhecimentos trabalhistas das domésticas, que tem se apresentado como uma necessidade para a região. Além disso, o país estará atendendo a uma recomendação da Organização Internacional do Trabalho (OIT) sobre o regulamento do trabalho doméstico na América Latina.

 
11 milhões de mulheres

Segundo estimativas, no continente latino-americano cerca de 11 milhões de mulheres trabalham como domésticas, sendo que a maioria delas não tem seus direitos reconhecidos. No México, por exemplo, o governo reconhece que a situação destas trabalhadoras é desfavorável, segundo informou a Confederação Latinoamericana e caribenha de Trabalhadoras do Lar (Conlactraho). Da mesma forma, a regulamentação do trabalho doméstico em países como Colômbia, Guatemala e Panamá também está precária.

No final deste mês, as trabalhadoras do lar realizarão uma reunião com a Central Sindical das Américas, no Brasil, para discutir sobre as demandas do setor. No próximo dia 1º, trabalhadoras mexicanas participarão de um fórum com representantes do governo e dos sindicatos. Já no dia 2 de abril, será realizada uma oficina na Cidade do México, que reunirá representantes da classe da Guatemala, Equador, Costa Rica, Peru e Brasil.

No próximo dia 3, o Instituto Nacional das Mulheres, o Conselho Nacional contra a Discriminação e outras instituições mexicanas se reunirão na expectativa de verem aprovados as recomendações e um convênio com a OIT. Na primeira semana de maio, acontecerá, no Brasil, o Sexto Congresso da Conlactraho, que reunirá 30 organizações de 13 países da América Latina, além do Canadá. Em meados de junho a OIT deve realizar um congresso para tentar solucionar o problema das empregadas domésticas na região.

Fonte: Adital
No http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=7&id_noticia=149859

"ESTRELA LINDA DE BELÉM ILUMINA TODOS NÓS DO ORIENTE VEM BRILHANDO PARA A MAIS PERFEITA LUZ " Louvor Sem Fim

"Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superavél;
quando somos abandonados por nós mesmos,
a solidão é quase incurável..."

Valéria, para os íntimos Val, Estrelinha. Uma mulher como todas as outras que carrega em seu coração o sonho de SER FELIZ. E foi em busca desse sonho que Estrelinha sem medo percorreu vários caminhos, às vezes com sorrisos e às vezes com lágrimas. Caminhos que a levaram a encontros e desencontros, uniões e desuniões, amores e desamores. E num desses caminhos em que Estrelinha pensava ter encontrado o real sentido do amor e da felicidade apareceu um nuvem preta que encobriu o seu brilho e sufocou os seus sonhos, deixando a sempre brilhante Estrelinha muito triste, abatida, sem esperança e quase sem vida, mal a enxergávamos de tão magra, o sofrimento e desilusão envolveram o seu rosto por um longo tempo e vimos nossa Estrelinha aos poucos se apegar à solidão e à depressão.
Mas as nuvens passam, e nossa Valéria voltou a sorrir, ela encontrou um amor que a ajudou a superar todo passado e que lhe restituiu a capacidade de sonhar. Hoje, a Estrelinha brilha com força na vida de todos que a amam. As amargas experiências amorosas a tornaram uma mulher mais resistente e cautelosa, mas não apagaram dela o eterno desejo de AMAR, de ser AMADA e de SER FELIZ.
Valéria Cristina é professora de Português e Inglês, funcionária pública do Estado da Bahia e de Alagoas, nasceu em Belém do São Francisco-PE, tem um filho (Felipe) de 11 anos e há 11 anos reside em Paulo Afonso-BA. Atualmente exerce o cargo de vice-diretora do Colégio Estadual Carlina Barbosa de Deus.

(Escrito por Cinara Karina, professora de Inglês, casada, funcionária pública do Estado de Pernambuco e Bahia, tem dois filhos (Nathália e Nathanael), é escritora e poetisa de peças e jograis. Reside em Belém do São Francisco-PE e é irmã-amiga de Valéria)

"A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, 
mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda."

Arriscando-se em nome da saudade. Pena que SAUDADE não existe no vocabulário americano!

O negro e a mulher reescrevendo a história mundial

Dilma puxa a orelha de Obama

Um brinde ao sonho de brasileiros e americanos. Sonho de liberdade e esperança

Presidenta Dilma Rousseff e o presidente Barack Obama, em brinde no Palácio Itamaraty. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Ao receber o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a primeira-dama Michelle para almoço no Palácio Itamaraty – sede do Ministério das Relações Exteriores, a presidenta Dilma Rousseff propôs um brinde ao “sonho de Martin Luther King, o mesmo sonho de brasileiros e americanos”. No discursos, a presidenta Dilma abordou questões como a participação do Brasil no Conselho de Segurança das Nações Unidas e da necessidade do crescimento do comércio bilateral.
“Espero que Vossa Excelência e sua família levem de Brasília e do Rio de Janeiro as melhores recordações deste país amigo. Os Estados Unidos e o Brasil são duas grandes nações com um futuro de amizade e cooperação à sua frente. Queremos construí-lo. Com esse espírito, proponho que ergamos um brinde ao sonho de Martin Luther King, o mesmo sonho de brasileiros e americanos. Sonho de Liberdade. Sonho de Esperança. E, presidente Obama, gostaria de acrescentar: Sonho de Harmonia e de Paz!”
Leia na íntegra acessando o Blog do Planalto.
No http://blogdadilma.blog.br/

quinta-feira, 17 de março de 2011

A luta pela causa feminina está só começando, meninas!

São Paulo: Feministas em luta por autonomia e igualdade

Praça da Sé: Centenas de pessoas participaram neste sábado de uma caminhada no centro de São Paulo em comemoração ao Dia Internacional de Luta das Mulheres.
O ato reuniu representantes de 90 entidades e movimentos em favor dos direitos da mulher. A manifestação serviu para chamar a atenção da população para a luta das mulheres por autonomia e igualdade e contra o machismo e o capitalismo.
Segundo a secretária da Mulher Trabalhadora da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de São Paulo, Sônia Auxiliadora, com o ato as participantes denunciaram a discriminação contra a mulher. “Queremos mostrar todas as deficiências dentro das políticas públicas e das condições de trabalho, creches e no combate à violência contra as mulheres.”
De acordo com Sônia, o fato de a violência contra as mulheres manter índices altos mesmo depois da Lei Maria da Penha e das campanhas de conscientização mostra que a sociedade ainda é machista e patriarcal. “Além da violência física, temos a violência moral.” Ela lembrou também que a mulher sofre com a desigualdade salarial, ganhando 70% menos que os homens quando desempenham funções iguais.
celebrar suas conquistas e reivindicar seus direitos, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, comemorado na última terça-feira (8).
O ato teve como tema "Feministas em luta por autonomia e igualdade! Contra o machismo e o capitalismo!"
A educadora Lúcia Makena participa do ato todos os anos por considerar importante discutir o papel da mulher negra na sociedade. “Nossa luta é por melhores salários, porque ganhamos menos que a mulher branca.” Segundo ela, a mulher negra é a que mais sofre com a violência doméstica.

Com Agência Brasil

É por aí, Dilma...

Presidenta: não se mexe
em direito do trabalhador

    Publicado em 17/03/2011

PIB vai crescer entre 4,5% e 5%
A Presidenta deu excelente entrevista a Claudia Safatle, no Valor, nas págs. A6 e A7:

Naquele estilo dela: claro, pão-pão-queijo-queijo.

E define um programa de Governo que entusiasma.

A herdeira do Nunca Dantes vai imprimir a sua marca.

Eis um resumo.

- O que separa o Brasil do resto do mundo é que o Brasil tem água.

(O FHC diz que “aqui venta muito”)

- O Brasil tem na energia uma diferença estratégica e competitiva.

- Pré-sal é para exportar – agregar.

- Ela quer matriz energética limpa.

- Ela não brinca com inflação: o objetivo é a meta de 4,5%.

- O Brasil vai crescer este ano entre 4,5% e 5%.

- Esse negócio de “PIB potencial” é bobagem.

- A inflação não é de demanda.

- Ela não vai derrubar a economia.

- Vai fazer concessões em aeroportos.

- Cortar o custeio é como cortar as unhas – tem que cortar, sempre !

- O mercado implica com o Banco Central porque não tem ninguém do mercado na diretoria.

- Não queremos ser só commoditizados. Queremos agregar valor.

- Temos petróleo, biocombustivel, hidrelétrica, minério e somos uma potencia alimentar.

- Quer que brasileiros estudem Exatas nos Estados Unidos.

- Vai fazer uma parceria com Obama em satélites para o clima.

- Não concorda com o apedrejamento de mulher no Irã nem com prisão sem julgamento, como em Guantánamo.

- Não vem que não tem: não vai tirar direito de trabalhador.

- O Brasil assumiu seu papel internacional.

- Não cabe mais numa “Aliança para o Progresso”.

- A desigualdade de renda é ruim politicamente, socialmente e não é boa para a economia.

- “Que outro país do mundo tem a reserva de petróleo que nós temos, que não tem guerra, não tem conflito étnico, respeita contratos e tem princípios democráticos perfeitamente claros e uma visão de mundo tão generosa e pró-paz ?”

No http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/03/17/presidenta-nao-se-mexe-em-direito-do-trabalhador/

Essa (con)fusão vai resultar no PSM - Partido dos Sem Mandato

DEM, PSDB e PPS planejam fusão

16 de março de 2011

O Democratas elegeu ontem presidente o senador José Agripino Maia (RN), no que pode ter sido uma das últimas convenções nacionais do partido, cujas origens remontam à antiga Arena do regime militar. A data-chave do DEM é a eleição municipal de 2012, após a qual a oposição deve abrir uma discussão sobre a fusão dos três partidos - além do Democratas, o PSDB e o PPS já conversam discretamente sobre o assunto, nos bastidores. O que se espera, entre os demistas, é que o senador tucano Aécio Neves, o mais provável candidato do PSDB em 2014, assuma o comando dessas articulações.

Embora a tendência seja o DEM atar seu projeto político ao de Aécio, outros atores tucanos ajudaram na recomposição e trégua provisória do partido, dividido entre as alas do ex-presidente da sigla Jorge Bornhausen (SC) e do até ontem presidente, Rodrigo Maia (RJ). O principal deles foi o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que atuou para desestimular deputados estaduais e federais do Democratas e estaduais do PPS a deixar seus partidos para seguir o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, na fundação de um novo partido (PDB). José Serra também ajudou, para tentar evitar que Kassab desencadeasse a ruptura no DEM.

Aliado de Bornhausen, Kassab foi o grande ausente na convenção de ontem, reforçando a impressão de que sua saída do DEM é iminente. Externamente, os dirigentes do DEM afirmam que a fase mais aguda da crise que atinge o partido está superada. Em termos. Ao tornar públicas suas conversas com o governador Eduardo Campos (PE) sobre a fusão do novo partido que planeja criar com o PSB - uma espécie de partido "janela"-, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, praticamente inviabilizou a adesão de figurões como Jorge Bornhausen (SC), Kátia Abreu (TO), e do ex-senador Marco Maciel, que é adversário de Campos em Pernambuco. Todos estiveram presentes ontem à convenção.

O risco, no entanto, não passou e a avaliação do DEM é que vai perder quadros para o partido de Kassab - se for efetivamente um partido e não apenas um instrumento de passagem para outra legenda - em função das situações locais, além do adesismo governista. Um exemplo: em Goiânia, o senador Demóstenes Torres é candidato a prefeito, mas quem domina a máquina partidária é o deputado Ronaldo Caiado, seu adversário. O problema afeta outros partidos, inclusive o PT (o deputado João Paulo, do Recife, é um exemplo). É nesse quadro que o partido de Kassab pode levar vantagem.

O maior trunfo do Democratas é o tempo de televisão, o que uma legenda nova como seria a do prefeito de São Paulo não terá - só o tempo dos parceiros nas coligações ou do partido ao qual se fundir, como o PSB. Além do tempo de TV, também o fundo partidário permanece integralmente com o DEM.

São com esses recursos e tempo de televisão no horário eleitoral gratuito que o DEM esperar obter o melhor resultado possível nas eleições municipais de 2012, a fim de entrar nas discussões sobre a sucessão presidencial com algum peso. Evidentemente, se o partido obtiver um resultado excepcional, o que não é esperado, a discussão sobre a fusão com os outros dois atuais partidos da oposição deve ser revista.

A fusão também embute um outro risco, que depende da conjuntura pós eleitoral de 2012: se o governo Dilma Rousseff estiver muito bem avaliado, na ocasião, a tendência é que a oposição perca para o governo congressistas que não concordarem com a unificação (é uma justificativa aceita pela legislação eleitoral para a troca de partido).

Em avaliações feitas no Democratas, no mapa a fusão seria um excelente negócio para PSDB e DEM: os partidos são complementares, onde um é fraco, outro é forte ou ainda mantém alguma estrutura capaz de sustentar um partido viável no plano estadual. Por exemplo, o PSDB é fraco no Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Norte e Santa Catarina, todos Estados onde o Democratas é mais forte que o parceiro de oposição ao governo do PT.

Em fase de reorganização e sem nomes à Presidência, outra avaliação corrente no DEM é que os polos de poder no país, no momento, são PT e PSDB. Logo, seja por meio da fusão ou de aliança, a tendência do partido em 2014 é novamente ficar com os tucanos na disputa presidencial, provavelmente com Aécio Neves. Os demistas, no entanto, reclamam da passividade até agora demonstrada pelo senador mineiro, mesmo reconhecendo que ainda não se passaram 90 dias de governo.

Agripino foi eleito com apoio dos dois grupos divergentes do partido, numa tentativa de unir a legenda. Uma de suas tarefas é tentar evitar uma debandada de demistas com Kassab. Uma das armas é a ameaça de recorrer à Justiça para recuperar o mandato dos infiéis. Para isso, demistas têm pareceres jurídicos atestando que quem sai de um partido só pode se beneficiar da exceção à regra da fidelidade partidária se assinar o ato de fundação.

No início, as notícias referiam-se à possibilidade de 70 prefeitos, 20 deputados, uma senadora e os dois governadores do partido o acompanharem. Agora, essa contabilidade caiu para menos de dez no caso dos deputados. E a senadora Kátia Abreu diz que, por enquanto, fica, dando um "voto de confiança" em Agripino. Os dois governadores - Rosalba Ciarlini (RN) e Raimundo Colombo (SC) - também decidiram ganhar tempo. A expectativa é que Agripino possa recompor e conciliar as demandas das diversas facções.

Agripino também cria expectativa nos outros partidos de oposição. O presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), compareceu à convenção. Eleito para mandato-tampão, Agripino propôs o calendário para eleição dos comandos municipais (16 de julho), estaduais (20 de agosto) e nacional (27 de setembro) - na qual deverá ser mantido no cargo, se conseguir manter a coesão.

"Não sou um beligerante. Sou um conciliador. Se os segmentos do meu partido que tinham divergências explícitas me escolheram, é porque querem entendimento", diz. Do Valor Econômico 
No http://osamigosdapresidentedilma.blogspot.com/

Orgulho de ser mulher, de ser brasileira e da minha querida Presidenta Dilma .

quarta-feira, 16 de março de 2011

Obama tá se achando!


Pergunta:
"Mas ao povo brasileiro, o que tem para dizer que justifique um comício? Anunciará a retirada de suas bases militares na Amazônia colombiana? Anunciará alguma "doutrina Obama" de não intervenção e respeito incondicional à auto-determinação dos povos da Bolívia, do Equador, da Venezuela, da Nicarágua, de Honduras e de Cuba? Anunciará a adesão a algum "Plano Bolívar" ou "Plano Lula" para contribuir de verdade com a erradicação da pobreza na América Latina? Anunciará algum acordo comercial assimétrico, que garanta desenvolvimento aos países mais pobres, e deixe de apenas explorar suas riquezas? Reconhecerá as ilhas Malvinas como território argentino?

A resposta é NÃO para todas estas perguntas. Talvez anuncie a flexibilização dos vistos para brasileiros viajarem à Disney-World, no momento em que os EUA estão ávidos por dinheiro de estrangeiros para aquecer sua economia, e brasileiros estão voltando em vez de imigrar para lá. Nada importante para justificar um comício."

Dilma mostra que no carnaval do Brasil tem mais do que samba no pé,

terça-feira, 15 de março de 2011

280 mil empregos criados em fevereiro desmentem críticas ao governo Dilma

O governo Dilma começou sofrendo um bombardeio de "elogios" indesejáveis no PIG (Partido da Imprensa Golpista), carregando nas tintas sobre uma suposta política econômica excessivamente ortodoxa.

Os estragos na imagem avançou na esquerda, e o tanto de gente de esquerda que ainda lê e acredita no PIG é maior do que se pensava. Não adiantava nada desmentir o PIG, fazendo o contraponto, de que o corte de R$ 50 bilhões era sobre um orçamento virtual impossível de se cumprir, e que o orçamento deste ano, mesmo após os cortes, gastará bem mais do que no ano passado, nada tendo de recessivo.

Agora, à medida que a poeira baixa, e a racionalidade dos números começam a aparecer, as coisas começam a voltar ao seu devido lugar.

Da Agência Reuters:


O emprego formal teve desempenho recorde para o mês em fevereiro, influenciado pelo calendário do Carnaval, e o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, previu que março terá também um resultado "muito forte".

Os dados evidenciam a força da economia doméstica em um momento em que o Banco Central tem elevado os juros e sinalizado a adoção de medidas macroprudenciais para reduzir o descasamento entre oferta e demanda.

A economia brasileira criou 280.799 postos de trabalho com carteira assinada em fevereiro, informou o Ministério do Trabalho nesta terça-feira. Os números fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O dado do mês passado representou uma alta de 37,7 por cento frente a fevereiro do ano passado, recorde anterior, quando foram criados 209.425 empregos.

Segundo Lupi, contribuiu para a alta o fato de o Carnaval ter ocorrido em março. Além de fevereiro ter tido mais dias úteis que no ano anterior, houve uma antecipação das contratações relacionadas às festas, principalmente no setor de serviços.

Lupi afirmou que o resultado de março irá "surpreender" positivamente.

"Março vai continuar muito forte (para o emprego formal)", afirmou o ministro a jornalistas, acrescentando que acredita que o dado será recorde para o mês.

Em fevereiro, as contratações com carteira assinada somaram 1.797.217 e os desligamentos, 1.516.418. O setor de serviços foi o que mais contribuiu para expansão do emprego, com 134.342 contratações líquidas, saldo recorde e alta de 0,93 por cento frente a fevereiro de 2010.

Na indústria de transformação, foram criados 60.098 postos de trabalho e, na construção civil, 30.701.
 No http://www.osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Os demotucanos governaram mal o Brasil e estão querendo voltar a administrar o Brasil em 2014.

Filosofia política eleitoral do novo presidente do DEM, José Agripino.

Sobre radiação nuclear

DEM MUDA PARA PSM - Partido dos Sem Mandato

O DEM provavelmente mudará de sigla outra vez. Nossa sugestão: PSM - Partido dos Sem Mandato

ELIANE CANTANHÊDE CHORA A DERROTA ACACHAPANTE DE SEUS AMIGOS DA “OPOSIÇÃO SEM RUMO”

ELIANE CANTANHÊDE
Estouro da boiada
BRASÍLIA – O DEM faz sua convenção nacional hoje em clima de estouro da boiada. Uma boiada que há tempos caminha para o matadouro político, sem rumo, com passos erráticos e sofrendo um golpe atrás do outro.
O mito da unidade interna ruiu quando se tornou pública e descarada a rivalidade entre os então senadores Jorge Bornhausen, fundador do PFL, e Antonio Carlos Magalhães, que pulara no barco na redemocratização já com a disposição de assumir o leme.
As agruras do partido, sob a sigla PFL ou DEM, não pararam mais. Vieram o caso Lunus, que encerrou a aventura de uma candidatura própria com Roseana Sarney em 2002, e o mensalão do DF, que liquidou a carreira do governador José Roberto Arruda em 2010. Oito anos de Lula e a vitória de Dilma fizeram o resto.
Mesmo o mensalão do PT, que abriu vastas oportunidades para a oposição, escapuliu pelos dedos do DEM quando o deputado Roberto Brant, um dos quadros intelectuais mais respeitados no partido, foi apanhado no mensalão mineiro. Isso calou a crítica e tirou o ânimo pefelista/democrata. Brant foi para o DEM o que Eduardo Azeredo foi para o PSDB.
A troca de sigla e de comando não trouxe o ar da novidade e só aguçou a velha disputa interna, que passou de uma geração a outra. Os herdeiros Rodrigo Maia (de Cesar Maia), Paulo Bornhausen (Bornhausen) e ACM Neto (Antonio Carlos) tinham sobrenomes, não protagonismo. Pior: em alguns casos, com pitadas de arrogância.
O experiente senador José Agripino chega à presidência hoje pela mesma porta em que o prefeito Gilberto Kassab está para sair. Sem um presidenciável, sem nomes fortes no centro-sul e perdendo quadros, o DEM não tem perspectiva. Além do principal: identidade e discurso.
O consolo de seus fundadores será (ou seria) se a história de 1984 lhes fizer (ou fizesse) justiça um dia. 
No http://blogdadilma.blog.br/

Dilma, na cova dos leões demotucanos, faz corta as jubas e os bigodes dos bichanos e os rugidos...(cantiga de grilo)

terça-feira, 15 de março de 2011

Arte de ser mulher - Edíria Carneiro

Cultura

14 de Março de 2011 - 11h15

Nova exposição de Edíria Carneiro homenageia as mulheres

A artista plástica Edíria Carneiro inaugura nova exposição no hall de entrada da sede do Comitê Central do PCdoB, no centro de São Paulo, na próxima sexta-feira (18), às 18h30. Com dez telas pintadas à óleo, sob o título “As Excluídas”, Edíria faz sua homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no último 8 de março. A exposição está sendo produzida com o apoio da Fundação Maurício Grabois e da União Brasileira de Mulheres (UBM).

Por Mazé Leite*

Nascida em Salvador, Bahia, Edíra tem uma longa trajetória nas artes plásticas brasileira. Desde a Escola de Belas Artes da Bahia, na década de 1930, ela passou por diversas fases em sua carreira artística, como pintora, mas também como ilustradora e gravadora, tendo inclusive estudado em Paris, França, onde morou por quatro anos.

Em sua trajetória como artista, Edíria fez parte do Núcleo de Gravadores de São Paulo desde sua fundação, na década de 60, e expôs, entre outros lugares, na II Bienal de Artes Plásticas de Salvador, na Bienal de Artes de Santos (década de 70), nas X e XI Bienais Internacionais de São Paulo (1969 e 1971), no Salão Paulista de Arte Moderna (de 1963 a 1968), no Salão Paulista de Arte Contemporânea (1969 a 1974), no Memorial da América Latina, em São Paulo (2005), na Câmara Federal de Brasília (2006). Recentemente fez uma exposição de Gravuras, também na sede do PCdoB.

No exterior, expôs na Associação Brasil-Estados Unidos, em Washington, EUA (1961); no Salon d'Automne, em Paris, França (de 1977 a 1981); no Musée des Beaux Arts de Caen, França (1981); no Salon des Artistes Françaises, em Paris (de 1977 a 1981); no Salon Internacional del Grabado, em Madri, Espanha (de 1977 a 1981); na Feira Internacional de Arte de Paris (1986); no Museu de Arte Colonial, a convite do Centro Wilfredo Lam, em Havana, Cuba (1991); na Bienal de Gravura de Taiwan, China (1991) e na Mostra Internacional de Minigrabados em Madri, Espanha (de 1994 a 1998).

Ela possui obras nos acervos dos seguintes museus: Museu de Arte Moderna de São Paulo; Museu de Arte Moderna de Skoplje, Macedônia, antiga Iugoslávia; Museu del Grabado de Buenos Aires, Argentina; no Cabinet d'Estampes de la Bibliothèque National de Paris, França e na Prefeitura de Porto Alegre, RS.

Além de artista plástica, Edíria Carneiro tem uma longa história de militância no Partido Comunista do Brasil, desde a década de 1940. Foi casada com o líder comunista João Amazonas, com quem teve três filhos.


*Artista plástica, formada em Letras-USP, membro da coordenação nacional do Coletivo de Cultura do PCdoB

No http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=11&id_noticia=149421