quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

"Será muito interessante a sociedade brasileira, se um jornal ou revista de circulação nacional, se dispuser a fazer uma ampla reportagem esclarecendo como, quando, por que e que direitos legais foram usados para recebimento de vultosas importâncias "patrimoniais" desses ministros e juízes. "

Depois dos 'bandidos de toga', os 'juízes vagabundos'

A ministra Eliana Calmon, corregedora do Conselho Nacional de Justiça, já pode ser considerada a personalidade do ano por, pelo menos, tentar  abrir uma das caixas-pretas do Judiciário.
Nas suas primeiras declarações à  imprensa, na condição de corregedora, a ministra causou perplexidade à magistratura. Nunca antes na história deste país um ministro do Judiciário teve coragem de declarar que, no meios deles, haviam os "bandidos de toga". Agora, uma nova declaração  da corregedora Calmon está causando furor.
Segundo matéria publicado no jornal O Estado de S. Paulo, a ministra afirmou ontem (28) que é preciso expor as mazelas internas e punir juízes "vagabundos", para proteger os magistrados honestos.
"Faço isso em prol da magistratura séria e decente e que não pode ser confundida com meia dúzia de vagabundos que estão infiltrados na magistratura", disse, em sessão da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, para discutir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que amplia e reforça os poderes correcionais do CNJ.
Ainda de acordo com a publicação, a ministra afirmou ser necessário retomar a investigação que começou a ser feita no ano passado nos Tribunais de Justiça para coibir movimentações financeiras que poderiam significar pagamentos suspeitos (e elevados) a desembargadores e servidores.
A investigação, iniciada pelo CNJ no tribunal de Justiça de São Paulo e que seria estendida a outros 21 tribunais, foi interrompida por uma liminar concedida no último dia do ano judiciário pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski. O processo hoje está sob relatoria do ministro Luiz Fux e não há prazo para que seja julgado...

Impunidade

Questionar o combate a corrupção! A que ponto chegaram as instituições corporativistas do Judiciário em sua defesa de supostas irregularidades cometidas por eles mesmos! Tudo é tão vergonhoso na preservação do sigilo que eles reivindicam acerca de seus atos no serviço público.
Todo funcionário público deveria saber quando assume seu cargo que ele deve esclarecimento de suas práticas e atividades para o povo através de instituições de controle como o CNJ.
E a imprensa, que tanto gosta de faxina, se cala!
Será muito interessante a sociedade brasileira, se um jornal ou revista de circulação nacional, se dispuser a fazer uma ampla reportagem esclarecendo como, quando, por que e que direitos legais foram usados para recebimento de vultosas importâncias "patrimoniais" desses ministros e juízes. Por que estão imunes e blindados de investigações por orgão especificamente constituído para  cumprir com essa obrigação?
 Nada mais oportuno do que a ministra Calmon ter aberto essa discussão – que muito interessa à sociedade brasileira. É urgente abrir a caixa-preta da Justiça brasileira. Já que estamos num momento muito firme de nossa democracia, é essa a hora de fazer uma faxina geral e irrestrita.

No http://www.redebrasilatual.com.br/blog/helena/depois-dos-bandidos-de-toga-os-juizes-vagabundos

Quem conhece o excelente trabalho da professora Esmeralda à frente da APLB não acredita em FALSAS afirmações de gente que se acovarda por trás de denúncias anônimas. Mostre a cara, covarde!

Esmeralda Patriota representa comprometimento e coragem de lutar em prol de sua categoria

opiniaodogeraldoalves.blogspot.com/


Geraldo Alves
Do GANotícias, em Paulo Afonso - BA

 Créditos da Foto: Divulgação 
Nos dias atuais são poucas as pessoas que não se deslumbram quando assumem a condição de liderança, seja no setor público ou privado. As últimas décadas têm nos deixado órfãos de grandes lideres e com isso, quando é detectada uma dessas figuras, considerada como espécie em risco de intenção, precisamos multiplicar nossos esforços para que o pior não aconteça.



Façamos uma reflexão de como seria o Brasil, hoje, se não tivesse o Lula passado pelo comando deste país. Perfeito sabe-se que ele não foi mais que o nordestino teve peito para emergir das classes populares a ponto de se torna um grande líder sindical e um articulador de mão cheia, isso ninguém pode negar. E de quebra, governou como “nunca antes na história do Brasil’.



Pois bem, guardadas as devidas proporções nossa queria Paulo Afonso que já fora palco de grandes lutas sindicais, não vinha logrando êxito referente ao mesmo problema já enfrentado pelo país afora, a inexistência de nomes que representem as classes trabalhadoras. Eis que na educação se preparava uma brava guerreira que vira assumir a condição de militante proativa, engajada socialmente na luta por qualidade de vida e melhoria salarial de uma categoria tão sofrida, que é a dos profissionais da educação.



Tentar colocar em cheque, o trabalho desenvolvido pela professora, Esmeralda Patriota, juntamente com sua diretoria regional da APLB – Sindicato, eu diria que é querer apagar com uma borracha ganhos históricos da categoria.




Tudo leva a crê que a motivação para a circulação de e-mail/ Denúncia com o título “CARTA ABERTA AOS PROFESSORES, MINISTÉRIOS PÚBLICOS ESTADUAIS E FEDERAIS, APLB E ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS” se deu por conta de uma peça publicitaria exposta nas imediações do terminal rodoviário de Paulo Afonso com os seguintes dizeres, “O Governo de Paulo Afonso iniciará o ano letivo de 2012 sem cumprir a Lei Federal 11.738/2008 e a Lei Municipal 1.208/2011. ATÉ QUANDO VAMOS ACEITAR ESSE ABSURDO?”.



http://opiniaodogeraldoalves.blogspot.com
No http://www.ganoticias.com.br/index.php?pg=noticia&id=722

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Pinheirinho: PSDB não dá mais pra votar em você

Desocupação no Pinheirinho gera discussão entre Eduardo Suplicy e Aloysi...

“Os governadores e prefeitos estão fazendo uma brincadeira de tremendo mau gosto. É uma falta de respeito às leis, aos trabalhadores e aos eleitores tendo em vista as promessas que eles fazem durante a campanha de mais investimento na educação”, cobra Leão.

Agora é lei. Prefeitos têm que pagar não adiante chorar de barriga cheia...

"Estados e municípios que não reajustaram piso do magistério terão que pagar retroativo".
Amanda Cieglinski - Repórter da Agência Brasil.

Mais um ano letivo começou e permanece o impasse em torno da Lei do Piso Nacional do Magistério. Pela legislação aprovada em 2008, o valor mínimo a ser pago a um professor da rede pública com jornada de 40 horas semanais deveria ser reajustado anualmente em janeiro, mas muitos governos estaduais e prefeituras ainda não fizeram a correção.

Apesar de o texto da lei deixar claro que o reajuste deve ser calculado com base no crescimento dos valores do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), governadores e prefeitos justificam que vão esperar o Ministério da Educação (MEC) se pronunciar oficialmente sobre o patamar definido para 2012. De acordo com o MEC, o valor será divulgado em breve e estados e municípios que ainda não reajustaram o piso deverão pagar os valores devidos aos professores retroativos a janeiro.

O texto da legislação determina que a atualização do piso deverá ser calculada utilizando o mesmo percentual de crescimento do valor mínimo anual por aluno do Fundeb. As previsões para 2012 apontam que o aumento no fundo deverá ser em torno de 21% em comparação a 2011. O MEC espera a consolidação dos dados do Tesouro Nacional para fechar um número exato, mas em anos anteriores não houve grandes variações entre as estimativas e os dados consolidados.

“Criou-se uma cultura pelo MEC de divulgar o valor do piso para cada ano e isso é importante. Mas os governadores não podem usar isso como argumento para não pagar. Eles estão criando um passivo porque já devem dois meses de piso e não se mexeram para acertar as contas”, reclama o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão. A entidade prepara uma paralisação nacional dos professores para os dias 14,15 e 16 de março. O objetivo é cobrar o cumprimento da Lei do Piso.

Se confirmado o índice de 21%, o valor a ser pago em 2012 será em torno de R$ 1.430. Em 2011, o piso foi R$1.187 e em 2010, R$ 1.024. Em 2009, primeiro ano da vigência da lei, o piso era R$ 950. Na Câmara dos Deputados tramita um projeto de lei para alterar o parâmetro de reajuste do piso que teria como base a variação da inflação. Por esse critério, o aumento em 2012 seria em torno de 7%, abaixo dos 21% previstos. A proposta não prosperou no Senado, mas na Câmara recebeu parecer positivo da Comissão de Finanças e Tributação.

A Lei do Piso determina que nenhum professor pode receber menos do valor determinado por uma jornada de 40 horas semanais. Questionada na Justiça por governadores, a legislação foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado. Entes federados argumentam que não têm recursos para pagar o valor estipulado pela lei. O dispositivo prevê que a União complemente o pagamento nesses casos, mas desde 2008 nenhum estado ou município recebeu os recursos porque, segundo o MEC, não conseguiu comprovar a falta de verbas para esse fim.

“Os governadores e prefeitos estão fazendo uma brincadeira de tremendo mau gosto. É uma falta de respeito às leis, aos trabalhadores e aos eleitores tendo em vista as promessas que eles fazem durante a campanha de mais investimento na educação”, cobra Leão.
 
No http://dilma13.blogspot.com/

24 de fevereiro de 1932 - Dia do voto feminino

Aconteceu em
24 de fevereiro
   
   
  Carlota de Queiroz, 1ª mulher eleita deputada (em 1934)  
  1932 - Dia do voto feminino  
  Novo Código Eleitoral; voto secreto e obrigatório, pela 1ª vez admite o voto aos 18 anos (antes eram 20) e o das mulheres. Vargas é convertido ao sufrágio feminino por sua filha Alzira, de 17 anos.

Viu, PHA, estamos com você!

Leandro Fortes: Uma acusação injusta

23/02/2012
Racista é a PQP, não PHA!
Por Leandro Fortes, no Brasília Eu Vi

No http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/leandro-fortes-uma-acusacao-injusta.html


Leandro Fortes: Racista é a PQP, não PHA!

fevereiro 23rd, 2012 by mariafro
Respond

Assino embaixo, Leandro. É espantoso como o oportunismo barato abunda com a tosquice generalizada. Abaixo a estupidez. Que assola uma rede cada vez mais armada e menos crítica.
Racista é a PQP, não PHA!

No http://mariafro.com/ 


Nós e uma multidão da blogueiros espalhados mundo afora...








Ele?! Racista?! Ah vai, conta outra!

Paulo Henrique Amorim NÃO foi condenado por racismo

Racista é a PQP, não PHA! 
Leandro Fortes 
Paulo Henrique Amorim, assim como eu e muitos blogueiros e jornalistas brasileiros, nos empenhamos há muito tempo numa guerra sem trégua a combater o racismo, a homofobia e a injustiça social no Brasil. Fazemos isso com as poderosas armas que nos couberam, a internet, a blogosfera, as redes sociais. Foi por meio de pessoas como PHA, lá no início desse processo de abertura da internet, que o brasileiro descobriu que poderia, finalmente, quebrar o monopólio da informação mantido, por décadas a fio, pelos poderosos grupos de comunicação que ainda tanto fazem políticos e autoridades do governo se urinar nas calças. PHA consolidou o termo PIG (Partido da Imprensa Golpista) e muitos outros com humor, inteligência e sarcasmo, características cada vez mais raras entre os jornalistas brasileiros. Tem sido ele que, diuturnamente, denuncia essa farsa que é a democracia racial no Brasil, farsa burlesca exposta em obras como o livro “Não somos racistas”, do jornalista Ali Kamel, da TV Globo.
Por isso, classificar Paulo Henrique Amorim de racista vai além de qualquer piada de mau gosto. É, por assim dizer, a inversão absoluta de valores e opiniões que tem como base a interpretação rasa de um acordo judicial, e não uma condenação. Como se fosse possível condenar PHA por racismo a partir de outra acusação, esta, feita por ele, e coberta de fel: a de que Heraldo Pereira, repórter da TV Globo, é um “negro de alma branca”.
O termo é pejorativo, disso não há dúvida. Mas nada tem a ver com racismo. A expressão “negro de alma branca”, por mais cruel que possa ser, é a expressão, justamente, do anti-racismo, é a expressão angustiada de muitos que militam nos movimentos negros contra aqueles pares que, ao longo dos séculos, têm abaixado a cabeça aos desmandos das elites brancas que os espancaram, violentaram e humilharam. O “negro de alma branca” é o negro que renega sua cor, sua raça, em nome dessa falsa democracia racial tão cara a quem dela usufrui. É o negro que se finge de branco para branco ser, mas que nunca será, não neste Brasil de agora, não nesta nação ainda dominada por essa elite abominável, iletrada e predatória – e branca. O “negro de alma branca” é o negro que foge de si mesmo na esperança de ser aceito onde jamais será. Quem finge não saber disso, finge também que não há racismo no Brasil.
Recentemente, fui chamado de racista por um idiota do PCdoB, partido do qual sou, eventualmente, eleitor, e onde tenho muitos amigos. Meu crime foi lembrar ao mundo que o vereador Netinho de Paula, pagodeiro recentemente convertido ao marxismo, havia espancado a esposa, em tempos recentes. E que havia dado um soco na cara do repórter Vesgo, do Pânico na TV. Assim como PHA agora, fui vítima de uma tentativa primária de psicologia reversa cujo objetivo era o de anular a questão essencial da discussão: a de que Netinho de Paula era um espancador, não um negro, informação esta que sequer citei no meu texto, por absolutamente irrelevante. Da mesma forma, Paulo Henrique Amorim se referiu a Heraldo Pereira como negro não para desmerecer-lhe a cor e a raça, mas para opinar sobre aquilo que lhe pareceu um defeito: o de que o repórter da TV Globo tinha “a alma branca”, ou seja, vivia alheio às necessidades e lutas dos demais negros do país, como se da elite branca fosse.
Não concordo com a expressão usada por PHA. Mas não posso deixar de me posicionar nesse momento em que um jornalista militante contra o racismo é acusado, levianamente, de ser racista, apenas porque se viu na obrigação de fazer um acordo judicial ruim. Não houve crime, sequer insinuação, de racismo nessa pendenga. Porque se pode falar muita coisa sobre Paulo Henrique Amorim, menos, definitivamente, que ele é racista. Qualquer outra interpretação é falsa ou movida por ma fé e vingança pessoal de quem passou a ser obrigado, desde o surgimento do blog “Conversa Afiada”, a conviver com a crítica e os textos adoravelmente sacanas desse grande jornalista brasileiro.

Leia mais em: O Esquerdopata
Under Creative Commons License: Attribution
No http://esquerdopata.blogspot.com/

Decididamente este homem não é racista


Paulo Henrique Amorim NÃO foi condenado por racismo


Uma infinidade de sites e blogs está publicando notícia inverídica sobre o jornalista Paulo Henrique Amorim, de que ele teria sido condenado por racismo por ter usado a expressão “negro de alma branca” em texto em que criticou a capacidade profissional do jornalista da Rede Globo Heraldo Pereira.
Paulo Henrique é um amigo e um homem contra o qual a acusação de qualquer tipo de preconceito é um verdadeiro absurdo. Por incontáveis vezes ouvi da boca do próprio seu inconformismo com preconceito contra negros, homossexuais etc.
O que aconteceu foi que PH fez um texto em que afirmou que o jornalista da Globo em questão seria submisso ao ministro do STF Gilmar Mendes e que a Globo – que acusou de racista –consideraria Pereira um “negro de alma branca”.
Pereira processa PH e este, em audiência de conciliação, opta por fazer um acordo com o autor do processo em que se compromete a desdizer publicamente as críticas que fizera.
A primeira mentira contra PH que está se espalhando até pelos grandes portais de internet, portanto, é a de que ele teria sido condenado. Não foi.
Segundo o próprio PH me disse ao telefone, ele apenas optou por não se defender e ofereceu retratação ao ofendido de forma a extinguir o processo por reconhecer que se excedeu, mas faria isso contanto que quem o processou reconhecesse, no acordo, que não houve ofensa racista.
Repito: Heraldo Pereira assinou um acordo em que reconhece que não houve intenção racista nas críticas que Paulo Henrique Amorim lhe fez. Isso consta do documento que um e outro assinaram diante de um juiz de Direito e de seus respectivos advogados. É, portanto, uma mentira quando dizem que foi “condenado por racismo”.
Abaixo, nota do advogado do PH em que explica o caso em termos técnicos.
Do blog Conversa Afiada
Paulo Henrique Amorim não foi condenado pelo crime de racismo ou dano moral como pleiteado por Heraldo Pereira de Carvalho no montante de R$ 300.000,00. Na ação promovida por Heraldo Pereira de Carvalho, as partes em audiência designada para 15 de fevereiro de 2012, conciliaram perante o Exmo. Sr. Dr. Juiz de Direito da 12ª Vara Cível da Circunscrição Especial de Brasília – DF, Daniel Felipe Machado, constando da sentença que homologou o acordo que o jornalista Paulo Henrique Amorim não ofendeu a moral do autor da ação ou atingiu a sua honra com conotação racista, fatos esses reconhecidos por Heraldo Pereira de Carvalho, tanto assim que concordou e assinou o termo de audiência. Em razão da conciliação levada a efeito, Paulo Henrique Amorim fará doação a instituição de caridade correspondente a 10% do montante pedido pelo jornalista Heraldo Pereira de Carvalho.
—–
Leia também, do jornalista Leandro Fortes
Paulo Henrique Amorim, assim como eu e muitos blogueiros e jornalistas brasileiros, nos empenhamos há muito tempo numa guerra sem trégua a combater o racismo, a homofobia e a injustiça social no Brasil. Fazemos isso com as poderosas armas que nos couberam, a internet, a blogosfera, as redes sociais. Foi por meio de pessoas como PHA, lá no início desse processo de abertura da internet, que o brasileiro descobriu que poderia, finalmente, quebrar o monopólio da informação mantido, por décadas a fio, pelos poderosos grupos de comunicação que ainda tanto fazem políticos e autoridades do governo se urinar nas calças. PHA consolidou o termo PIG (Partido da Imprensa Golpista) e muitos outros com humor, inteligência e sarcasmo, características cada vez mais raras entre os jornalistas brasileiros. Tem sido ele que, diuturnamente, denuncia essa farsa que é a democracia racial no Brasil, farsa burlesca exposta em obras como o livro “Não somos racistas”, do jornalista Ali Kamel, da TV Globo.
Por isso, classificar Paulo Henrique Amorim de racista vai além de qualquer piada de mau gosto. É, por assim dizer, a inversão absoluta de valores e opiniões que tem como base a interpretação rasa de um acordo judicial, e não uma condenação. Como se fosse possível condenar PHA por racismo a partir de outra acusação, esta, feita por ele, e coberta de fel: a de que Heraldo Pereira, repórter da TV Globo, é um “negro de alma branca”.
O termo é pejorativo, disso não há dúvida. Mas nada tem a ver com racismo. A expressão “negro de alma branca”, por mais cruel que possa ser, é a expressão, justamente, do anti-racismo, é a expressão angustiada de muitos que militam nos movimentos negros contra aqueles pares que, ao longo dos séculos, têm abaixado a cabeça aos desmandos das elites brancas que os espancaram, violentaram e humilharam. O “negro de alma branca” é o negro que renega sua cor, sua raça, em nome dessa falsa democracia racial tão cara a quem dela usufrui. É o negro que se finge de branco para branco ser, mas que nunca será, não neste Brasil de agora, não nesta nação ainda dominada por essa elite abominável, iletrada e predatória – e branca. O “negro de alma branca” é o negro que foge de si mesmo na esperança de ser aceito onde jamais será. Quem finge não saber disso, finge também que não há racismo no Brasil.
Recentemente, fui chamado de racista por um idiota do PCdoB, partido do qual sou, eventualmente, eleitor, e onde tenho muitos amigos. Meu crime foi lembrar ao mundo que o vereador Netinho de Paula, pagodeiro recentemente convertido ao marxismo, havia espancado a esposa, em tempos recentes. E que havia dado um soco na cara do repórter Vesgo, do Pânico na TV. Assim como PHA agora, fui vítima de uma tentativa primária de psicologia reversa cujo objetivo era o de anular a questão essencial da discussão: a de que Netinho de Paula era um espancador, não um negro, informação esta que sequer citei no meu texto, por absolutamente irrelevante. Da mesma forma, Paulo Henrique Amorim se referiu a Heraldo Pereira como negro não para desmerecer-lhe a cor e a raça, mas para opinar sobre aquilo que lhe pareceu um defeito: o de que o repórter da TV Globo tinha “a alma branca”, ou seja, vivia alheio às necessidades e lutas dos demais negros do país, como se da elite branca fosse.
Não concordo com a expressão usada por PHA. Mas não posso deixar de me posicionar nesse momento em que um jornalista militante contra o racismo é acusado, levianamente, de ser racista, apenas porque se viu na obrigação de fazer um acordo judicial ruim. Não houve crime, sequer insinuação, de racismo nessa pendenga. Porque se pode falar muita coisa sobre Paulo Henrique Amorim, menos, definitivamente, que ele é racista. Qualquer outra interpretação é falsa ou movida por ma fé e vingança pessoal de quem passou a ser obrigado, desde o surgimento do blog “Conversa Afiada”, a conviver com a crítica e os textos adoravelmente sacanas desse grande jornalista brasileiro.
—–
Portal Terra publica retratação por notícia inverídica sobre Paulo Henrique Amorim
—–
Abaixo, a defesa oral de Paulo Henrique Amorim
SOU JORNALISTA HÁ 51 ANOS.
FUI ESTAGIÁRIO DO JORNAL A NOITE EM 1961.
COMECEI ENTÃO A FINANCIAR OS PRÓPRIOS ESTUDOS.
TRABALHEI NA REVISTA MANCHETE E NA REALIDADE, ENTÃO, A MAIS IMPORTANTE DO PAÍS.
AINDA NA EDITORA ABRIL, ABRI O ESCRITÓRIO DA REVISTA VEJA EM NOVA YORK COM 25 ANOS.
FUI EDITOR DE ECONOMIA DA REVISTA VEJA E DIRETOR DE REDAÇÃO DA REVISTA EXAME.
EDITOR DE ECONOMIA , REDATOR CHEFE E DIRETOR DE REDAÇÃO DO JORNAL DO BRASIL, QUANDO ERA O MELHOR JORNAL DO BRASIL.
DIRETOR DE JORNALISMO DA TEVÊ MANCHETE.
EDITOR DE ECONOMIA, COLUNISTA DE ECONOMIA DO JORNAL DA GLOBO, ÂNCORA E DIRETOR DA REDE GLOBO NO ESCRITÓRIO EM NOVA YORK.
ÂNCORA E EDITOR DO PROGRAMA JORNAL DA BAND.
ÂNCORA E EDITOR DO PROGRAMA FOGO CRUZADO, NA BANDEIRANTES.
ÂNCORA E EDITOR DO PROGRAMA “CONVERSA AFIADA”  , DA TV CULTURA – ÚNICO PROGRAMA DIÁRIO, EM TEVÊ ABERTA, NO HORÁRIO NOBRE, DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE, POR DOIS ANOS.
SOU ÂNCORA DO PROGRAMA DOMINGO ESPETACULAR, A SEGUNDA MAIOR AUDIÊNCIA DA TEVÊ BRASILEIRA, AOS DOMINGOS.
HÁ DEZ ANOS SOU RESPONSÁVEL PELO SITE CONVERSA AFIADA QUE, EM 2012, ENTRE 100 MIL BLOGS DO BRASIL, FOI O MAIS VOTADO NUMA ELEIÇÃO DA RESPEITADA EMPRESA DE ADMINISTRAÇÃO DE PRODUTOS NA INTERNET, A TOP OF MIND.
NA MESMA ELEIÇÃO, O CONVERSA AFIADA FOI ELEITO O MAIS IMPORTANTE BLOG POLÍTICO DO PAÍS.
DIGO ISSO PARA RESSALTAR QUE, COMO O AUTOR, TIVE UMA ORIGEM HUMILDE, DE PAIS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DE BAIXA REMUNERAÇÃO, QUE TEVE QUE TRABALHAR MUITO PARA ESTUDAR E SUBIR NA VIDA.
O AUTOR NÃO TEM O MONOPÓLIO DA LUTA CONTRA A ADVERSIDADE.
OU DA CAPACIDADE DE SUPERÁ-LA.
ISSO NÃO  QUALIFICA A DENÚNCIA DELE.
PELO MENOS DIANTE DESTE SUPOSTO RÉU.
EM 51 ANOS DE CARREIRA, COMO REPÓRTER, REDATOR, EDITORIALISTA, ARTICULISTA, ÂNCORA OU EDITOR  J A M A I S , N U N C A
- SUSPEITARAM
- INSINUARAM
- OU ME ACUSARAM DE RACISMO
OU SEQUER DE PRECONCEITO CONTRA NEGROS, JUDEUS, ÍNDIOS, PALESTINOS, NORDESTINOS, BOLIVIANOS, HOMOSSEXUAIS, TRAN-SEXUAIS OU QUALQUER MINORIA OU SEGMENTO SOCIAL.
AO CONTRÁRIO.
OS AUTOS DEMONSTRAM QUE SOU UM DEFENSOR DAS POLÍTICAS QUE IMPEDEM E COMBATEM O RACISMO E O PRECONCEITO.
QUERO AQUI AGRADECER O GENEROSO TESTEMUNHO DO DEPUTADO EDSON SANTOS, DO PT DO RIO, EX-MINISTRO DA IGUALDADE RACIAL,  E JEAN WILLYS, DO PSOL DO RIO, QUE LUTA PELA CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA.
OS DOIS SE DISPUSERAM A DEPOR A MEU FAVOR NESTA CAUSA, SE FOSSE NECESSÁRIO.
AGRADEÇO TAMBÉM AO SENADOR PAULO PAIM, DO PT DO RIO GRANDE DO SUL, PAI DO ESTATUTO DA IGUALDADE RACIAL, QUE DEU UM TESTEMUNHO EM MINHA DEFESA, ESPECIALMENTE PARA ESTA AÇÃO, ONDE ATESTA QUE JAMAIS MANIFESTEI QUALQUER ATO OU IDEIA DE CARÁTER RACISTA.
AO CONTRÁRIO.
DEFENDO, POR EXEMPLO, AS COTAS PARA NEGROS NAS UNIVERSIDADES -
POLÍTICA QUE O SUPOSTO RÉU DEFENDE DESDE QUE, CORRESPONDENTE DA GLOBO NOS ESTADOS UNIDOS, PODE ACOMPANHAR SEUS EFEITOS BENÉFICOS PARA NEGROS QUE NASCEM NA ADVERSIDADE.
NUNCA EM 51 ANOS DE ATIVIDADE PÚBLICA , À VISTA DE TODOS, EM REDE NACIONAL, DISSERAM, INSINUARAM OU SUSPEITARAM QUE EU FOSSE RACISTA.
OU QUE, COMO ACUSA O AUTOR, INCITASSE O RACISMO.
ESSE MESMO SITE NA INTERNET, AGORA ACUSADO DE SER UM INSTRUMENTO DO RACISMO, UMA ESPÉCIE DE MEIN KAMPF DA BLOGOSFERA, ESSE MESMO CONVERSA AFIADA DIVULGOU DEZENAS DE TEXTOS CONTRA O RACISMO E O PRECONCEITO.
E A FAVOR DA COTAS.
ISSO ESTÁ FARTAMENTE DOCUMENTADO NOS AUTOS.
NÃO HÁ UMA FRASE, UM ATO, UMA PALAVRA, UM GESTO, EM 51 ANOS NA VITRINE DA IMPRENSA, QUE POSSA OU QUE  J A M A I S TENHA SIDO ASSOCIADO  A RACISMO.
SOBRE A EXPRESSÃO “NEGRO DE ALMA BRANCA”, QUE PARECE SINTETIZAR A ACUSAÇÃO, ESSA, SIM, INFAMANTE, QUERO PONDERAR.
PRIMEIRO, O SIGNIFICADO DA EXPRESSÃO NÃO É UNIVOCO.
ELA SE ASSOCIA, POR EXEMPLO,  A ZUMBI DOS PALMARES, UM HERÓI DA RESISTÊNCIA DOS NEGROS QUE NÃO SE SUBMETEM À OPRESSÃO.
TAMBÉM SE EMPREGOU EM RELAÇÃO AO PAI TOMÁS , SEM NENHUMA CONOTAÇÃO OFENSIVA – E MUITO MENOS RACISTA.
UM DOS SIGNIFICADOS  DA EXPRESSÃO – QUE, ADMITO, POSSA MELINDRAR E, SE ASSIM FOR, LAMENTO PROFUNDAMENTE – UM DOS SIGNIFICADOS CORRENTES E USUAIS É PARA DESCREVER O NEGRO QUE NÃO DEFENDE NEM SE DEFENDE DO RACISMO E DOS RACISTAS.
É A ACEPÇÃO A QUE RECORRI.
NEGRO DE ALMA BRANCA É O NEGRO QUE NÃO OLHA PARA TRÁS – PARA A CHAGA DA ESCRAVIDÃO, OU, COMO DIRIA JOAQUIM NABUCO:
“NÃO BASTA ACABAR COM A ESCRAVIDÃO. É PRECISO DESTRUIR SUA OBRA.”
É A OBRA QUE ESTÁ ABERTA AINDA HOJE, COMO COMPROVAM AS ESTATÍSTICAS DO IBGE, DOS CÁRCERES BRASILEIROS, DAS CRACOLÂNDIAS.
NEGRO DE ALMA BRANCA PODE SER AQUELE QUE NÃO ASSUME A SUA PRÓPRIA CONDIÇÃO DE NEGRO PARA COMBATER O RACISMO E O PRECONCEITO CONTRA O NEGRO.
CONTRA ELE, CONTRA A MÃE, O PAI, OS IRMÃOS.
É O NEGRO QUE OLHA PARA OUTRO LADO.
QUE FINGE QUE NÃO VÊ.
ACHA QUE NÃO É COM ELE.
NEGRO DE ALMA BRANCA DE PRESTÍGIO, UMA CELEBRIDADE, É O NEGRO QUE NÃO SE VALE DA POPULARIDADE E DO PRESTÍGIO PARA DEFENDER O NEGRO PRESO À CORRENTE DA ADVERSIDADE.
NEGRO DE ALMA BRANCA PODE SER TAMBÉM AQUELE QUE SE PRESTA A COONESTAR AS POSIÇÕES, AS TESES DE QUEM É CONTRA OS DIREITOS CIVIS DOS NEGROS OU DOS QUE COMBATEM AS POLÍTICAS QUE PODEM DAR INDEPENDÊNCIA ECONÔMICA E RECONHECIMENTO SOCIAL AOS NEGROS.
SÃO AQUELES QUE DEFENDEM PSEUDO POLÍTICAS ANTROPOLÓGICAS QUE CONGELAM A DESIGUALDADE E A DISCRIMINAÇÃO.
NESSE  PAÍS DE MAIORIA NEGRA MORREM MAIS NEGROS QUE BRANCOS NA MESMA FUNÇÃO.
HÁ MENOS NEGROS NAS FACULDADES.
QUANTOS NEGROS  HÁ NA MAGISTRATURA ?
A CARA DA MISÉRIA, A CARA DA POBREZA NO BRASIL, É NEGRA.
ESSA É UMA QUESTÃO CENTRAL DA DEMOCRACIA BRASILEIRA – E O LOCAL
PARA DISCUTÍ-LA NÃO É NESTA SALA, COM ESTE TIPO DE AÇÃO, QUE NÃO PASSA DE UMA PERIPÉCIA, UMA MANIFESTAÇÃO DE PODER.
DE PODER PARA TENTAR MANIPULAR O SISTEMA JUDICIÁRIO EM BENEFÍCIO DO AUTOR, FUNCIONÁRIO DA MAIS PODEROSA EMISSORA DE TEVÊ DA AMERICA LATINA, ONDE OCUPA CARGO DE PRESTÍGIO E DESTAQUE.
NA MINHA MODESTA OPINIÃO, TODO NEGRO DEVERIA DEFENDER O NEGRO.
ESPECIALMENTE SE FOR FAMOSO, TIVER PRESTÍGIO.
ESPECIALMENTE SE DISPÕE DO PÚLPITO DA REDE GLOBO.
ESTIVE NESSE PÚLPITO GLOBAL, TOTAL, POR DEZ ANOS E SEI O QUANTO ELE VALE.
VALE MUITO, PARA, EM ATIVIDADES PÚBLICAS, ATIVIDADES QUE DERIVAM DO FATO DE SER UM PROFISSIONAL DA GLOBO, PODER DEFENDER CAUSAS NOBRES.
POR EXEMPLO, COMBATER O RACISMO E A DISCRIMINAÇÃO – COMO FEZ ESTE SUPOSTO REU EM ATIVIDADES PÚBLICAS NOS ESTADOS UNIDOS E NO BRASIL.
É O PÚLPITO QUE DÁ DIMENSÃO AO TRABALHO ARTÍSTICO E POLÍTICO – NÃO PARTIDÁRIO – DE MILTON NASCIMENTO, LECY BRANDÃO, LÁZARO RAMOS E, SOBRETUDO, DE MARTINHO DA VILA, UM DIVULGADOR INCANSÁVEL DA CULTURA AFRICANA E SEU ENRAIZAMENTO NA CULTURA BRASILEIRA.
E ENFATIZO O PAPEL DE MARTINHO, MARTINHO DA VILA.
ASSIM COMO O DE MARTIN, MARTIN MARTINHO LUTHER  KING JR, O DOCTOR KING – SEM DÚVIDA, O DR KING, COMO MARTINHO, NÃO ERA UM NEGRO DE ALMA BRANCA.
MARTINHO … MARTINHO LUTERO, QUE SE INSURGIU CONTRA AS VERDADES ESTABELECIDAS E CONGELADAS.
CRITICO TAMBÉM A GLOBO.
E SEU IDEÓLOGO, SUA IDEOLOGIA.
MEU PROBLEMA COMO CIDADÃO DE UMA REPÚBLICA LAICA, ONDE DEVE IMPERAR A DEMOCRACIA, É, NO CASO EM TELA, NESTA ACUSACAO, COM A GLOBO.
CONCESSIONÁRIA DE UM BEM PÚBLICO – O ESPECTRO ELETRO-MAGNETICO – A GLOBO CONGELA A DESIGUALDADE. CRISTALIZA SUPOSTAS VERDADES CONVENIENTES, APROPRIADAS, QUE TOMAM A FORMA DE DOGMAS.
GLAMURIZA A INJUSTIÇA.
E, SOBRETUDO, IMPEDE O DEBATE.
OMITE A DISCUSSÃO SOBRE POLÍTICAS QUE  COMBATAM A DESIGUALDADE.
FECHA A PORTA À VÍTIMA DA INJUSTIÇA.
ATRIBUI-SE AO FUNDADOR DA REDE GLOBO, O EMPRESARIO ROBERTO MARINHO, A FRASE SINTESE DESTE MONOPOLIO:
O IMPORTANTE – DIZIA ELE – NAO É O QUE A GLOBO DIVULGA, MAS O QUE … NAO … DIVULGA !
A MINHA CRITICA – EXPRESSA NOS TEXTOS EM QUE SE SUSTENTA O AUTOR  – É A ESSA POLITICA E A SEU IDEOLOGO, AQUELE QUE, NOS MEIOS JORNALISTICOS , É CHAMADO DE CARDEAL RATZINGER DA GLOBO, O GUARDIAO DA FE DE ROBERTO MARINHO.
É O JORNALISTA ALI KAMEL, O MAIS PODEROSO DIRETOR DE JORNALISMO DA HISTORIA DA REDE GLOBO.
E ESTE SUPOSTO REU CONVIVEU COM OS OUTROS TRES .
NENHUM TEVE TANTO PODER QUANTO KAMEL.
TRATA-SE DE UM PSEUDO ANTROPOLOGO OU FALSO BIOLOGO QUE SUSTENTA O DISPARATE DE QUE NO BRASIL QUASE NAO HÁ NEGROS.
HA , SIM, SEGUNDO O SUPOSTO CARDEAL, PARDOS.
E PARDOS, PORQUE NAO SAO NEGROS, NAO PRECISAM DE COTAS PARA ENTRAR NA UNIVERSIDADE.
E ISSO O QUE EU CRITICO.
E PORQUE USOU – ELE, SIM, KAMEL – O PULPITO DA GLOBO E DO JORNAL O GLOBO
PARA ESCREVER UM LIVRO COM  TITULO QUE É SABIDAMENTE UMA FRAUDE.
O TITULO É … NAO SOMOS RACISTAS.
ONDE COMBATE FEROZMENTE AS COTAS RACIAIS.
A CRITICA DESTES ARTIGOS EM QUESTAO É À IDEOLOGIA QUE NUTRE O RESPONSAVEL PELA POLITICA EDITORIAL DA MAIOR REDE DE TELEVISAO DA AMERICA LATINA.
A GLOBO NAO É UMA ABSTRACAO.
ELA É FEITA DE HOMENS DE CARNE, OSSO E IDEIAS.
A GLOBO TEM IDEIAS, IDEOLOGIA – E ACIMA DE TUDO, INTERESSES.
INTERESSES POLITICOS.
E ISSO DEVERIA SER DISCUTIDO NOUTRO FORUM, QUE NAO ESSE, QUE O AUTOR NOS IMPÕE.
COMO JORNALISTA E HOMEM PUBLICO TENHO UMA TRADICAO DE CRITICAR A GLOBO.
ISSO TAMBEM ESTÁ NOS AUTOS.
O TITULO DA REPORTAGEM EM TELA FALA POR SI MESMO:
“A GLOBO MENTE EM REDE NACIONAL E DESMENTE EM REDE LOCAL”
O QUE É INACEITAVEL DO PONTO DE VISTA ETICO.
COMO DISSE A PEÇA INICIAL NA DEFESA QUE FIZ NO CRIME – SIM, PORQUE ME PROCESSAM POR UM CRIME TAMBEM -
” NEGRO DE ALMA BRANCA É O NEGRO BEM SUCEDIDO QUE NAO DEFENDE OS NEGROS – QUE DESMENTE A NECESSIDADE DE POLITICAS FOMENTADORAS DA IGUALDADE RACIAL E CORROBORA A TESE DE ALI KAMEL DE QUE O BRASIL NAO É RACISTA.”
O COMPORTAMENTO PUBLICO E PROFISSIONAL DO AUTOR  É,  ASSIM,  A CONFIRMACAO DA TESE DO ALI KAMEL.
E A PERIPECIA DO AUTOR É  DIZER QUE ISSO É  UMA FORMA DE RACISMO…
SE BARACK OBAMA OU PELÉ FOSSEM À JUSTICA TODA VEZ QUE OS CHAMAM DE NEGROS DE ALMA BRANCA, O SISTEMA JUDICIAL BRASILEIRO E AMERICANO NAO FARIA OUTRA COISA !
RECENTEMENTE, UM DOS MAIS RESPEITADOS INTELECTUAIS AMERICANOS, CORNELL WEST, PROFESSOR DE HARVARD E PRINCETON, CHAMOU O PRESIDENTE BARACK OBAMA DE NEGRO DE ALMA BRANCA, PORQUE , SEGUNDO ELE, SE VENDEU A WALL STREET.
CORNELL WEST É NEGRO E USA CABELO AFRO.
A CRITICA QUE FIZ NO CONVERSA AFIADA NAO FOI UMA OBSERVACAO SOBRE A ETNIA DO QUERELANTE – NEM DE ALI KAMEL, DE ORIGEM PALESTINA.
FOI UMA CRITICA POLITICA.
UMA CRITICA À IDEOLOGIA DA GLOBO.
QUERO ME REPORTAR AQUI À NOTAVEL CONTRIBUIÇÃO DA GLOBO À CULTURA BRASILEIRA.
ESTE PRODUTO IMPORTADO CHAMADO BIG BROTHER BRASIL, TAMBÉM CHAMADO DE BIG BROTHEL BRASIL.
QUERO INVOCAR TAMBÉM O DEPOIMENTO DE MINO CARTA, PROVAVELMENTE O MAIOR JORNALISTA BRASILEIRO E MEU MENTOR, DESDE QUE FOI MEU CHEFE NA REVISTA VEJA.
COMO TODOS SABEM, O BIG BROTHER BRASIL OFERECEU AO PUBLICO BRASILEIRO UMA CENA SUB-EDREDÔNICA ONDE SE SUSPEITA TER OCORRIDO UM ESTUPRO.
O SUSPEITO DE PRATICAR O ESTUPRO É UM MODELO PROFISSIONAL, NEGRO, DE NOME DANIEL.
VEJA O QUE DIZ  MINO CARTA SOBRE NEGROS DE ALMA BRANCA E A GLOBO.
Quanto ao Big Brother, é de fonte excelente a informação de que a produção queria um “negro bem-sucedido”, crítico das cotas previstas pelas políticas de ação afirmativa contra o racismo. Submetido no ar a uma veloz sabatina no dia da estréia, Daniel Echaniz, o negro desejado, declarou-se contrário às cotas e ganhou as palmas febris dos parceiros brancos e do âncora Pedro Bial . [...]E não é que este Daniel, talvez negro da alma branca, é expulso do programa do nosso inefável Bial? Por não ter cumprido algum procedimento-padrão, como a emissora comunica, de fato acusado de estuprar supostamente uma colega de aventura global, como a concorrência divulga”.
COMO DIZ O MINO CARTA, EM OUTRO CONTEXTO:
A EXPRESSÃO “NEGRO DE ALMA BRANCA” É EXATAMENTE UMA CRITICA AO RACISMO.
SÓ A GLOBO TEM O DIREITO DE TER OPINIÃO NESTE PAÍS ?
O DIREITO DE ESTABELECER QUEM DEVE E QUEM NAO DEVE ENTRAR NAS UNIVERSIDADES ?
QUEM É RACISTA OU NÃO ?
QUEM PODE TRABALHAR COM O PEDRO BIAL, SENDO NEGRO ?
MINO CARTA DÁ A IMPRESSÃO DE QUE EXISTE UM TESTE DE HIGIENE IDEOLOGICA NA GLOBO.
SIM.
PORQUE NÃO HÁ NOTICIA DE UM NEGRO QUE TRABALHE NO JORNALISMO DA GLOBO QUE TENHA DEFENDIDO PUBLICAMENTE AS COTAS RACIAIS PARA A UNIVERSIDADE.
NÃO SÃO MUITOS OS NEGROS, ALI NAQUELA VITRINE PODEROSA.
E OS POUCOS NÃO DEFENDEM AS COTAS – POR QUE SERÁ ?
ESTA NÃO É UMA AÇÃO PENAL !
O QUE SE JULGA AQUI É A LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
E NAO A SIMPLES LIBERDADE DE IMPRENSA DO ROBERTO MARINHO, SEUS HERDEIROS E ALI KAMEL.
A LIBERDADE DE PENSAR E SE EXPRIMIR DIFERENTE DA GLOBO.
DE NAO SE SUBMETER A UM PROCESSO DE HIGIENIZAÇÃO IDEOLOGICA.
QUERO RELEMBRAR, AQUI, A TESE CENTRAL DO PROFESSOR LUIS FELIPE DE ALENCASTRO, AUTOR DO LIVRO CLASSICO “TRATO DE VIVENTES “, TITULAR DA CADEIRA DE HISTÓRIA DO BRASIL NA SORBONNE, NA FRANÇA, NUM TESTEMUNHO RECENTE EM AUDIENCIA NO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, A CONVITE DO MINISTRO RICARDO LEWANDOWSKI.
O PROFESSOR ALENCASTRO ESTÁ NOS AUTOS, COMO MINHA TESTEMUNHA.
DISSE ELE NO SUPREMO.
A DIVISÃO DA SOCIDADE BRASILEIRA ESTÁ DADA. É CONCRETA.
PESQUISAS DO IBGE, DO IPEA, DE REPUTADOS SOCIOLOGOS E HISTORIADORES RENOMADOS ATESTAM A ESMAGADORA DEBILIDADE SOCIAL, ECONOMICA, EDUCACIONAL DA POPULAÇÃO NEGRA.
ESSE MAL JÁ ESTÁ FEITO.
A ESCRAVIDÃO FEZ.
AGORA, É PRECISO TRATAR DESIGUALMENTE AS OPORTUNIDADES PARA CORRIGIR A DEFORMAÇÃO GERADA NA DESIGUALDADE.
POR ISSO SOU A FAVOR DAS COTAS RACIAIS NAS UNIVERSIDADES, CONCLUIU ELE.
ESSA É A MINHA QUESTÃO.
ESSE É, NESTE CASO, O MEU PROBLEMA COM A GLOBO E SEU IDEOLOGO, O PSEUDO ANTROPOLOG , O CARDEAL RATZINGER.
ESSA É A MINHA CRITICA AOS NEGROS DE ALMA BRANCA.
NUMA PALAVRA, A CONDESCENDÊNCIA COM A DESIGUALDADE.
SUBSIDIARIAMENTE,  ESSA AÇÃO – NO CRIME E NO CÍVEL – NÃO PASSA DE UMA BURLA, DE UM ESCÁRNIO AO SISTEMA JUDICIARIO.
O VERDADEIRO AUTOR, NA MINHA INVIOLÁVEL E SOLITARIA INTERPRETACAO, É GILMAR MENDES, TESTEMUNHA DO AUTOR, NA AÇÃO PENAL.
QUE SE ABALOU DO OLIMPICO TRIBUNAL PARA VIR AQUI COMO SE FOSSE TRATAR DE UMA ROTINEIRA QUERELA TRABALHISTA.
NAO !
GILMAR MENDES QUER SE VINGAR DE MIM ATRAVÉS DE TRES PROCESSOS NA JUSTIÇA.
NO CRIME, JÁ FOI SUMARIAMENTE DERROTADO, PORQUE O MINISTERIO PUBLICO NAO VIU POR QUE ME PROCESSAR.
FALTAM DOIS PROCESSOS NO CÍVEL, ONDE A JUSTIÇA, CERTAMENTE, PREVALECERÁ.
E TEM ESTE AQUI, DE QUE TRATAMOS, EM QUE ELE É O VERDADEIRAO AUTOR E O ESPIRITO SANTO DE ORELHA DESTA AÇAO.
FAZ ISSO ATRAVÉS DO CONSPICUO AUTOR, PRO FORMA.
FAÇO ESSA DENUNCIA SERENAMENTE.
E A FAREI EM TODAS AS INSTÂNCIAS NECESSARIAS.
AQUI, ME DEBATO COM GILMAR MENDES.
UM NOTORIO ADVERSÁRIO DA LIBERADE DE EXPRESSAO – TANTAS AS AÇOES INOCUAS QUE MOVE NA JUSTIÇA PARA CALAR JORNALISTAS INDEPENDENTES.
COMO TENTOU FAZER COM MINO CARTA E LEANDRO FORTES, TAMBEM DA CARTA CAPITAL
E PERDEU.
QUAL O PROBLEMA DE GILMAR MENDES COM ESTE SUPOSTO RÉU ?
PORQUE NO SITE CONVERSA AFIADA FAÇO QUESTAO DE RELEMBRAR QUE ELE DEU EM 48 HORAS DOS HCS QUE O MEIO JURIDICO CHAMA DE HCS CANGURU, PARA BENEFICIAR UM PASSADOR DE BOLA APANHADO NO ATO DE PASSAR BOLA, O BANQUEIRO DANIEL DANTAS.
PORQUE O SITE CONVERSA AFIADA CONSIDERA QUE GILMAR MENDES NÃO TEM CONDIÇÕES MORAIS NEM INTELECTUAIS PARA SE SENTAR NUMA CADEIRA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.
UM MINISTRO QUE MANTEM COM O ADVOGADO SERGIO BERMUDES AS RELAÇÕES PROMISCUAS QUE ELE MANTEM, COM O USUFRUTO DE APARTAMENTO NO CENTRAL PARK, EM NOVA YORK, E UMA LIMOUSINE MERCEDES BENZ – ESSE HOMEM, NA MINHA MODESTA OPINIÃO, NÃO PODE SER UM ARBITRO DE QUESTÕES QUE DIGAM RESPEITO À CONSTITUIÇÃO.
QUERO ENCERRAR MINHAS PALAVRAS COM UM TESTEMUNHO PESSOAL.
NUM RECENTE DOMINGO, O PROGRAMA EM QUE TRABALHO, DOMINGO ESPETACULAR, EXIBIU REPORTAGEM MINHA NUM ABRIGO, NO RIO,  DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES VICIADOS EM CRACK.
CRIANÇAS TALVEZ DESTRUIDAS DE FORMA IRRECUPERAVEL.
SEUS CIRCUITOS CEREBRAIS JÁ FORAM DANIFICADOS DE TAL FORMA, QUE NÃO CONSEGUEM MAIS ARTICULAR COM NITIDEZ AS PALAVRAS QUE SAEM DA BOCA.
HAVIA, ALI, 23 CRIANÇAS.
TODAS ERAM NEGRAS.
—–
Leia a opinião do Rodrigo Vianna sobre o caso
Os ataques rasteiros a PH Amorim
por Rodrigo Vianna
Inimigos de Paulo Henrique Amorim (seria tolo chamá-los, apenas, de adversários) utilizaram a internet nas últimas horas para espalhar a informação de que ele teria sido condenado por racismo. Mentira dupla: não houve condenação (mas um acordo, ainda em primeira instância)  e o autor do processo (o também jornalista Heraldo Pereira, da Globo) reconheceu (ao assinar o tal acordo) que não teria havido ofensa de cunho racista.
Figura emblemática na internet, PH Amorim fez muitos inimigos nos últimos anos. Claro que os inimigos tentaram aproveitar a situação para atacá-lo. Dizer (ou insinuar) que PH Amorim é racista foi a vingança de parte dessa gente que vive nas sombras – protegida pelos cargos oficiais, pelas amizades político-financeiras ou pelas posições ocupadas em Redações da velha mídia. Claro que essa gente não botou a cara pra bater; preferiu utilizar sites e/ou portais que fazem o serviço pesado para o PIG.
Esse é o método dessa gente. Senti isso na pele quando sai da TV Globo em 2006, e recebi ataques sistemáticos  daqueles que agiam de forma dissimulada para agradar meus ex-patrões: apareceram notas plantadas nos jornais, comentários maldosos na web (vindos até de gente que hoje se esconde na Itália).
Isso posto, vale esclarecer mais dois pontos:
1) Não concordo com a expressão utlizada por Paulo Henrique Amorim nas críticas a Heraldo Pereira (“negro de alma branca”); ele utilizou a expressão de forma irônica, vá lá, justamente para relembrar a forma dissimulada como parte da “elite branca” se refere a negros que aceitam fazer o jogo dessa elite. Ainda assim, foi infeliz – além de injusta com Heraldo.
Isso, no entanto, não pode (e nao vai) apagar a luta incansável de Paulo Henrique que – ao longo dos últimos anos -vem-se dedicando a denunciar a tentativa idiota de negar o racismo no Brasil. O diretor da TV Globo Ali Kamel escreveu um livro (“Não Somos Racistas”) para “provar” que o racismo não existe. Heraldo Pereira – que trabalha na Globo- foi à Justiça porque se sentiu atingido pela frase de Paulo Henrique Amorim. Então, o racismo não existe, Ali?
2)  Considero Heraldo Pereira um ótimo sujeito; e até onde sei, é um jornalista correto. Assim como qualquer um que exerce atividade pública, ele está sujeito a críticas. E tem o direito óbvio de buscar a Justiça quando se sentir atacado de forma exagerada ou injusta. Ao aceitar um acordo na primeira instância, Heraldo mostrou grandeza, mostrou que não pretende usar processos como arma de intimidação política e/ou econômica.
Não é o caso de outros personagens, conhecidos, que utilizam a Justiça (a mesma que às vezes prefere proteger Naji Nahas a garantir o direito à moradia de centenas de famílias) para intimidar e calar os críticos… A mim, não intimidam.
Paulo Henrique Amorim recebeu muitos ataques rasteiros nas últimas horas  – vindos, inclusive, da turma que se diz de “esquerda” (é aquele povo que Brizola e Darcy Ribeiro definiram tão bem: “a esquerda que a direita adora”).
Mas PH Amorim recebeu também a solidariedade de milhares de leitores e colegas jornalistas. Entre tanta coisa que se escreveu, reproduzo aqui a reflexão de Leandro Fortes (outro jornalista e blogueiro que não se intimida com ataques e processos)…

No http://www.blogcidadania.com.br/2012/02/paulo-henrique-amorim-nao-foi-condenado-por-racismo/

Para nós do VithaMulher PHA é um homem de alma negra, indígena, brasileira. Não desanime neste momento de sua luta, Paulo, ela é muito nobre e estamos com você!

Lideranças de movimentos negros apoiam Paulo Henrique Amorim



Lideranças de movimentos negros manifestaram-se a este blog não apenas em solidariedade a Paulo Henrique Amorim, alvo da calúnia de que teria sido condenado pela Justiça por racismo, mas para explicar frase que teria gerado condenação que jamais existiu, sobre “negros de alma branca”.
Uma das lideranças é Adenilde Petrina Bispo, líder comunitária em Juiz de Fora (MG), professora de História e Filosofia formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora e fundadora da rádio comunitária Mega FM.
A outra liderança que escreveu ao blog para se solidarizar com o Paulo Henrique é Elias Candido, presidente do Partido dos Trabalhadores em Vila Matilde (São Paulo-SP), militante de combate ao racismo, professor e quilombola.
Conheci Adenilde quando, a seu convite e de sua comunidade, fui à sua cidade palestrar sobre a mídia e falar sobre a luta deste blog contra o racismo e em defesa de cotas para negros, política pública que Paulo Henrique Amorim apóia em oposição à maioria dos jornalistas de renome. Elias Candido eu não conheço.
Reproduzo, abaixo, as manifestações dessas lideranças enviadas a este blog na última quinta-feira.
—–
Desde pequenina (hoje estou lá pelos sessenta anos) ouvia sempre a minha avó dizer: “Fulano é um negro de alma branca”. Era até um elogio.
Mas, hoje, sabemos que o negro de alma branca é o negro submisso, conivente com os da Casa Grande.
Hoje, o pessoal do Hip Hop fala, através dos Racionais MCs no rap Juri Racional, em “Ovelha-branca da raça”, fala daquele que renegou a sua cor.
E o que dizer de negro jabuticaba? Quem milita nos movimentos negros, quem vive sempre relegado à invisibilidade e ao fundo da sala, sabe o que é conviver com os negros de alma branca, os jabuticabas da vida que atrasam a nossa caminhada e confundem nosso povo.
Parabéns por mais este post esclarecedor e pela justeza de suas colocações. Firmeza para você, amigo Eduardo, e para o Paulo Henrique Amorim.
Adenilde Petrina Bispo
—–
SOBRE NEGROS DE ALMA BRANCA
A história de luta do povo negro no Brasil começa logo que o primeiro navio negreiro aportou nestas paragens trazendo reis, rainhas, guerreiros, futuros quilombolas e negros de alma branca.
As lutas por liberdade nos séculos que se seguiram enfrentaram grandes dificuldades por conta do poderio bélico do agressor, da manipulação da igreja católica, dos cruéis castigos que intimidavam pessoas de bem que queriam resistir, e dos negros de alma branca.
A vitória parcial que foi a Abolição não veio através da Princesa, mas apesar dela. Muitas foram as batalhas, muitos foram os quilombos formados. Alguns superavam a sociedade brasileira institucionalizada em termos de organização, justiça, liberdade, fraternidade e paz. Não em poucos, conviviam índios, colonos brancos pobres e mouros em um clima de respeito à diversidade étnica e religiosa.
Muitos foram destruídos por ações de negros de alma branca que delatavam suas posições e quantidade de pessoas, facilitando o trabalho do agressor.
Naquele tempo, atendiam pelo nome de “negro da casa” ou “negro de dentro”. Com raríssimas exceções, eram escolhidos porque inspiravam confiança nos Senhores de Escravos por causa de suas fragilidades de caráter.
Correspondiam a essa confiança entregando seus irmãos que fugiam ou que cometiam o que o dono de engenho entendia por delito, atos esses que podiam levar seu companheiro ao aleijume, à privação de alimentos por dias ou até à morte.
Eram recompensados com a permissão de dirigir a palavra diretamente ao escravocrata e comer os restos do almoço da casa grande, comida de melhor qualidade. Além disso, raramente sofriam castigos físicos.
Com o aprofundamento da resistência, através de ataques a fazendas, fugas e multiplicação de quilombos com operação de resgate de escravos, os negros de alma branca se tornaram capitães do mato armados que recapturavam seus irmãos em fuga.
Eram a linha de frente em invasões de quilombos. Miseráveis morais, chegavam a arriscar a vida pelo opressor contra o próprio povo.
Finda a escravidão, apesar da contrariedade dos negros de alma branca, esses capitães do mato desempregados continuaram a agir da mesma maneira servil aos piores tipos de racista, que diziam que, diferente dos demais que se rebelavam, esses eram os bons negros, os de alma branca.
E esses ficavam felizes com esse tipo de comentários. Ainda ficam. Eles ainda estão por aí, contrários às cotas ou manifestações. Negam o racismo e votam nos racistas da pior espécie. Submetem-se a todo tipo de humilhação e querem que você faça o mesmo.
Envergonham-se do próprio cabelo, das roupas, costumes e religiosidade do seu povo e costumam dizer que o responsável pelo racismo é o próprio negro, como se fosse surdo e não ouvisse o absurdo de suas próprias palavras.
Como militante de combate ao racismo, fico muito a vontade para entender o que quis dizer Paulo Henrique Amorim. Como negro, sou a maior vítima dos negros de alma branca.
Eu, modestamente estudioso da história do negro no Brasil, conheço bem os negros de alma branca. Posso reconhecê-los à distância pela linguagem, pelo olhar medroso, pelo jeito janota de se vestir e pela sintaxe entreguista.
Reconheço o trabalho de PHA pelos negros, apoiando programas voltados a essa população e denunciando o racismo da grande mídia. Ele tem todo o meu apoio.
Que os negros e pessoas bem-intencionadas não se confundam: uma ação contra o racismo jamais viria de alguém da Rede Globo, a maior propagadora de racismo deste país.
Elias Candido é presidente do Partido dos Trabalhadores em V. Matilde, militante de combate ao racismo, professor e quilombola de coração.

No http://www.blogcidadania.com.br/2012/02/liderancas-de-movimentos-negros-apoiam-paulo-henrique-amorim/

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Rodrigo Amarante Ownando Reporter - o perigo do jornalismo preguiçoso

"Outra explicação é a da perda de criatividade da TV Globo. Todo ano é a mesma batida, numa mesmice que incomoda os telespectadores."

Rio mostra à Globo
como se faz Carnaval

    Publicado em 22/02/2012
Aterro do Flamengo, na zona sul do Rio, é tomado por foliões

Saiu no R7:

Carnaval de rua do Rio reúne 4 milhões de pessoas, diz prefeitura


Quatro milhões de pessoas participaram dos desfiles de blocos no Rio de Janeiro durante os quatro dias de folia. Com isso, segundo a prefeitura, o Carnaval de rua da cidade foi oficializado como o maior do país. Ao todo, desfilaram pela cidade 316 blocos em 372 apresentações.


A festa ainda segue até domingo, com mais 9 blocos. Os destaques são o Quizomba, no próximo sábado (25), e o Monobloco, no domingo (26).


Segundo a Prefeitura do Rio, no sábado (18) o tradicional desfile do Cordão da Bola Preta, último representante dos antigos cordões carnavalescos, bateu mais um recorde: foram cerca de 2 milhões de pessoas seguindo o cortejo pela avenida Rio Branco, no centro do Rio.


No domingo (19), na zona sul, o Simpatia É Quase Amor arrastou 150 mil foliões pela avenida Vieira Souto, em Ipanema. No mesmo dia, 60 mil foram ao Aterro do Flamengo atrás do Bangalafumenga. No centro, o tradicional Cordão do Boitatá recebeu 40 mil pessoas na praça XV.


Na segunda (20), a zona sul voltou a receber um grande número de foliões. O desfile do AfroReggae levou cerca de 400 mil pessoas à orla de Ipanema – o dobro do previsto. Já no Aterro do Flamengo, o bloco Sargento Pimenta consagrou-se como a maior festa Beatles do mundo, com mais de 60 mil pessoas curtindo o som do grupo londrino adaptado para o Carnaval, feito por uma banda de dez pessoas acompanhadas por uma bateria com 120 ritmistas.


A terça-feira (21) teve como destaque o bloco Carmelitas, que desfilou nas ladeiras de Santa Teresa, na região central. Na zona sul, o Vagalume O Verde reuniu 20 mil pessoas na rua Jardim Botânico. O Rio Maracatu foi do Posto 8 ao 9, na Orla de Ipanema, e levou um pouquinho da cultura do Ceará para os 5.000 que agitaram o bairro pela manhã.



Em tempo: o Domingo Espetacular (modestamente) e o Rei Davi rebaixaram o Carnaval da Globo para a divisão de acesso. A Globo conseguiu acabar com as escolas de samba. Do Rio e de São Paulo, aqui, com a colaboração do Governo da Chuíça (*).

Em tempo2: Saiu no Blog do Miro:

TV Globo dançou no Carnaval


Por Altamiro Borges


Apesar de toda a parafernália, a audiência da TV Globo despencou no Carnaval. Segundo o Ibope, a emissora registrou uma das piores quedas dos últimos anos. Na primeira noite do desfile das escolas de samba no Rio de Janeiro, no domingo (19), ela perdeu 20% da audiência, na comparação com 2011. Na média, ela marcou 8,3 pontos no Ibope da Grande São Paulo.


A queda da audiência da emissora na transmissão do Carnaval vem se acentuando a cada ano. Em 2011, ela registrou 10,4 ponto; em 2010, a média foi de 10,9; já em 2009, ela atingiu 12,5 pontos no Ibope. A decadência tem várias causas. A principal parece ser a do aumento da concorrência. O programa Domingo Espetacular, comandado pelo jornalista Paulo Henrique Amorim na TV Record, marcou 15 pontos no Ibope das 21h às 23h32 do dia 19.


Outra explicação é a da perda de criatividade da TV Globo. Todo ano é a mesma batida, numa mesmice que incomoda os telespectadores. Há também o fator internet, com milhões de pessoas fugindo da chatice da televisão. Lógico que nada disse deve incomodar muito o império global. Afinal, ele continua ganhando fortunas com a publicidade aberta e o merchandising enrustido nos desfiles. Mas um dia a casa pode cair!



Paulo Henrique Amorim


(*) Chuíça é o que o PiG de São Paulo quer que o resto do Brasil ache que São Paulo é: dinâmico como a economia Chinesa e com um IDH da Suíça.

No http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/02/22/rio-mostra-a-globo-como-se-faz-carnaval/

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Jenifer Lopes enquadra jornalista da Folha: "Hã? ‘Sorry?’ [Desculpe?]. Eu não sei. Eu não penso muito nessas coisas. E acho que falar disso é de mau gosto."


J Lo ensina
como tratar a Folha

    Publicado em 20/02/2012
J Lo à Folha: f... you !
Saiu na ácida cobertura Folha do Caranaval carioca.

A Folha (*), como se sabe, é contra o Carnaval, o Google e a pasta de dentes.

Folha – Você gosta de cerveja?

Jennifer Lopez – Não, eu não sou o tipo que bebe cerveja, mas tenho muitos amigos que bebem [risos].

Então por que você aceitou fazer essa campanha [da Brahma]?

Porque era sobre o Brasil, sobre o Carnaval, sobre a celebração da vida. Era mais sobre essas coisas boas do que qualquer outra. E eu nunca tinha estado no Carnaval. Pensei que era uma boa maneira de ter essa experiência.

Ganhou muito dinheiro?

Hã? ‘Sorry?’ [Desculpe?]. Eu não sei. Eu não penso muito nessas coisas. E acho que falar disso é de mau gosto.

Quais os benefícios de se relacionar com alguém mais novo [seu namorado, Casper Smart, tem 24 anos]?

Ah! Ra-ra-ra [ estica o braço em direção à repórter, fecha a mão em um gesto de acabou].

A assessoria fala: “Obrigada, gente. Acabou!”. Um dos dois seguranças que vieram dos EUA com J.Lo grita: “Todo mundo pra fora, agora!”.



Navalha
Foram perguntas inconvenientes, agressivas – e inúteis.
Tinham a única função de constranger e irritar o entrevistado.
E demonstrar que o entrevistador é mais importante que o entrevistado.
E a Folha foi embora sem a sua inesquecível entrevista.
Paulo Henrique Amorim

domingo, 19 de fevereiro de 2012

“Eu levo Lula para a posse, com a maior honra". Fábio Assunção

Gaviões da Fiel empolga torcida com relato da vida do ex-presidente Lula

O corintiano e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não pôde aparecer para a festa, mas a Gaviões da Fiel não se deixou abalar com a ausência do homenageado e empolgou a torcida no Anhembi. Sexta a desfilar no segundo dia do carnaval 2012 em São Paulo, a escola fez da vida de Lula motivo para um rápido passeio pela história e pela democracia no país.
Lula assistiu o desfile pela televisão, em seu apartamento em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Ao final do desfile, o ex-presidente ligou para a esposa, Marisa Letícia, que desfilou na escola, e afirmou ter ficado emocionado.
Lula nasceu no agreste pernambucano, exerceu por dois mandatos o cargo mais importante do país e virou tema do enredo com o título “Verás que o filho fiel não foge à luta - Lula, o retrato de uma nação”.
Do primeiro ao último dos cinco setores, a Gaviões da Fiel passou pela infância pobre de Lula em Garanhuns, interior do estado de Pernambuco. Tratou ainda do passado de migrante em São Paulo, do engajamento sindical e da campanha vitoriosa para a presidência da república em 2002. No final, a escola explora a vertente corintiana do político.
Evolução
Em uma posição pouco comum, as baianas foram a primeira ala a desfilar. Por sua vez, a comissão de frente cumpriu a missão de apresentar o enredo apostando na literatura de cordel como referência. O abre-alas, primeira das cinco alegorias, falou sobre a religiosidade do sertanejo e a influência do signo de escorpião na vida de Lula. O segundo carro, “Duelo da democracia contra o dragão da ditadura”, retrata a influência da história do Brasil na trajetória do ex-presidente.
O terceiro carro representou uma barca, uma referência às “caravanas de cidadania”, viagens pelo Brasil promovidas pelo político. A quarta alegoria abordou a posse e foi batizada de “A esperança vence o medo”. Nela, o ator Fábio Assunção desfilou dentro de um Rolls-Royce estilizado. “Eu levo Lula para a posse, com a maior honra", declarou.
Ausência

O ex-presidente luta contra um câncer na laringe, diagnosticado em outubro de 2011. Ele deveria desfilar no último carro da escola, acompanhado da mulher, Marisa Letícia, e de filhos do casal.
Dona Marisa Letícia disse que, se a Gaviões ficar entre as campeãs, o ex-presidente Lula, que passa por tratamento contra o câncer, pode desfilar na sexta em São Paulo.
Operário-presidente
A bateria da Gaviões da Fiel sofreu uma "transformação" ao chegar ao recuo. Os componentes tiraram as fantasias de operários e viraram presidentes da República. Quem sambou à frente da bateria foi a rainha Tatiane Minerato, acompanhada pela madrinha Sabrina Sato.
Sabrina se machucou com a fantasia e terminou o desfile com dedo sangrando. "Nem senti nada, estou muito emocionada", disse.

Leia mais em: O Esquerdopata
Under Creative Commons License: Attribution
No http://esquerdopata.blogspot.com/

"O que interessa se o Lula ficou em sétimo na enquete da Grôbo? No coração do povo ele é 10, nota 10!" Juliano Santos

Desfile de escolas de samba de SP pode sofrer interferência política

A escola de samba Gaviões da Fiel foi a penúltima a se apresentar. Desfilou nos estertores da madrugada de domingo (19) e superou expectativas pela qualidade técnica da apresentação, pelo esmero das alegorias e pela surpreendente criatividade.
Com o tema “Verás Que o Filho Fiel Não Foge À Luta – Lula o Retrato de Uma Nação”, a Gaviões foi tecnicamente irretocável. A riqueza das alegorias, a evolução competente e milimetricamente sincronizada uniu-se a expressiva empolgação do público.
O desfile da escola foi aberto por temas mais políticos, com alas de nomes sugestivos como ABC da Vida, Caça às Bruxas, Porões da Ditadura, Voz que Não se Cala, Diretas Já e pelo carro alegórico Duelo da Democracia contra o Dragão da Ditadura.
Em seguida, vieram alas, baterias e carros alegóricos que destacaram a obra social da era Lula, com as alas Prato Cheio, Busca do Saber, Carteira de Trabalho Assinada, Quem Casa quer Casa, Energia e Progresso e Estabilidade da Moeda.
Quando a ala sobre a moeda estável entrou na avenida, a locução da Globo fez questão de lembrar que a estabilidade também seria obra de FHC.
Destacaram-se, entre as celebridades presentes, Fábio Assunção, Sabrina Sato e a própria esposa de Lula, Marisa Letícia.
Mas o que levantou mesmo o público e encantou os comentaristas da Globo foram as dezenas de componentes da escola usando máscaras de Lula e trajando um macacão de operário todo prateado. Em certo ponto do desfile, os “Lulas” tiraram o macacão e ficaram de terno e gravada, simbolizando a transformação do operário em presidente.
Um detalhe emocionante: dezenas de homens que se vestiram de Lula operário e que depois despiram o macacão e viraram presidentes rasparam completamente os cabelos antes do desfile em solidariedade ao problema de saúde do homenageado.
No último carro alegórico da Gaviões, Marisa Letícia, animada, sambava sem parar.
Fechando o desfile, uma réplica em isopor do Rolls Royce presidencial, com uma criança vestida de esposa de Lula e um figurante no papel do próprio. Detalhe: o “motorista” do carro foi o ator Fábio Assunção.
Ao fim do desfile da Gaviões, o apresentador da Globo Chico Pinheiro entra no ar diretamente de um dos camarotes do sambódromo. Viera anunciar uma suposta “classificação das escolas segundo notas dos telespectadores”.
Para quem assistiu ao desfile dessa e das outras escolas de São Paulo, a nota média que a Globo diz que teria sido dada pelo público foi surpreendente. A pontuação 8,6 colocou o samba-enredo e a escola que mais empolgaram o público em sétimo lugar.
A Gaviões, escola detentora de vários títulos, com um desfile tecnicamente perfeito, com um samba-enredo que enlevou o público, a militância petista, a torcida do Corinthians e a da própria escola, poderia não ficar em primeiro na preferência do público… Mas em sétimo?!
A cada Carnaval, surgem acusações de que a Globo interfere no resultado das disputas de escolas de samba. A pontuação pífia da Gaviões que a emissora atribui ao público, é estranha. A escolha da vencedora em S. Paulo pode virar uma guerra, este ano.
—–
Leia e ouça, abaixo, o samba-enredo da Gaviões da Fiel em 2012.
Samba Enredo 2012 –
Verás Que o Filho Fiel Não Foge À Luta – Lula o Retrato de Uma Nação
G.R.E.S. Gaviões Da Fiel
Vai meu gavião…
Cantando a saga do menino sonhador
Um filho do sertão, cabra da peste… Irmão
Que deus pai iluminou!
Trouxe no sangue a coragem, a fé
O poder regendo seu destino!
Na cidade grande a esperança… O futuro promissor!
Traçou seu o caminho
Cresceu foi à luta… Pra vencer
E o sonho se torna real
Luiz Inácio o operário nacional!
*
Companheiro fiel… Por liberdade
Na corrente do bem… Contra a maldade!
Elo forte da democracia
A luz da nossa estrela guia!
*
Viu… No coração do Brasil
Tanta desigualdade
O retrato da realidade
A utopia buscando a dignidade!
Solta o grito da garganta e vem comemorar
A soberania popular
Felicidade…
O povo unido venceu
A cidadania resplandeceu
Uma nova era aconteceu!
*
Sou da nação, sou valente e festeiro
Corinthiano loucamente apaixonado!
Em oração a São Jorge guerreiro
Peço que o brasileiro seja sempre abençoado!”

(...)

No http://www.blogcidadania.com.br/2012/02/desfile-de-escolas-de-samba-de-sp-pode-sofrer-interferencia-politica-2/